Olhar Direto

Domingo, 19 de novembro de 2017

Opinião

​Bem-estar social: Cadê ele?

Autor: Graci Ourives de Miranda

06 Nov 2017 - 10:50

“Pecar pelo silêncio, quando se deveria protestar, transforma homens em covardes.” Abraham Lincoln (1809-1865).
 
A intenção de abordar alguns fatos do cotidiano dos cidadãos usuários dos meios de transporte coletivo de Mato Grosso é demonstrar o desconforto dos instrumentos de trabalho e acomodações inadequadas que comprometem a segurança. A segurança da mobilidade urbana é de extrema relevância.

Percebe-se que alguns meios de transportes estão distantes de serem adequados à população. Eu fiz imagens e alguns veículos danificados estão distantes dos olhares e de ações justas e eficazes das autoridades.

O estado interno de alguns coletivos é demasiadamente desproporcional para acomodar os cidadãos.

A sociedade poderia se organizar para requisitar seus direitos: bem-estar e ambiente adequado.  Se não acessarmos as autoridades, como teremos os direitos adquiridos?
Existe descaso com o bem-estar social?

Será que há coletivos que transportam mais cidadãos que a sua capacidade prevista? Basta a imprensa conferir!

Conforme Emília Viotti da Costa (1928-2017), “enquanto não se eliminar a influência que tem o dinheiro nas campanhas eleitorais, não teremos uma democracia plena”.

Sou usuária do transporte público e o estado de alguns ônibus é prejudicial à saúde e tem efeito danoso, também, aos motoristas que permanecem por longas horas sentados. Há cidadãos que ficam longo período no interior do coletivo em pé e o pior é que pagaram passagem integral. Então, cadê os direitos? Todos são iguais perante a lei?

Cadê o poder cultural dos gestores?  Cadê as ações? Cadê as políticas públicas? Há necessidade de se pensar os cidadãos/lícitos que se deslocam, muitas vezes, às 5 da manhã e retornam para seus lares no período noturno. Estes merecem respeito dos políticos. A Constituição de 1988 é clara: “bem-estar em âmbito nacional”.

Os gestores eleitos devem repensar sobre os meios de transportes. Atualmente, vigora o estado de estupidez, descaso para com o povo. Muitas vezes, idosos ficam em pé. Isto é insensatez! E os bancos dos coletivos ficam muito aquecidos.

Poderes, por favor, utilizem o transporte coletivo por 15 minutos, pois, assim, tenho certeza que irão se preocupar com os cidadãos e refletir sobre o bem-estar social para todos.

Os eleitos estão, confortavelmente, instalados em suas salas onde têm café, água de primeira qualidade e se utilizam de meio de transporte impecável. Basta observar por alguns minutos as garagens dos poderes para os chancelados: perfeita harmonia ambiental e social, qualidade de vida e ambiente equilibrado. Enquanto o cidadão está esquecido!

Visitem o Morro da Luz! A Constituição não é seletiva, graças a Deus! Ela é para TODOS!

O cidadão que conhece o meio de transporte dos grandes centros do Brasil estabelece um estado de susto! Há o digníssimo papel dos impostos que são devidamente cobrados. Questiono: qual é o prazer de pagá-los em dia? Cadê os órgãos fiscalizadores?

É descompromisso para com o cidadão quando o veículo está lotado! O ambiente é inadequado tanto para os usuários quanto para os motoristas.

Autoridades, vão ao Morro da Luz e adentrem em um veículo do transporte coletivo para terem estímulos de melhoria à sociedade.

Como assídua pagadora dos impostos devorador tenho a certeza de que a sociedade deveria receber serviços de qualidade. Se não pago, sou punida. E se eles não apresentam serviços de qualidade, são punidos adequadamente?

Onde está estabelecido o poder da igualdade e respeito ao cidadão? Só somos obrigados a pagar e pagar?

Cidadãos e autoridades, caminhem pelas ruas de Cuiabá. As leis estão sendo respeitadas?

As acomodações dos transportes coletivos são desconfortáveis aos trabalhadores e usuários. Os gestores do Estado deveriam ser sensíveis ao cotidiano dos cidadãos/lícitos que são pagadores de impostos.

Não há sombra e nem nuvem frente ao descaso dos poderes para com estes trabalhadores. Existe, sim, um temporal de descaso com os cidadãos humildes que muito precisam.  

Eleitos pelo povo, saiam de sua zona de conforto e adentrem um coletivo, por favor! Os políticos nem imaginam o que os trabalhadores suportam!

A sociedade precisa de eficácia!

Os cidadãos merecem olhares dos poderes, urgentemente! Celeridade! Temos pressa!
 
 
Graci Ourives de Miranda – professora Português/literaturas: Língua Portuguesa e inglês/literatura inglesa. Graduada-UFMT. Especialização/ História Social-UFMT. Escritora. <go.miranda@uol.com.br> 
Sitevip Internet