Olhar Direto

Sábado, 18 de novembro de 2017

Opinião

A latrina do Brasil

Autor: Eduardo Póvoas

05 Mai 2017 - 16:47

CANALHAS!

Este seria o bom dia que o brasileiro honesto e trabalhador gostaria de dar a você politico calhorda que saqueou os cofres deste país e nos deixou sem estradas, sem saúde, sem educação sem merda nenhuma.

Lembro-me perfeitamente do meu tempo do curso primário feito no colégio José Magno, que quando um aluno tirava nota baixa, primeiro tomava um “escalda orelha” do pai ou da mãe, e tinha tanta vergonha da baixa nota alcançada que ficava dias sem sair de casa escondido dos amigos e dos vizinhos.

Naquela época a vergonha imperava na cara dos brasileiros desde crianças em idade escolar até adultos com mandato. Jamais poderia eu imaginar que para alguns essa vergonha seria apenas “virtual”.

Uma parte de canalhas brasileiros, leia bem, uma parte, vem há anos assaltando os cofres desta nação sem dó nem piedade.

Transformaram o Congresso Nacional na maior latrina do nosso território, muito pior de que privada de rodoviária de quinta categoria, onde o justo (uma pequeníssima minoria) paga pelo pecador.

Jamais imaginei ouvir ou ler cifras enormes de real, dólares ou euros destinados a determinados marginais ostentando na lapela de seu paletó boton do Congresso.

Homens que há muito perderam a vergonha na cara e que, após confissões claras de executivos corrompedores, continuam a jurar de pé junto suas inocências, dizendo a célebre frase: “nego veementemente”! Nega nada safado!

Desde que “assaltos” aos cofres públicos em escala muito menores que os da Petrobras tive eu conhecimento, passei a ver o Brasil como o país mais rico do mundo, muito mais que Japão, Estados Unidos, Alemanha, ou os produtores de petróleo.

Explico. Nenhum destes países aguentaria por anos a fio ser saqueado de maneira cruel como saqueiam o Brasil. Nenhum deles teria tanto dinheiro para alimentar a ganância de alguns safados do nosso Congresso.

Continuam esses ladrões e saqueadores do dinheiro público a frequentar restaurantes de luxo, shopping, aeroportos e alguns, sem nenhum pudor, a aceitar convites para palestras e seminários.  Fazem isso como se nada tivesse acontecido e como se eles fossem uns coitados injustiçados.

A vergonha que talvez nunca existiu em seus rostos, passa a nós que de sobra a temos, uma sensação de revolta. Passa a nós que temos de nossos salários descontados um absurdo de Imposto de renda (como se salário fosse renda), uma sensação de querer fazer justiça com as próprias mãos.

Passa a nos que juntamos moedinhas para que no fim do mês possamos alimentar nossa família, a vontade de ver esses canalhas ladrões do nosso dinheiro, fuzilados em um paredão.

Rezemos para que da mão de um jovem e brilhante juiz, junto com outros do Ministério Público Federal, venha a nós que realmente pagamos para que este país não feche as portas, a verdadeira e única justiça que é ver todos esses canalhas atrás das grades.

Revolta a mim que dediquei trinta anos de minha vida a estudar, viver com mísera aposentadoria do Ministério da Saúde e ver essa corja recebendo 50, 60, 100 ou mais milhões de dólares, e pior, muito deles com nível de instrução igual a uma ameba.

SAFADOS!

É o “até logo” que nós deixados à mingua por vocês gostaríamos de te desejar. Salve-se algumas exceções.
 
*Eduardo Póvoas é pós-graduado pela UFRJ.
Sitevip Internet