Olhar Direto

Sexta-feira, 28 de abril de 2017

Notícias / Política MT

Deputados federais de MT defendem alterações na reforma da previdência

Da Redação - Jardel P. Arruda

20 Mar 2017 - 15:05

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Deputados federais de MT defendem alterações na reforma da previdência
Pelo menos quatro dos oito deputados federais de Mato Grosso deverão defender alterações na Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 287/2016, que trata da reforma da Previdência Social. A proposta enviada ao Congresso pelo presidente Michel Temer (PMDB) trás temas como o aumento da idade mínima para aposentadoria a partir dos 65 anos, sendo 49 anos de tempo de contribuição; igualdade entre homens e mulheres, trabalhadores do campo e da cidade e o fim da aposentadoria especial de professores e policiais militares.

Leia mais:
Regime de recuperação deve obrigar Mato Grosso a aumentar alíquota previdenciária

Além do deputado federal Ságuas Moraes (PT), que se coloca como mais ferrenho opositor a PEC 287 entre os parlamentares de Mato Grosso, Fabio Garcia (PSB), Adilton Sachetti (PSB) e Nilson Leitão (PSDB) também deverão engrossar o coro contra o texto original da reforma. No caso dos parlamentares do PSB, a sigla trabalha em um substitutivo integral para a PEC.

“Nós estamos apresentando um projeto substitutivo com muitas alterações, principalmente no texto da Reforma da Previdência que vai expor a posição do PSB com relação a esse tema. Temos muitas diferenças como na questão da aposentadoria rural, na questão da obrigatoriedade dos 49 anos para aposentadoria integral, temos questionamentos quanto à regra de transição. Então a gente tem alguns pontos que nós estamos tentando resolver”, pontuou Fábio Garcia, presidente do PSB em Mato Grosso.

No mesmo caminho deve seguir o deputado Adilton Sachetti, correligionário de Garcia. Uma postura parecida, mas radicalmente contra é a de Ságuas Moraes. O deputado federal do PT chama a PEC 287 de “pacote de maldades” e alerta o risco de muitos brasileiros, especialmente trabalhadores rurais, não conseguirem nunca alcançar a aposentadoria integral. “Não se trata de reforma, mas desmonte da previdência”, asseverou Ságuas, em várias ocasiões.

Em uma linha amena, mas ainda assim a favor de modificações no texto original, está o deputado federal Nilson Leitão. Ele ressalta que o Congresso costuma alterar maioria absoluta dos projetos e que não será diferente do texto da PEC 287 em busca de suavizá-lo.

4 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Misrael
    21 Mar 2017 às 01:12

    Que os políticos não venham destruir os meus sonhos e de muitos q já trilharam mais da metade do tempo de contribuição. Devido a condição social da família, trabalho desde os 6 anos e assim como eu tem muitos e com o passar do tempo o corpo cobra pelo o esforço precoce. Estou de olho em todos os deputados e senadores de nosso estado e todos q votarem contra o interesse da população , considere-se politicamente morto.

  • Brasil
    20 Mar 2017 às 17:52

    Quem votar contra o povo brasileiro nunca mais será eleito para nada.

  • João
    20 Mar 2017 às 16:06

    Os congressistas da atual legislatura podem até ter amparos legais para opinarem quanto a uma eventual reforma da previdência. No entanto, estão extremamente desprovidos de CUNHO MORAL para reformá-la.

  • GERALDO
    20 Mar 2017 às 15:35

    Deputados não esqueçam que a viúvas tem milhares de votos

Sitevip Internet