Olhar Direto

Domingo, 22 de outubro de 2017

Opinião

Mitos e verdades sobre o câncer de mama durante a gravidez

Autor: Alexandre Marques

11 Out 2017 - 10:15

O câncer de mama em mulheres grávidas ocorre em uma a cada 3.000 mulheres grávidas, de acordo com o estudo da Navarra University e geralmente em mulheres com gravidez tardia. A primeira coisa que se passa na cabeça de uma mulher grávida ao descobrir que está com câncer de mama é o risco de morte para o feto. Mas dependendo do tempo de gestação o tratamento com quimioterapia é perfeitamente seguro e mais de 90% dos casos não oferece danos a saúde do bebê. 

Os médicos oncologistas recomendam que o tratamento comece a partir do quarto mês ou 12º semana de gestação, momento que pode receber os medicamentos sem problemas para a segurança do bebê, e na maioria dos casos sem sequelas. 


Se o câncer de mama for descoberto no final da gravidez, então é recomendado fazer a cirurgia para tirar o tumor na mama, e somente após começar a quimioterapia. 

Em alguns casos o parto já é feito e começa-se o tratamento em seguida. 

Após o nascimento do bebê não é aconselhável que a mãe amamente enquanto estiver fazendo quimioterapia. 

Não é recomendado engravidar durante o tratamento da quimioterapia, nesses casos como a medicação está sendo administrada, o bebê pode nascer com sequelas irreversíveis. 

De qualquer forma, independente de ser grávida ou não, é importante sempre a mulher fazer o autoexame e procurar sempre um ginecologista para fazer os exames rotineiros. Quanto mais cedo fazer o diagnóstico da doença mais chances de cura você tem. 
 

Alexandre Marques é Oncologista Clínico na Oncocenter 
Sitevip Internet