Olhar Direto

Segunda-feira, 24 de abril de 2017

Opinião

A escola em tempo integral e seus desafios

Autor: Luiz Cláudio

21 Fev 2017 - 08:10

O fato é, nossas crianças e adolescentes estão a cada dia, mas distantes das salas de aula e as instituições educacionais, há tempo, procuram a ponta desse  "iceberg" que se instalou nas escolas brasileiras, como um problema bastante complexo para as gestões públicas resolverem.  E isso ocorre nos níveis básicos, médio e superiores. Não há exceção.

Porque as escolas e os alunos se perderam no rumo que levaria à qualidade da educação? Faltam atrativos disciplinares, gestão educacional, recursos financeiros ou iniciativa política, para atingirmos o alto nível da educação, que se busca com inúmeros argumentos, mas com pouca prática? A cada dia surge uma proposta de solução para essa situação constrangedora aos pais, alunos, profissionais da educação e a sociedade em geral.

Como se vê, a educação brasileira lembra mesmo um iceberg sob o comando das correntes marinhas. Em tempo, o resgate de alguns projetos que submergiram pode resgatar e remodelar novas iniciativas políticas e da classe educacional. Em Cuiabá, uma proposta para a criação de uma escola modelo em tempo integral, vem sendo cogitada entre a classe política e a de educadores, com a finalidade de fortalecer o ensino público municipal promovendo o resgate da qualidade da educação, que tem a possibilidade de se tornar modelo dentro e fora de Mato Grosso.

Mas é preciso acreditar que o envolvimento das principais instituições de ensino, poderes constituídos e a sociedade, juntos, podem reverter o atual quadro desanimador da educação, para um patamar que reanime a sua maior clientela: os alunos.

Uma comissão criada com membros da Câmara de Vereadores e Prefeitura de Cuiabá, Secretaria Municipal de Educação e UFMT trabalham atentamente nos detalhes dessa  idéia de escola modelo em tempo integral. A iniciativa contará também com outras entidades interessadas em contribuir com o projeto que está sendo desenvolvido sob avaliações técnicas e de gestão pessoal. O desafio nos tempos atuais é ultrapassar a barreira da recessão financeira pública e a capacitação dos profissionais, que deverão ser aproveitados na nova estrutura educacional e atender as demandas do setor.

A finalidade da escola modelo em tempo integral será de resgatar antigos valores da educação e promover o conhecimento de qualidade e fortalecer a relação da escola com o aluno e sua comunidade.

Partindo do legislativo, mas com a palavra final do Executivo municipal, o projeto vem sendo amplamente debatido, durante reuniões da comissão. Os estudos devem ser aprofundados para que o projeto seja efetivado de forma eficiente evitando os erros de gestões passadas, que não conseguiram promover o ensino integral na capital em sua totalidade.

Conforme o projeto preliminar, a escola modelo atenderá os alunos desde o piso da unidade escolar, alimentação, áreas de descanso, atividades ocupacionais e grade curricular, além de outros mecanismos desafiadores para a realização desse projeto. A efetivação de uma escola modelo em tempo integral significa a garantia da qualidade do ensino na rede pública de Cuiabá, que enfrenta dificuldades para manter pais e alunos motivados na busca do conhecimento educacional.

A escola em tempo integral proporcionará o aprendizado fazendo com que o aluno se sinta valorizado, assim como, os profissionais do ensino, por terem espaços escolares ampliados com dinâmicas de interação, colaboração e cooperação entre si, por um projeto educativo que reconhece a existência da educação, como fator primordial para a formação do cidadão.

No tempo integral é possível formar cidadãos para a realidade do cotidiano das cidades atuais prevendo as dimensões humanitárias que garantam segurança e perspectivas de melhorias para o aluno.

A família é parte primordial nesse longo processo na vida dos alunos que anseiam por qualidade das escolas e seu ensino e não somente um tempo maior nas redes de ensino. A ocupação diária permitirá o fortalecimento entre as famílias que pensarão juntas por um futuro melhor. Já o corpo docente, que também almeja essa realidade, sentirá sua obrigação profissional valorizada conforme os critérios previstos no projeto. O desafio está lançado e as possibilidades de uma escola integral de fato, perto de ser realidade.
 
*Luis Cláudio é vereador em Cuiabá
Sitevip Internet