Olhar Direto

Segunda-feira, 29 de maio de 2017

Opinião

Amor, Verdade, Trabalho e Justiça

Autor: José de Paiva Netto

10 Abr 2017 - 10:28

“Deus é Amor.”Tudo Nele se origina e para Ele retorna. Sua Palavra, como revela Jesus na Oração ao Pai, é a Verdade. A Doutrina da Religião do Terceiro Milênio, portanto, é toda ela firmada sobre o Amor Ecumênico, que é Deus,e sobre a Verdade, que é a Sua Palavra, expressos no Trabalho, que resulta na Realização dessa filosofia redentora no mundo. No capítulo segundo, versículos de 14 a 18 e 26, de sua famosa Epístola Universal, alerta Tiago Apóstolo:
 
A Fé sem obras é morta
14 Meus irmãos, qual é o proveito, se alguém disser que tem fé, mas não tiver obras? Pode, acaso, semelhante fé salvá-lo?
15 Se um irmão ou uma irmã estiverem carecidos de roupa e necessitados do alimento cotidiano,
16 e qualquer dentre vós lhes disser: Ide em paz, aquecei-vos e fartai-vos, sem, contudo, lhes dar o necessário para o corpo, qual é o proveito disso?
17 Assim, também a fé, se não tiver obras, por si só está morta.
18  Mas alguém dirá: Tu tens fé, eeu tenho obras; mostra-me essa tuafé sem as obras, e eu, com as obras,te mostrarei a minha fé. (...)
26 Porque, assim como o corpo sem Espírito é morto, assim também a fésem obras é morta. (Os destaques são nossos.)
 
Sem o Trabalho coisa alguma toma forma: é imperioso que se junte ao esforço mental o das mãos; à filosofia, o cabo da enxada (…). Não basta conceber o Bem. Temos de realizá-lo sob a inspiração de Deus, que não é ódio nem fanatismo, porém Caridade. Sem a Justiça Divina, todo o esforço do Amor e da Verdade, concretizados pelo Trabalho, estaria ameaçado pela dilapidação criminosa provocada pela ignorância espiritual, a maior inimiga do progresso das criaturas de Deus. Para que tal não se dê, mesmo que os seres humanos a neguem, não percebendo a ação caridosa do seu mecanismo, existe a Lei Universal da Reencarnação, Princípio de Amor, que confere, segundo adverte Jesus, “a cada um de acordo com as suas próprias obras” (Evangelho, segundo Mateus, 16:27).

Eis a Economia Divina. É a Justiça de Deus, conduzindo a História. O Pai Celestial não se vinga. É que tudo na Vida tem consequência. Ninguém evolui espiritualmente na irresponsabilidade e na maldade, sem experimentar os duros percalços que acabam por afastar a criatura do erro.

Por isso, bradamos: quanto mais perto de Jesus, mas longe dos problemas!
 
 
José de Paiva Netto ― Jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com 
Sitevip Internet