Olhar Direto

Terça-feira, 23 de outubro de 2018

Opinião

A Prudência Cristã como virtude e o perigo de sua ausência

Autor: Juliano Rafael Teixeira Enamoto

04 Ago 2018 - 08:00

Há inúmeras virtudes Cristãs presentes em nossa vida sem que percebamos, certamente até mesmo inomináveis, ou inidentificáveis, mas dentre as que identificamos, ou melhor que teólogos, principalmente os Patrísticos enumeram, cito a Prudência.

Inicialmente descrita por São Gregório de Nissa, um dos famosos Padres Capadócios, isso há mais de um milênio, a  Virtude da Prudência é uma das Virtudes Humanas, ou Virtudes Cardinais, como o próprio nome designa, são valores que guiam a condução humana, adjetivam as condutas, impedem o excesso, reforçam o caráter ou mesmo corrigem os vícios humanos.

Há uma frase atribuída ao Padre Capadócio a virtude como gênero é: “Uma disposição habitual e firme para fazer o bem"”.

Recentemente percebi um nuance da Prudência  em uma passagem marcante do texto Bíblico do Evangelho de São João em seu Capítulo 8 versículos de 1 à 11, mas em especial os versículos 6 À 9 o qual transcrevo:[1]

6"Perguntavam-lhe isso, a fim de pô-lo à prova e poderem acusá-lo. Jesus, porém, se inclinou para a frente e escrevia com o dedo na terra. 7.Como eles insistissem, ergueu-se e disse-lhes: Quem de vós estiver sem pecado, seja o primeiro a lhe atirar uma pedra.

 8.Inclinando-se novamente, escrevia na terra.

9.A essas palavras, sentindo-se acusados pela sua própria consciência, eles se foram retirando um por um, até o último, a começar pelos mais idosos, de sorte que Jesus ficou sozinho, com a mulher diante dele." 


A Virtude da Prudência está presente no momento, os quais os julgadores daquela adúltera, ao serem confrontados com palavras de nosso Senhor Jesus Cristo, puseram-se a pensar em  introspecção : “Realmente sou um pecador, de qual maneira posso julgar outra pecadora”.
Em exegese particular de tal aspecto refleti que a Virtude da Prudência, opera pela abstenção de ação, conduta ou modo de agir,um verdadeiro “freio moral” da conduta humana em razão da reflexão e talvez epifania moral que revela a perversidade da conduta cogitada.

Há ainda uma passagem Bíblica que traz uma ausência de prudência, descrita no próprio julgamento de nosso Senhor Jesus Cristo, contida no Evangelho de São Mateus em seu capítulo 27 versículos 17 a 29, durante este julgamento a multidão, ainda que instruída pelos sacerdotes judaicos, poderia ter tido a prudência e refletido o que estavam julgando(e quem), aliás um pensamento válido seria “mas aquele homem(Jesus Cristo), não cometeu nenhum mal, ao contrário de Barrabás que é um assassino confesso”, não pairou a virtude da prudência no povo que ali estava, assim a ação imoral não foi contida.

Alguém poderia dizer que Pôncio Pilatos teria tido breve momento de Prudência, em condenar Jesus Cristo, mas ao comportamento de Pilatos não foi capaz de mudar sua ação, assim não entendo como Virtude da Prudência, mas mera hesitação.

Contemporizando com a Greve dos Caminhoneiros, ou “Revolta da Boléia”, conforme também ficou conhecida, as reivindicações exigidas pela categoria, ainda que justas, denotariam ao caos social e econômico, fato que infelizmente comprovaram-se.

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística-IBGE[2], no mês de maio houve um recuo de mais de 10,9%(dez vírgula nove por cento) do setor de Industria, tendo uma queda superada apenas por dezembro do ano de 2008(-11,2%), mas não é só, nossa indústria encolheu e retrocedeu a níveis do ano de 2003.

A Virtude da Prudência, caso tivesse existido, deveria demonstrar aos atores envolvidos com a Greve dos Caminhoneiros, sejam os grevistas, empresários, políticos, opinião pública e até os “influenciadores digitais”, que um país que estava em um ciclo de crescimento negativo, com déficit nas contas públicas, não poderia dar-se ao luxo de impedir o tráfego econômico no, praticamente único, modal de transporte de bens no país. Deveriam lembrar que números de estatística, são representações de pessoas, famílias, que sofreram e sofrem com reflexos da Imprudência.

A nova versão tupiniquim do “Tea Party”, nos fez retroceder 15(quinze)anos, lembrando que haverá impacto no Produto Interno Bruto, com tal revolta, não bastando as incertezas do cenário eleitoral, não bastando as incertezas do cenário político, não bastando o déficit do orçamento público, ainda houve a contribuição da Greve dos Caminhoneiros.

E onde estava a Virtude da Prudência? Houve prudência por parte dos líderes e participantes do “Movimento Caminhoneiro”? Qual foi a Prudência dos Governantes? Infelizmente a  Virtude da Prudência é uma commodities escassa em nossa vida, cuja abundância não a desvaloriza, muito pelo contrário, e que deveria ter sido uma das exigência da pauta caminhoneiro: “Prudência mínima”
 

[1] <São João, 8 - Bíblia Católica Online

Leia mais em: https://www.bibliacatolica.com.br/biblia-ave-maria/sao-joao/8/>
[2] <https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2012-agencia-de-noticias/noticias/21622-greve-dos-caminhoneiros-leva-industria-a-ter-a-maior-queda-desde-2008.html>


Juliano Rafael Teixeira Enamoto é advogado e Procurador da Câmara Municipal de Sapezal, natural de Ministro Andreazza-Rondônia.
 
Sitevip Internet