Olhar Direto

Domingo, 26 de fevereiro de 2017

Notícias / Cidades

Família procura por jovens desaparecidos após abordagem da PM; testemunhas relatam agressão

Da Redação - André Garcia Santana

11 Jan 2017 - 11:35

Foto: Reprodução

Família procura por jovens desaparecidos após abordagem da PM; testemunhas relatam agressão
Desaparecidos há quase dois dias após uma abordagem da Polícia Militar (PM), os jovens João Vitor de Oliveira, de 20 anos, e Hugo da Silva Salomé, de 19, foram vistos pela última vez ao entrarem em uma viatura descaracterizada com policiais, no bairro São João Del Rey, em Cuiabá. Aos familiares dos rapazes, populares informaram que ambos estavam em um veículo modelo Clio, de cor marrom, quando foram parados e agredidos, aparentemente sem motivos, pelos profissionais da segurança. A situação foi registrada por volta de 13h de segunda-feira (10).

Leia mais:
Secid abre licitação para demolição da Ilha da banana; comerciantes reclamam de violência na região

Na manhã desta quarta-feira (11), familiares se mobilizaram para reivindicar esclarecimentos sobre o sumiço dos rapazes. Com cartazes, eles expressaram sua revolta com o caso e o denunciaram à imprensa. “Mais uma família está sofrendo com o descaso da polícia, que ao invés de proteger, está usando a farda para acabar com as famílias. Todos somos seres humanos e somos falhos. Mas abusos sem explicação não dá pra ficar”, dizia um dos escritos. 

De acordo com o advogado da família, Sérgio Batistelli, a Corregedoria da Polícia Militar já foi acionada, mas até o momento não há nenhuma informação sobre o paradeiro deles ou um posicionamento sobre a situação. Ele também conta que os profissionais do 24º Batalhão da PM, responsáveis pela ação, também foram procurados por mais de uma vez, mas afirmaram apenas que os dois jovens teriam fugido da viatura, não tendo sido vistos mais por eles.

“Os parentes estão desesperados com essa falta de informação. Já tentaram todas as delegacias, todas as possibilidades, Pronto Socorro, IML, e nada. A Polícia diz que eles fugiram, mas isso não faz o menor sentido. Por que escapariam da viatura e permaneceriam sem voltar pra casa, ou sem fazer qualquer tipo de contato até o momento? Entendo esta situação como um caso de seqüestro. Não tem outra justificava”, explica o advogado.

Colegas de bairro, João e Hugo têm passagem por roubo e tráfico, mas estavam em liberdade. “Os relatos apontam que eles não estavam fazendo absolutamente nada no momento da abordagem e mesmo assim foram agredidos pelos policiais. Uma das pessoas que presenciou a cena conseguiu lembrar o final da placa da viatura, 09.” Ele reforça ainda que a situação é considerada grave pelos próprios funcionários da Corregedoria.

Ao Olhar Direto a Polícia Militar (PM) informou que assim que recebida a denúncia, será instaurada uma sindicância para apurar o que de fato aconteceu com os rapazes. Não foi determinado um prazo para o término do procedimento, no qual os policiais e demais testemunhas serão ouvidos.

Um caso parecido foi registrado em Rosário Oeste (111 km de Cuiabá), há dois meses. Lá, o jovem Ronaldo Vargas da Cunha, 25, vem sendo procurado por amigos familiares que se mobilizam para obter informações sobre seu paradeiro. Ele foi visto pela última vez ao entrar em uma viatura da Polícia Militar (PM). De acordo com informações repassadas a sua namorada, Joice dos Santos, ele voltava da casa de um amigo em sua bicicleta, que foi deixada no local após a abordagem.

13 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Luziacanette
    12 Jan 2017 às 17:31

    Vcs vao cuida das suas vidas Quem pode jugar eles e so Deus Quem sao vcs pra julga sao ninquem mando de linguarudos. .

  • Adonias Marques
    12 Jan 2017 às 00:18

    Eu acredito que devemos proceder com prudência, até porque a Polícia Militar em 2014 matou um deficiente mental e auditivo na maior covardia, fora da legitima defesa e o caso está impune! se darmos moral a polícia militar sob alegação de estarem matarem bandidos estamos dando moral a eles para matarem inocentes também, como no caso acima relatado e tantos outros, ou vocês nunca ouviram dizer que Polícia adultera boletim de ocorrência, transformam inocentes em bandidos, o mesmo em alguns casos a imprensa também, sinceramente hoje temo tanto a bandidagem quanto a bandidagem de farda! Pra isso temos a polícia civil que apura e tipifica o crime e o judiciário para julgar! E nossos políticos que não tornam as leis mais severas!

  • marcos
    11 Jan 2017 às 20:15

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • cuiabano
    11 Jan 2017 às 17:19

    pra pegar esses a policia e boa, sao a seguranca , sao os caras, mas la na serra do caldeira, ficaram igual galinha despenada e fugiram, kkk so no brasil mesmo,

  • Neto
    11 Jan 2017 às 16:24

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Davi
    11 Jan 2017 às 16:23

    O pessoal do Comando Vermelho aproveitou que a polícia tinha abordado os dois integrantes do PCC e deram um sumiço neles e de quebra ainda colocou a culpa na PM. Como a nossa sociedade gosta muito de ladrões, traficantes e estupradores, mas tem ódio da polícia, a culpa vai cair como sempre na PM.

  • Fudum
    11 Jan 2017 às 15:33

    O Benediti Rubens quem disse que nao temos pena de morte?...existe sim, e ela e sempre sentenciada pelo bandido latrocida que decide se vc morre ou nao..enrendeu?

  • Ana Paula
    11 Jan 2017 às 14:41

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Benedito Rubens de Amorim
    11 Jan 2017 às 14:40

    Independente das pessoas serem ou não criminosas, tem que ser verificada a ação truculenta da PM, pois, não temos PENA DE MORTE no BRASIL e sair por aí EXECUTANDO ás tortas e às direitas. Como penso!

  • VITIMA
    11 Jan 2017 às 14:11

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

Sitevip Internet