Olhar Direto

Terça-feira, 27 de junho de 2017

Notícias / Política MT

Wilson Santos afirma que respeita o trabalho da CPI da Copa, mas mantém ritmo na luta por retomar obras

Da Reportagem Local - Ronaldo Pacheco

11 Jan 2017 - 16:00

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Wilson Santos deixou o Palácio Paiaguás, no final da manhã, após se reunir com governador Pedro Taques

Wilson Santos deixou o Palácio Paiaguás, no final da manhã, após se reunir com governador Pedro Taques

A luta para a retomada das obras da Copa, ainda inacabadas, não representa desrespeito ao trabalho da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Obras da Copa do Mundo, concluída pela Assembleia Legislativa.  A garantia partiu do secretário de Estado de Cidades (Secid), Wilson Santos (PSDB), nesta quarta-feira (12),  após se reunir com o governador José Pedro Taques (PSDB).
 
A explicação de Wilson foi uma resposta para o presidente CPI das Obras da Copa, deputado Oscar Bezerra (PSB), que acusou-o de tentar ‘patrolar’ o relatório final a ser aprovado pela Assembleia Legislativa. Bezerra reclamou de o Poder Legislativo não ter sido consultado para a retomada do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT), ainda no primeiro semestre deste ano.

Leia Mais:
Oscar Bezerra não aceitará que Wilson Santos "patrole" CPI das Obras da Copa com retomada do VLT
 
Wilson insistiu na tese de que mantém o respeito. “É evidente que, da nossa parte, não há nenhum desrespeito ao trabalho da CPI. Até porque eu fiz parte dela. Inclusive, às vezes participei e fiz questionamentos ao ex-governador Silval Barbosa [PMDB] e outros que estiveram”, pontuou o titular da Secid.
 
“De maneira veemente e firme, cumpri uma determinação do Oscar. Diversas vezes fui chamado em meu gabinete para socorrer o quórum da CPI, pois os titulares nem sequer compareciam às reuniões”, definiu o Secretário das Cidades, sobre sua atuação na CPI.
 
 Wilson admitiu que a função de líder do governo, por vezes, sobrecarregou-o.  “De fato, cumpri minhas obrigações, mesmo como líder do Governo, e sobrecarregado. Nunca houve e jamais haverá um desrespeito a essa ou outra CPI. O que nós estamos fazendo aqui vai respeitar a CPI, sem dúvida”, argumentou Santos, para a reportagem do Olhar Direto, no Palácio Paiaguás.
 
O fato de ser obrigado a cumprir determinação da Justiça Federal limita as ações da Secid. Ele lembrou a tentativa de destravar as obras do modal se deve ao fato da questão estar judicializada.
 
“Sempre respeitei a CPI; afinal de contas, a questão está judicializada. Há quatro ações. Amanhã [quinta-feira, 12], estarei reunido com o Poder Judiciário. Estamos avançando por conta de uma decisão da Justiça Federal, que deu 30 dias úteis mais 12 dias corridos para que o Governo e o Consórcio [VLT] se entendam”, pontuou.
 
 “Caso contrário, terá a recisão. Então, estamos partindo dessa decisão do juiz Ciro Arapiraca [da 1ª Vara Federal em Mato Grosso]”, justificou Wilson Santos, que se declara amigo de Oscar Bezerra.
 
A Justiça Federal concedeu um prazo que se expira no próximo sábado, dia 14, para que o governo de Mato Grosso e o consórcio VLT cheguem a um denominador comum, para retomada das obras. Caso contrário, o contrato será anulado e a haverá necessidade de uma nova licitação. “Portanto, está claro que não há nenhum tipo de desrespeito ao colega Oscar, que comandou a CPI de maneira exemplar e elogiável”,  completou Wilson.

4 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Carlos Nunes
    12 Jan 2017 às 07:59

    Pois é, com tantas prioridades muito mais importantes nos 141 municípios de MT, vão tornar o VLT a prioridade número 1, emprestando 1 BILHÃO DE REAIS, para nós pagarmos as parcelas depois. Assim que a cidade estiver toda aberta, se 1 BI não der, emprestam mais, uai. Nessa época das vacas magras, VLT deixou de ser prioridade, hoje, na lista delas, está no final da fila. Só faria se tivesse sobrando dinheiro aufa, mas tá faltando a beça.

  • JOSE DOS SANTOS
    12 Jan 2017 às 07:47

    Eu seria a favor do VLT , desde que fosse pago pelos municípios de Cuiabá e Varzea Grande, pois o que que o restante do estado , com carência em infra-estrutura tem a ver com o tal VLT?

  • ADN
    12 Jan 2017 às 07:40

    O GOLPE DO RODOANEL E AGORA O DO VLT. TEM QUE SAIR RECURSOS DE ALGUM LUGAR PARA SE CANDIDATAR.

  • Teresa garcia
    11 Jan 2017 às 19:29

    Esse dep. Oscar Bezerra é lá de Juara,nunca andou de ônibus lotado e pegando fogo aqui em Cuiabá,agora quer dar pitaco....Dá licença deputado,aqui não xomano,nós precisamos de transporte coletivo de boa qualidade,decente !!!

Sitevip Internet