Olhar Direto

Terça-feira, 30 de maio de 2017

Notícias / Cidades

Bebê de 2 meses torturado em ritual deixa o hospital com agulhas ainda no corpo

Da Redação - Wesley Santiago

16 Fev 2017 - 08:38

Foto: Reprodução

Bebê de 2 meses torturado em ritual deixa o hospital com agulhas ainda  no corpo
A bebê de apenas três meses, que foi submetida a um ritual religioso e teve três agulhas introduzidas no corpo, deixou a Santa Casa de Rondonópolis (215 km de Cuiabá) após dois meses internada. Os médicos deram alta para a vítima, que permanece com os objetos dentro do corpo. A avó materna é quem ficará responsável pela criança, já que os pais foram presos e indiciados pelo crime.

Leia mais:
Bebê torturado em ritual está há mais de 30 dias com agulhas na cabeça e abdome
 
Durante quase todo o tempo em que ficou na Santa Casa, a criança permaneceu na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Ao todo, foram quatro procedimentos cirúrgicos para tentar retirar os objetos do corpo. Porém, apenas a agulha do abdômen foi retirada, já que havia risco de lesões irreversíveis na cabeça.
 
Mesmo tendo recebido alta, a criança continuará passando por acompanhamento da equipe médica. A avó materna será a responsável por cuidar da bebê, após determinação da Vara da Infância e Adolescência da Comarca de Jaciara. Os pais foram presos e indiciados pelo crime de tentativa de homicídio.
 
O caso
 
A Polícia Civil de Jaciara foi acionada pelo Conselho Tutelar na noite de segunda-feira, 12 de dezembro de 2016, sobre o fato que teria acontecido no domingo (11). Os conselheiros receberam denúncia da equipe médica do Hospital Municipal de Jaciara sobre suspeita de tortura contra A.L.J.S, 03 meses de idade.
 
O pai da menina foi preso na terça-feira (13), Wellinton de Jesus Costa, 28, é suspeito de aceitar receber o valor de R$ 250 para submeter a filha ao ritual que foi conduzido por Iraci Queiroz dos Santos, 42 anos, conhecida como “Baiana”, e que foi presa no mesmo dia, na cidade de São Pedro da Cipa.
 
Quatro mandados de prisão temporária foram expedidos pelo Judiciário na quarta-feira (14), após representação da autoridade policial, dois deles em desfavor de Welliton e Iraci. Foram presos também Débora Queiroz dos Santos e Ricardo César dos Santos, filha e genro de "Baiana", que teriam participado do ritual.
 
A mãe da vítima, a menor C.S.S, 17, foi apreendida na quinta-feira (15). Ela vai responder a ato infracional análogo a tentativa de homicídio. A adolescente foi encaminhada ao Complexo Pomeri, em Cuiabá.

Indiciados

Os pais da menina de três meses que teve agulhas introduzidas em seu corpo, Wellinton de Jesus Costa, 28, e C.S.S, 17,  foram responsabilizados pelo crime, cometido no município de São Pedro da Cipa (148 km de Cuiabá) no início de dezembro de 2016. Além deles, outras três pessoas foram apontadas pelo envolvimento na ação, cometida durante um suposto ritual religioso. Os quatro adultos responderão por tentativa de homicídio triplamente qualificado e corrupção de menores, já que a mãe do bebê é uma adolescente. 

1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • El Cid
    16 Fev 2017 às 09:17

    Isso é religião? Isso é culto ao satanás, coisas de gentalha! O Brasil precisa instituir a pena de morte para certos tipos de crime, principalmente com inocentes.

Sitevip Internet