Olhar Direto

Domingo, 22 de outubro de 2017

Opinião

Mulher sábia e sensata

Autor: Graci Ourives de Miranda

12 Out 2017 - 16:51

A professora Leuby Correa da Costa, em seu cotidiano, superava todas as fronteiras, com posturas de: sensatez/caráter e habilidades. Senhora Leuby tinha compromissos com: união, cultura, igualdade. E, sempre buscou transmitir serenidade. Foi uma mulher dedicada ao próximo e aos seus familiares. Dna Leuby apresentava soluções e esperanças, sempre devota ao cumprimento da Lei. Senhora Leuby envolvia-se intensamente com a chamada paz com sua consciência, assim foi seu cotidiano. Isto sempre foi importante para agregar os jovens que são brilhantes do mundo e necessitavam ter conhecimentos de suas habilidades e possibilidades. A professora Leuby tinha ações assistencialista “o cacique juruna se hospedava na casa da família de Gilson de Barros todas as vezes que se deslocava até Brasília, e contava com apoio de Dona Leuby” In: História de Dona Leuby”*. Então, tudo para uma sociedade com mais igualdade e justiça.

Corajosa Dona Leuby, atuante na política dos anos 70-80, e no cenário da Universidade Federal de Mato Grosso-UFMT, foi aluna de pedagogia, dedicava-se a organização de comitês, após suas atividades acadêmicas. Em 2015* o seu filho definiu por excelência, a postura, coerência e simplicidade de sua amada e exemplar mãe, professora Leuby;

“Somente a simplicidade, de começo, nos leva ao ápice do conhecimento. Libertemo-nos das convenções culturais e sociais. Ou a ela nada dediquemos: assim, a felicidade nos alcançara. ” Doutor Gonçalo Antunes de Barros Neto, 2015, filho de Dona Leuby) *

A senhora Leuby, como discente e mãe dedicada, trazia consigo habilidades didáticas, que, dava-lhe sustentação para fazer seu discurso para os colegas. A senhora Leuby soube inteligentemente utilizar da comunicação, que nos faz mais humanos, pois o processo de comunicar (linguagem) é um dos instrumentos de paz e sensatez, assim o fez. Então, labutou para que pudéssemos transitar por uma sociedade com mais justiça.

A Professora Leuby, estava sempre disponível para suprir as necessidades das comunidades carentes, atendendo os eleitores, e, a disposição do marido, o político, Gilson Duarte de Barros (GDB).

A mulher política/cabo eleitoral e agregadora de jovens Leuby, com seu esposo Gilson Duarte de Barros, (GDB) não eram coniventes com ‘indicações’. Estes labutavam para que a sociedade, ou seja, todos fossem tratados como iguais. Assim, que os cidadãos deveriam entrar pela porta de brilhante, ou seja concurso. Dona Leuby gostava de emitir em suas posturas: tudo é possível quando somos justos.

Michelle Leite de Barros, “Michiúuu” em sua “Poesia para o - avô Gilson” Duarte de Barros, 25/abril/2014, cristalizou com charme e polidez a hiper jornada da sua amada vó: Leuby– “Ele me diz que mandou limpar a piscina... Mas, que a vó, preocupada, não sabia”. Michelle uma poetisa com frescor da juventude, sempre pronta para colaborar com o pilar cultural do mundo tecnológico, traz à lume o quanto a vó Leuby traduziu e refletia: gestos e olhares de amor ao próximo.

A poetisa Michelle protegeu sua avó Leuby, imediatamente ‘preocupada’ também com sua expressividade ‘não sabia’. A poesia resgata o sentimento de união/serenidade, demostrando que devemos ser todos felizes independentes do condicional “se”; se fez ou não fez. Então que vamos ser felizes e agregadores da paz. Devemos ser antenados para dar AMOR ao próximo.

A poetisa é transmissora de sensibilidade, no final de semana, como se assim tentasse manifestar: É a vida! E, para proteger a vó: teceu ‘não sabia’. A poetisa quando refere à VÓ LEYBY, ‘não sabia’, finalizou como: um ponto e basta! Enfim, nada poderão cobrar da minha vó. Quanta sabedoria da jovem poetisa, em se tratando da amada avó.

É cristalina, na reflexão da poetisa, que a professora Leuby, do lar/trabalhando com as comunidades carentes, tinha sim muitas jornadas de trabalho, e mais ainda, nos sábados e domingos propiciava ambiente lúdico e, de aconchego aos familiares. A neta “Michiúú” com serenidade e altivez pontuou “ele me diz que mandou limpar a piscina(...), mas, que a vó, preocupada, não sabia”.

A poetisa Michelle Leite de Barros ‘oh Michiúú’ - parece-nos tentar enfatizar com os dizeres ‘não sabia’, proteger sua avó, vamos ser felizes e aproveitar o céu azul de Mato Grosso. A sensibilidade da poeta “percorre a saudade” (Michelle Leite de Barros/2014).

Atualmente podemos afirmar que Michelle Leite de Barros foi uma protetora da avó Leuby que, além de suas inúmeras atividades de cidadã dedicava intensamente aos familiares e ao próximo.

Então, servir ao próximo é estar atendendo ao cumprimento da lei: Todos. Recorro à poesia da escritora: Michelle Leite de Barros- (2015) ‘Michúúú’)* sobre a ausência dos avós:

“A sua falta dói por dentro

Machuca, rasga e faz chorar meu coração

Derramam dos olhos lágrimas que escorrem pelo mundo

E que não curam a sua ausência. ” (Barros.2014) *

Referência:

MIRANDA, Graci Ourives. Mulheres de Matto Grosso. 1ª Ed. Cuiabá: Ed. Gráfica Print, 2015.

Graci Ourives de Miranda, Escritora
Sitevip Internet