Olhar Direto

Terça-feira, 30 de maio de 2017

Notícias / Cidades

Prefeitura e Arsec descartam pedido de empresários e valor da tarifa de ônibus será mantido

Da Redação - André Garcia Santana

16 Fev 2017 - 08:55

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Prefeitura e Arsec descartam pedido de empresários e valor da tarifa de ônibus será mantido
Em reunião diretor da Agência Municipal de Regulação de Serviços Públicos Delegados de Cuiabá (Arsec), o prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB) determinou que não haverá aumento na tarifa do transporte coletivo da Capital, atualmente de R$3,60. O novo valor, estipulado em R$ 4,03, havia sido proposto pelos empresários do setor e seria avaliado nesta semana. No entanto, diante da decisão do gestor o acréscimo já foi negado pelo órgão.

Leia mais:
Emanuel manda empresários apertarem os cintos e vai cobrar qualidade e eficiência sem aumentar tarifa

De acordo com a Arsec, os 11,94% solicitados pelas empresas dizem respeito a fatores como impostos, preço da gasolina e outros gastos com os veículos, e não constavam nos estudos da agência. Foi explicado ainda que, embora haja autonomia para a realização destes levantamentos, seguidos por audiências públicas com a população, a decisão do prefeito prevalecerá e valor continuará o mesmo em 2017.

Mesmo sob pressão dos empresários do setor, Pinheiro anunciou que somente após melhoras na qualidade do sistema é que a majoração da passagem será debatida.  “Os empresário também têm que dar a sua cota de contribuição. É hora de não sacrificar ainda mais o usuário; o micro e pequeno que paga a sua cota-parte, no vale transporte do trabalhador. Chega de falar em tarifa!”, afirmou em recente entrevista.

De acordo com ele, em audiência com empresários da Associação Matogrossense dos Transportadores Urbanos (MTU), foram discutidas outras formas de manter o equilibro econômico-financeiro do sistema. “Por exemplo, o pagamento em dia do passe livre; regular o sistema, entre o transporte convencional e ao alternativo. Fazendo o alternativo funcionar como alternativo, e não um concorrendo com o outro.”

 Em 2016 a majoração no preço da passagem de ônibus na Capital passou a valer em fevereiro, depois que o Conselho Participativo da Arsec aprovou a quantia de R$ 3,60. À época o debate considerava a isenção de impostos para a aquisição do combustível, o que poderia encarecer em R$ 0,20 o valor.
 

3 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Victor
    17 Fev 2017 às 09:34

    Aumentar a tarifa? Como assim? Já dispensaram todos os cobradores, o dinheiro que eles estão ganhando por não ter mais que pagar cobradores é enorme e ainda querem lucrar mais, ta achando que cuiabano é palhaço mesmo.

  • TANIA
    16 Fev 2017 às 14:29

    E IMPOSSÍVEL AUMENTAR ESSA TARIFA...... ÔNIBUS SEM CONDIÇÕES NENHUMA DE TRÁFEGO...PASSAGEIROS SENDO LEVADOS DE MANEIRA MAIS CRUEL E DESUMANA POSSÍVEL....

  • Alegria
    16 Fev 2017 às 09:54

    Parabens Sr. Prefeito por não ceder a pressão desses empresários.

Sitevip Internet