Olhar Direto

Quarta-feira, 29 de março de 2017

Notícias / Cidades

Preso de Mato Grosso é enforcado durante briga de facções em penitenciária do MS

Da Redação - André Garcia Santana

09 Jan 2017 - 11:22

Foto: Reprodução/Facebook

Preso de Mato Grosso é enforcado durante briga de facções em penitenciária do MS
Preso por tráfico de drogas e tráfico internacional de armas, o detento mato-grossense Makanaky Nobre dos Santos Nascimento, de 26 anos, foi assassinado em uma disputa entre facções na Penitenciária de Segurança Máxima de Campo Grande – MS. A suspeita inicial é de que ele houvesse cometido suicídio, uma vez que foi encontrado pendurado com uma corda no pescoço, na janela do banheiro de uma das celas.

Leia mais:
Sindspen alerta para risco de massacre em MT semelhante ao de presídio em Manaus

No entanto em um vídeo filmado no local é possível ouvir outro detento comemorando a morte de um “CVzão”. Em Cuiabá, onde viveu até o final do ano passado, a vítima possuía passagens pelos crimes de receptação e homicídio. Ele foi transferido no mês de dezembro de 2016 para a capital do estado vizinho, onde morreu na sexta-feira (6).
 
De acordo com o Jornal Midiamax, onde a gravação foi veiculada, o apelido faz alusão aos integrantes do Comando Vermelho, que estaria em conflito com o Primeiro Comando da Capital (PCC) em vários presídios do País. Foi informado ainda que a disputa pela liderança na Penitenciária já motivou a transferência de 18 internos para outros estabelecimentos prisionais.

No total, segundo levantamentos dos agentes carcerários, 33 homens estariam jurados de morte.  Embora a disputa entre as facções seja antiga, a situação teria se agravado depois da chacina registrada em Manaus, onde mais 50 presos foram mortos. A suspeita é de que seja uma ação coordenada entre as lideranças de facções espalhados por todo o País.

Na última semana o Sindicato dos Servidores Penitenciários do Estado de Mato Grosso (Sindpen-MT) lamentou a chacina no Complexo Penitenciária Anísio Jobim (Compaj), em Manaus (AM), e alertou para o risco de que uma situação parecida vir a ser registrada no Estado. De acordo com o presidente, João Batista, ao contrário do que tem se pregado em alguns Estados, a utilização de parcerias privadas ou terceirização dos serviços nos presídios não é solução.

13 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • evandro
    09 Jan 2017 às 22:23

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Esau
    09 Jan 2017 às 22:00

    ****FACÇAO GALERA****

  • Anderson
    09 Jan 2017 às 20:40

    Sacanagem, quem fez isso merecia um prêmio!!!

  • Abandonos.
    09 Jan 2017 às 18:51

    Babarei de que pelo amor de deus, foi tarde de mais tinha era q fazer um paredão e meter a taca depois bala é única coisa que eles merecem, tomara que de mais 10.000 rebeliões entre eles

  • Cuiabano
    09 Jan 2017 às 18:00

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • roberto silva
    09 Jan 2017 às 17:03

    Menos um.

  • Charada
    09 Jan 2017 às 16:37

    Tinha que passar o pau geral!!! Aproveitar a deixa e acabar com o resto. Tudo sem conserto.

  • LocoAbreu
    09 Jan 2017 às 14:45

    A VÍTIMA?????? Possuía passagens pelos crimes de receptação e homicídio. FALA SÉRIO MERMÃO!!!!!!!!!!!!

  • Elias Pereira da Silva
    09 Jan 2017 às 13:56

    Aí que dó....

  • Gordão
    09 Jan 2017 às 13:55

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

Sitevip Internet