Olhar Direto

Sexta-feira, 26 de maio de 2017

Notícias / Política MT

Na Setas, Russi prioriza famílias abaixo da linha da pobreza; 170 mil vivem com menos de R$ 80

Da Redação - Lucas Bólico

10 Jan 2017 - 08:05

Foto: Assessoria

Na Setas, Russi prioriza famílias abaixo da linha da pobreza; 170 mil vivem com menos de R$ 80
O secretário de Estado de Trabalho e Assistência Social, Max Russi (PSB), afirma que seu trabalho na pasta terá como prioridade a busca por ascensão social das famílias que vivem abaixo da linha da pobreza no estado. De acordo com ele, mais de 170 mil famílias no Estado sobrevivem hoje com orçamento mensal inferior a R$ 80.
 
Leia também:
Max Russi assume Setas por um ano e três meses; Pasta mudará de nome

“O governador me pediu para a gente criar um programa, uma rede de proteção social onde a gente comemora não a entrada do [beneficiário no] programa social, mas a saída do programa social e dentro disso eu vou apresentar um grande projeto nessa linha para que ele realmente possa dar o aval, arrumar o recurso para a gente poder implementar essa política em Mato Grosso”.
 
O projeto tem a ambição se ser desenvolvido em todos os 141 municípios de Mato Grosso. Russi afirma que a maior dificuldade da Setas é com orçamento. Por isso, irá se reunir com o governador Pedro Taques (PSDB) para apresentar o projeto e solicitar recursos para colocá-lo em prática.
 
O novo secretário explica que sua primeira ação foi buscar diálogo com todos os servidores para motivar a equipe de trabalho e resolver qualquer problema que possa ter sobrado com as categorias após a polêmica pelo não pagamento integral da Revisão geral Anual (RGA).
 
“Como eu estou chegando numa secretaria nova nada melhor para você fazer um trabalho do que ter os servidores motivados, então o primeiro passo que eu fiz foi conversar com todos os servidores desde quem faz o café e limpa o chão até os secretários-adjuntos”, conta. “Para que a gente possa começar este trabalho pensando primeiro em dar condições para ao servidor para a gente poder prestar um bom serviço para a sociedade”, completa.

5 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • El Cid
    10 Jan 2017 às 15:23

    Ninguém consegue viver com R$ 80,00. Muito menos uma família! Será que comem vento? Já me fez desconfiar, não acreditar nesse secretário!

  • RRN
    10 Jan 2017 às 11:22

    Só demagogia só falam em ações sociais mas na realidade é bem diferente só pra pleitear o cargo Igual Ministério Público, Tribunal de Contas, Câmara, Assembléia Legislativa que são ORGÃOS DE FISCALIZAÇÃO e todo dia assistimos na TV, (Rombos,Roubos,Desvios) e a Roubalheira Continua não sei para que serve esses ORGÃOS

  • Palhaços
    10 Jan 2017 às 11:20

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Tiago
    10 Jan 2017 às 09:26

    O molusco disse que tinha acabado com a miseria. Ele mentiu entao???? Kkkkkk

  • Gaúcho
    10 Jan 2017 às 08:47

    170 famílias kkkkkk q coisa heim... pra mim são mais de 50 mil famílias. 170 famílias deve ser em Santo Antônio do Leverger

Sitevip Internet