Olhar Direto

Sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Notícias / Política MT

Salgadeira deve ser incluída em TAG com Tribunal e retomada é prevista para abril

Da Redação - Wesley Santiago

16 Fev 2017 - 12:15

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Salgadeira deve ser incluída em TAG com Tribunal e retomada é prevista para abril
O secretário de Estado das Cidades, Wilson Santos (PSDB), reforçou a solicitação de inclusão dos contratos do Centro de Treinamento Rubens do Santos, o COT do Pari, e da revitalização da Salgadeiras nos Termos de Ajustamento de Gestão (TAGs), firmados entre o Governo do Estado, empresas e Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT). O gestor da pasta esteve reunido em audiência com o presidente do Tribunal, Antônio Joaquim, na terça-feira (15). A reunião também contou com a participação do secretário-adjunto de Turismo, Luiz Carlos Nigro. Juntos, os dois projetos somam R$ 38 milhões.

Leia mais:
“COT do Pari está abandonado há dois anos, foi depredado e saqueado”, diz Wilson; TAG deve sair neste mês
 
Ao todo, são 22 TAGs, que foram homologados em fevereiro de 2016, pelo Tribunal de Contas, sendo que 18 deles são referentes a obras físicas. A Secid já havia solicitado a ampliação dos termos no final de 2016. “Sem a orientação e o apoio do Tribunal de Contas, essas obras continuarão encalhadas. E nós encontramos aqui um presidente extremamente maduro e experiente, que está de portas abertas e se irmanou nesse desejo nosso de encontramos, juntos, soluções para retomarmos as obras do chamado COT Pari e da Salgadeira”, explanou Wilson Santos.
 
“Nós já temos 22 TAGs e pedimos ao presidente Antônio Joaquim a inclusão de mais dois. Tenho certeza que com a experiência, sensibilidade e espírito público ele levará ao Plenário (TCE) os desejos da Secretaria das Cidades e esperamos, até final de março, termos o parecer do Tribunal e a autorização para reajustarmos a gestão e retomarmos essas duas obras”, complementou o secretário”, completou Wilson.
 
A expectativa é retomar os trabalhos até abril. O presidente do TCE, Antônio Joaquim, assumiu a coordenação dos TAGs da Copa, após pedido do conselheiro José Carlos Novelli para se afastar da função. “Não vejo dificuldade. Tem essa proposta tramitando (no TCE), como estou assumindo hoje essa coordenação, vamos nos inteirar e leva-la ao Plenário. A princípio, não vejo dificuldade em agregar mais essas duas obras, passando para 24 TAGs”, externou.
 
A solicitação da integração das duas obras nos TAGs deve-se à judicialização dos contratos em questão. Com o aval do TCE, essa situação pode ser, enfim, resolvida.
 
Orçada em R$ 37,1 milhões, a obra do Centro Oficial de Treinamento Rubens dos Santos, em Várzea Grande, parada desde 2014, já teve R$ 21 milhões repassados ao Consórcio Barra do Pari, que tem como líder a empresa Engeglobal. Cerca de 70% dos serviços estão concluídos. O COT do Pari abrigará treinamentos da Polícia Militar. Além disto, também serão realizados jogos do Operário no local.

“No COT do Pari, as coisas começaram todas erradas. As plantas do projeto estavam erradas. Quando você projeta mal, obvio que trará consequências”, disse o secretário. Ele ainda lembra que o local está abandonado há mais de dois anos e foi “depredado e saqueado”.

Wilson também diz que a empresa responsável pelas obras “fez uma série de alegações. Fomos até o Tribunal de Contas do Estado (TCE), que aceitou que se fizesse o Termo de Ajustamento de Gestão (TAG). O conselho tem a minuta pronta desde dezembro, mas só em fevereiro é que deve ser aprovado em plenário, por conta do recesso”.
 
As obras de revitalização da Salgadeira foram iniciadas em 2014, com previsão de entrega até a Copa do Mundo e paralisadas em função de inconsistências de projeto. Foram retomadas em 2016, mas paralisadas novamente por questões contratuais. Na época, os trabalhos estavam sendo tocados pelo Consórcio Salgadeira, formado pelas empresas Farol Empreendimentos e Ypenge Projetos Florestais e Ambientais, que deixou a obra após o fim do contrato, em julho de 2016. Os serviços, inicialmente, foram orçados em R$ 6,3 milhões.

4 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • ELI ROCHA
    17 Fev 2017 às 11:10

    Lamentável ... Acho que esse problema com a Salgadeira foi falta de um TVC das administrações públicas envolvidas com o assunto.

  • Junior
    17 Fev 2017 às 01:09

    E de TAG em TAG vamos sendo enrolados por mais alguns anos. Tanto papel, nomenclatura e termos que no final mostram que não leva em benefício nenhum, Mato grosso podia estar arrecadando com o turismo tendo uma vasta riqueza a apenas 65 km de sua capital, porém nessas horas vejo que precisamos na verdade é de gestores e não políticos para ocupar o lugar que damos a eles através do voto

  • El Cid
    16 Fev 2017 às 14:21

    Salgadeira, VLT, Ferrovia Norte Sul, ZPE de Cáceres e outras obras e projetos ha mais de 30 anos parados, serão concluídos somente em 2080! Quem duvida?

  • Léo
    16 Fev 2017 às 12:42

    Blá, blá, blá... Vôte, credo, cruz!

Sitevip Internet