Olhar Direto

Segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Notícias / Esportes

Sai Macedo, entra Pedro Antonio: Abad monta futebol cheio de desafios

Caio Filho e Hector Werlang/GloboEsporte.com

28 Nov 2016 - 01:00

Antes mesmo de ser declarado presidente, ao término da eleição de sábado, Pedro Abad começou a montar o Fluminense que irá comandar. A proximidade com Peter Siemsen - foi o candidato da situação - o fez não só saber como planejar soluções aos desafios que irá encontrar: rescisão com a Dryworld, busca por novo patrocínio, conclusão do CT e viabilização do estádio próprio. Porém, o futebol, como o próprio dirigente anunciou, será prioridade. A montagem do departamento prevê a saída de Jorge Macedo do cargo de diretor executivo e a alçada de Pedro Antonio Ribeiro da Silva ao de vice-presidente.   

Macedo viajou com a delegação a Florianópolis, onde, neste domingo, o Tricolor encara o Figueirense. A tendência é de que o dirigente seja demitido antes da última rodada do Brasileirão, dia 4 de dezembro, diante do Internacional - tem contrato até 31 de dezembro de 2017. Até lá, Pedro Antonio, vice de projetos especiais e responsável pela construção do CT na gestão Peter, deve ser anunciado no novo cargo.  

- Não gostaria de falar em nome de profissionais, tenho de respeitá-los. Posso dizer que há uma seleção de pessoas aptas a estar no clube. E Pedro Antonio vai escolher o desafio que deseja ter. Vou conversar e ver como ele vai ajudar o clube - disse Abad.   

O único nome já anunciado no futebol é o de Marcelo Teixeira, então gerente geral das categorias de base. Ele será o diretor executivo. Fernando Gonçalves, consultor no Flamengo, e Alexandre Torres, filho de Carlos Alberto Torres, são outros nomes que devem formar a equipe. Abad quer criar uma espécie de comitê gestor do futebol. Ele tem Roger Machado, ex-Grêmio, como preferência para treinador, mas apoiadores sugeriram os nomes de Abel Braga, igualmente desempregado desde a saída do Al-Jazira, dos Emirados Árabes, e Cuca, iminente campeão brasileiro com o Palmeiras.   

- Ninguém me procurou oficialmente. Roger tem um carinho muito grande pelo Fluminense e, claro, isso pesa na decisão - comentou o empresário Leo Ferreira, representante do treinador.

Os principais desafios de Pedro Abad no Fluminense

Novo técnico e time competitivo
Depois de mais um ano frustrante dentro de campo, a principal missão do próximo presidente do Fluminense é montar um time competitivo, capaz de disputar títulos e recuperar a confiança da torcida.Além do treinador, será necessária também a reformulação no elenco. Jonathan e Magno Alves, únicos com contratos por terminar em 2016, não devem permanecer. Outros que não foram muito aproveitados, como Osvaldo, também podem sair. Há dois reforços contratados por Peter Siemsen que se apresentam em janeiro: Orejuela e Sornoza, que se destacaram pelo Independiente del Valle na última Libertadores.
 
Fala, Abad: "Futebol é para profissional. Vamos analisar todo o elenco. Identificaremos deficiências e tomaremos as decisões. Não prometo nomes. Não vou iludir a torcida. Vamos montar primeiro o perfil e depois ir atrás de jogadores".
 
Indefinição sobre patrocínios
O novo presidente assume o clube ainda sem uma definição sobre o patrocinador master. Na reta final deste ano, houve acordo com a Caixa, mas para apenas seis jogos. Peter revelou ter conversas em andamento, mas a tendência é de que o Flu encontre dificuldades para um acordo. Há ainda o problema com o fornecimento de material esportivo. A Dryworld atrasa pagamentos e a entrega de produtos. A rescisão de contrato é iminente, e a norte-americana Nike é apontada como possível substituta.

Fala, Abad: "A Drywolrd não funcionou, não deu certo. Há um processo avançado de rescisão. Sei que há tratativas com outras empresas. Vou tomar pé das negociações. Sobre patrocínio, é um desafio dada a situação econômica do país. A medida que houver avanço, comunico a vocês."   

Maracanã e estádio próprio
A falta de um local para mandar foi um dos maiores problemas do Fluminense em 2016, por causa do fechamento do Maracanã para a Rio 2016. Na próxima temporada, o assunto ainda promete render. O clube aguarda a definição do governo estadual sobre o Maracanã, que pode passar por outro processo de licitação. Além disso, será preciso decidir sobre o investimento em um estádio próprio. Peter deixou encaminhado acordo para a aquisição do terreno, que fica próximo ao local do CT.

Fala, Abad: "Definida a eleição, vamos ter um trabalho de convencimento da prefeitura. Revitalizar a área, que fica na Barra da Tijuca. É importante para o Rio de Janeiro. Tem de mudar a regra de construção lá. Assim, conseguimos ter o terreno. Vamos intensificar esse trabalho de convencimento." 

Conclusão do Centro de Treinamento
Os jogadores já utilizam as instalações do CT diariamente, mas o local ainda não está totalmente concluído. De acordo com informação oficial do clube, R$ 24 milhões já foram gastos de um total estimado de R$ 29 milhões. Quem adiantou o dinheiro foi o vice de projetos especiais Pedro Antonio Ribeiro da Silva, que recebeu a promessa do clube de que receberá ainda este ano tudo que já investiu.   

Fala, Abad: "Quero exaltar o Pedro Antonio. Ele chegou ao Fluminense com extrema humildade. Em dez meses, ele fez algo incrível com o CT. Nós vamos concluir o trabalho".