Olhar Direto

Quinta-feira, 15 de novembro de 2018

Opinião

A queloide não é impedimento para se fazer cirurgia plástica

Autor: Benedito Figueiredo Junior

14 Set 2018 - 08:00

Com a miscigenação da população mundial,  muitas pessoas são descendentes de negros ou asiáticos e isso aumenta a tendência a ter queloide que é uma cicatriz grossa, em alto relevo, endurecida, avermelhada e em alguns casos escura, que eventualmente apresenta coceira ou dor. Ela costuma surgir em média após 20 dias após uma cirurgia ou corte.

Mesmo assim quem tem queloide pode sim se submeter a uma cirurgia plástica, mas com consciência que a sua cicatrização é diferenciada e conversar com o cirurgião plástico sobre o melhor tratamento para amenizá-la.

Em geral, o cirurgião plástico pode indicar uma forma para diminuir essa cicatriz em relevo com indicações de produtos e tratamentos disponíveis no mercado. Um deles é a radioterapia local, betaterapia, a utilização de laser, o uso de silicone, injeção de corticosteroides, cirurgias redutoras, criocirurgia, entre outras opções.

O acompanhamento do médico se torna ainda mais essencial quando há relação de queloide e cirurgia plástica. Além de sugerir o tratamento para cada situação, ele também analisa se existe a possibilidade do queloide voltar na região tratada.

Além da queloide, o paciente também pode ser acometido de outros tipos de cicatrizes.

Atróficas –Este tipo de cicatrização é frequentemente associada à acne, varicela, outras doenças, cirurgias ou acidentes. Deixa uma espécie de buraco na pele.

Hipertróficas – As cicatrizes hipertróficas tem uma textura mais elevada em relação à pele circundante, no entanto, respeitando o limite anatómico da pele.

 Normal ou Normotrófica – Neste tipo de cicatriz a pele ganha o aspecto e consistência muito semelhante ao da pele antes do ferimento, ou seja, resulta normalmente de ferimentos ligeiros.

A cirurgia plástica é indicada para várias correções estéticas, ou reparadoras, mas tenha sempre em mente que é importantíssimo passar por um profissional qualificado e saber o que ele tem a dizer sobre as possibilidades de fazer a cirurgia e no caso da cicatrização como ficará no final, para não gerar uma expectativa que não corresponderá ao resultado obtido.

 
Benedito Figueiredo Junior é cirurgião plástico na Angiodermoplastic. CRM 4385 e RQE 1266. Email:drbeneplastica@gmail.com
Sitevip Internet