Olhar Direto

Terça-feira, 19 de março de 2019

Opinião

Safra de grãos faz história

Autor: Pérsio Landim

27 Dez 2018 - 08:00

O Brasil mantém sua super importância perante o globo pela pujança do agro, dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento testificam nosso potencial que alavanca a economia do país.

De acordo com o MAPA, a produção brasileira de grãos fechou o ciclo 2017/2018 com 228,3 milhões de toneladas colhidas. Foi a segunda maior safra de grãos, atrás apenas da safra anterior, conforme o 12º levantamento divulgado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Vale o destaque para produção de soja que alcançou recorde de 119,3 milhões de toneladas (4,6% superior à safra passada). O milho registrou produção de 54,5 milhões de toneladas, o arroz, 12,07 milhões de toneladas, o algodão resultou em 2 milhões de toneladas de pluma e o trigo, com aumento de 6,4% na área semeada em relação à safra anterior, resultou na produção de 5,2 milhões de toneladas.

Apesar da estiagem ter atrasado o plantio, a soja foi um dos destaques da safra, pontua o Ministério. O espaço destinado ao grão nas lavouras cresceu, sobretudo, em áreas destinadas anteriormente à produção de milho 1ª safra, devido a melhor rentabilidade proporcionada ao produtor.

Assim como a soja, outra cultura forte em Mato Grosso que ganhou destaque foi o algodão, teve crescimento de aproximadamente 25% e produtividade (algodão em caroço) de 4.267 quilos por hectare. O produto registrou produção de 5 milhões de toneladas.

O desempenho da safra só não foi melhor devido à produtividade que registrou queda nacionalmente de 5,2%, impulsionada, principalmente, pelo desempenho do milho segunda safra em quase todas as regiões brasileiras. A área plantada foi estimada em 61,7 milhões de hectares, com crescimento de 1,4% ou 852,8 mil hectares se comparada à safra 2016/17.

Não para por ai, para safra 2018/2019 as projeções do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento são das melhores, o 3º Levantamento divulgado neste mês, revela que o país deverá colher 238,4 milhões de toneladas, o que representa aumento de 10,6 milhões de t ou de 4,6% de um ano para outro. Os principais produtos responsáveis pelo resultado são soja, milho, arroz e algodão, as maiores culturas do país, que juntas correspondem a 95% da produção total.


Pérsio Landim é advogado, especialista em Direito Agrário, especialista em Gestão do Agronegócio, presidente da 4ª Subseção da OAB – Diamantino (MT), com MAPA
Sitevip Internet