Olhar Direto

Sábado, 16 de dezembro de 2017

Opinião

Unidos pelo caráter

Autor: Graci Ourives de Miranda

01 Dez 2017 - 17:10

“(...) o Judiciário já está muito transparente e se houver mais espaço para sermos ainda mais, seremos. Não temos nada a esconder. (...)” Orlando Perri, (2012) Desembargador, eleito.

O Hospital Universitário Júlio Müller-HUJM-MT é o primeiro hospital público federal de Mato Grosso e atualmente é administrado pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh).

A ampliação e reforma do serviço de Referência em Triagem Neonatal/Teste do Pezinho do Hospital escola- HUJM, vinculado a Universidade Federal de Mato Grosso. Somente ocorreu graças a União dos servidores públicos, cidadãos de caráter e dotados de sentimentos para com o próximo.

Demonstraremos alguns discursos de profissionais comprometidos com a sociedade brasileira e particularmente com os cidadãos carentes de Mato Grosso. Há Servidores públicos que sabem utilizar suas chancelas e seguem a Carta mais linda: a Constituição.

O leitor poderá conhecer através dos discursos, estes cidadãos honrados, e que nos honram, nós sentimos orgulhosos de estar ladeados por eles, administram com sabedoria o dinheiro público, e que, estão distantes de qualquer tipo de preconceito.  Abaixo os depoentes e imagens:

Doutor Paulo Roberto Jorge do Prado, Procurador de Justiça. Atualmente “Procuradoria Especializada de Defesa da Criança e do Adolescente.”   Em depoimento para Graci Ourives de Miranda 30/12/2017. O jurista Jorge Prado pontuou: Doutor Paulo Roberto Jorge do Prado, Procurador de Justiça. Atualmente “Procuradoria Especializada de Defesa da Criança e do Adolescente.”

“Eu fui procurado pelo superintende do HUJM o professor Maninho, todos conhecem como Maninho, e também pelo professor Eduardo de Lamonica Freire, que foi um dos fundadores do HUJM e o HUJM atende 100% SUS, então é 100% pessoas carentes, pessoas que não tem condições de pagar um plano de saúde particular. E o HUJM, ele é o hospital escola da Universidade Federal De Mato Grosso-UFMT, então eles estavam enfrentando dificuldades tamanhas, e pedi uma reunião aqui no Ministério Público, com colegas do Ministério Público Federal, com colegas nossos aqui do Patrimônio Público, da área da saúde do Ministério Público do Trabalho, para nós tentarmos ajudar e colaborar com a melhora da estrutura física do HUJM. Porquê?

Um dia desses, não sei se você percebeu Graci? choveu muito e choveu dentro do hospital. Então, os colegas do Ministério Público do Trabalho destinaram recursos para ajudar lá no HUJM. Eu estou pedindo para os colegas do Patrimônio Público e Meio Ambiente para ajudar, os Procuradores da República também. Por quê? É a população sofrida, é a população carente de todo Estado de Mato Grosso que é socorrida. Esses dias nós fizemos uma parceria com o HUJM para treinar Conselheiros Tutelares de Cuiabá e Várzea Grande (...) atender crianças vítimas que sofreram abuso sexual, por que, aquela criança que foi abusada sexualmente pelo pai, pelo padrasto, pelo vizinho e pelo tio, como você percebe que essa criança foi violada. O HUJM através do seu setor de pediatria tem um trabalho maravilhoso nesse sentido.

E, agora eles vão realizar o exame do Pezinho. Eu enxergo naquele hospital um hospital escola, não só na área de medicina, na área de enfermagem, área de nutrição (...). Então, nós cidadão que moramos em Mato Grosso, nós não podemos permitir que um espaço tão importante como aquele fique abandonado pelas autoridades federais deste Estado. Então, os senhores Senadores os senhores Deputados Federais, o governador de Mato Grosso, o senhor Pedro Taques, nós precisamos, salvar, abraçar e adotar o HUJM, por que, ali existem profissionais realmente:  gabaritados e preparados. Estão pedindo o que? Estrutura física para tratar bem esse povo Mato-grossense.

O Hospital HUJM têm profissionais têm médicos que poderiam já estar aposentados e só se dedicar ao seu consultório, mas não fazem isso pelo amor e o respeito para aquelas pessoas que precisam daquele hospital, (....) o professor Francisco José Dutra Souto, profª Sandra, o ‘Maninho’, Dr. Hildebrando Monteiro Fortes, o médico/professor Eduardo de Lamônica Freire, Profª Maria Angélica, são profissionais que poderiam estar aposentados e só cuidando de seus consultórios. Mas, eles são pesquisadores da vida humana, do comportamento humano.

E, respeitam e sonham em ver aquele hospital resgatado. Precisa que as autoridades Mato-grossenses abram os olhos e abracem o HUJM. Nós não podemos permitir que um hospital referência, universitário fique como está. Aquele prédio abandonado há dez anos sem terminar, isso é uma vergonha para nós. É uma vergonha, o povo de Mato Grosso você ir lá tem um esqueleto daquele! Dez anos abandonado? Para onde foi o dinheiro público?”

Graci Ourives e Miranda: Sendo que atende 141 municípios.

Doutor Prado: “Atende até o Acre, Rondônia e outros Estados vêm tratar aqui. Lá no hospital as pessoas precisam ser respeitadas.”

Graci O. Miranda: Uma pouca vergonha nacional. O HUJM merece ser respeitado.
Dr. Paulo Prado - O grande estudioso dos direitos fundamentais, foi enfático: “enquanto Deus permitir, enquanto Deus me der força, estaremos nessa trincheira.”

O doutor Francisco José Dutra Souto, ex-superintendente 14/01/2014 à 03/2017 e foi vice-reitor-UFMT,2008-2012, diz: “(...)as tabelas de pagamento de remuneração do SUS, elas são muito inferiores aos valores de mercado, (....” (04/08/2017)

Doutora Myrian Serra, Reitora da UFMT, participou ativamente da reforma e ampliação do HUJM, cristalizou que é mantenedora de sua proposta de trabalho junto à sociedade carente. Discurso da reitora em 14/10/2016: “(...)importância de nossa defesa incondicional, em favor de uma Universidade que acreditamos e entendemos(...)”.

O senhor Paulo Roberto Ambrósio, Chefe da divisão de logística e infraestrutura do HUJM. Na instituição desde 13/junho/1984. Integrou a equipe de estruturação do hospital desde sua criação.  Ambrósio diz: “Essa obra nós demoramos 60 dias, como é uma reforma teve uma parte nova foi mais complicada, (...) foi um prazo recorde, trabalhamos sábado e domingo, teve época que mais tarde da noite (...) tínhamos um prazo para entregar para o MP. (...). Obrigado ao professor Maninho, por fazer isso pelo HUJM. O HUJM é um hospital o qual nós amamos muito e a população necessita muito do hospital. A procura aqui é muito grande.” Em depoimento para autora, (30/11/2017).

No HUJM existem renomados profissionais, alguns exemplos: ex-Reitor (1984-88) da UFMT médico/professor Eduardo De Lamonica Freire, pontuou: “O HUJM merecia essa melhoria há muito tempo, ele é o primeiro hospital de Mato Grosso, por sinal têm sido o primeiro em todos os desafios, principalmente historiando AIDS, lá nos anos 80, nenhum hospital se dispôs a internar paciente portador da doença, nem a Santa Casa (...) e nós internávamos. Naquele período o paciente portador do vírus HIV, cuidando com todo carinho e toda dedicação, aquele paciente que era até abandonado pela família, porque havia uma rejeição como se fossem os antigos leprosos historiados na Bíblia. Então o hospital tem uma história fantástica.

E essa história se repete nos anos 90 com o diagnóstico de doenças precoce presentes em babies (...) com teste do Pezinho (...). É bela a estrutura (...). E agora temos que agradecer esse projeto “abrace o Júlio Müller” que está sendo dada a continuidade pelo dr. Hildebrando, profº Maninho, e, justiça se faça, é um projeto que nasceu com o Prof. José Carlos há cerca de dez anos atrás (...) nós devemos essa obra, a uma ação do Ministério Público Estadual ao dr. Paulo Roberto Jorge do Prado e o Dr. Antônio Sergio, temos que destacar de uma forma apaixonada (...) em favor da melhora do HUJM (...) eles conjuntamente com um excepcional profissional , que, o HUJM têm, que é o  administrador Paulo Ambrósio (...) e graças quem contratou o trabalho foi o dr. Rafael Mondego de Figueiredo do Ministério Público do Trabalho (...). Vamos dar à César que é de Cesar, na realidade o HUJM existe no ponto de vista da UFMT, graças ao extraordinário apoio de um não médico, do ex reitor Benedito Pedro Dorileo. Ele se dedicou no apoio desse projeto. (...).”

A doutora Maria de Fátima Ferreira, Presidente do Conselho Regional de Medina de Mato Grosso- integra o trabalho voluntário a pediatra neonatologista, que é professora e pediatria UFMT-MT, exerce o cargo de presidente do Conselho Regional de Medicina de Mato Grosso (CRM-MT).

“O momento da gente vê o serviço, é dando dignidade para quem trabalha e que   para os que são atendidos aqui, é muito gostoso. A assistência que já era oferecida era uma assistência de qualidade séria, todos que trabalham aqui são pessoas muito envolvidas, além do que é do que seria obrigação, entendem a importância da triagem, na vida dessas famílias, dessas crianças (...) e agente já trabalhava, Mesmo em condições inadequadas tudo apertadinho, sem espaço digno. Mas com muita vontade e com muita seriedade (...). (Depoimento para autora/ 30/11/2017).

Dr. Hildebrando Monteiro Fortes, “vamos adotar o HUJM! Precisamos de vocês na mesma proporção que precisam dos nossos serviços. Vamos nos unir!”  (05/08/2017).
Graci Ourives de Miranda – professora Português/literaturas: Língua Portuguesa e inglês/literatura inglesa. Registro LP9614565/DEMEC/SP-SP.  Especialização História Social-UFMT. Curso -USP-SP: “Prática de ensino da língua inglesa”. 02 artigos científicos-UFMT.04 Livros publicados, sendo 1- obra científica.
 
Sitevip Internet