Olhar Direto

Quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Notícias / Política MT

Paulo Taques assegura que governo nunca interferiu em relatório de CPI e pede definição da AL

Da Redação - Ronaldo Pacheco

19 Abr 2017 - 14:40

Foto: Rogério Florentino Pereira / Olhar Direto

Paulo Taques assegura que governo nunca interferiu em relatório de CPI e pede definição da AL
O secretário Paulo Zamar Taques, chefe da Casa Civil, afirmou que o governo de Mato Grosso jamais tentou interferir ou alternar conteúdo, na votação do relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Obras da Copa do Mundo, na Assembleia Legislativa. “O governo respeita plenamente o trabalho que a CPI produziu. E, por tanto, da parte do governo [para retomada das obras do VLT] fizemos um trabalho que incluiu a Procuradoria Geral do Estado, a Secretaria de Estado das Cidades e a Controladoria Geral do Estado”, citou o chefe Casa Civil.

Leia Mais:
- Wilson Santos defende que Consórcio não é único culpado pelos problemas da obra do VLT

- Deputado pede anulação de título de cidadão concedido a Lula e petista defende ex-presidente
 
“Vamos mandar uma cópia para a CPI, se os deputados assim o quiserem, sim, podemos enviar”, disse Paulo Taques, para a reportagem do Olhar Direto.
 
O chefe da Casa Civil enfatizou que o governador José Pedro Taques defende que o relatório seja votado para que a obra do VLT seja retomada logo. “Não fizemos nenhuma ingerência com deputados da base para mexer ou alterar ou mudar qualquer trecho do relatório”, observou ele, sem entrar no mérito da questão, quanto às falhas apontadas pela CPI.
 
“Fizemos um trabalho com Secid, PGE e CGE, e enviamos para o Ministério Público Federal e Ministério Público do Estado. E, assim, o governo espera que o relatório seja votado para que a obra seja retomada”, emendou Taques.  
 
A CPI apontou possíveis prejuízos de R$ 541,11 milhões para o Tesouro de Mato Grosso, com as obras da Copa do Pantanal Fifa 2014. E o rombo é dividido em R$ 110 milhões na Arena Pantanal, mais de R$ 115 milhões em mobilidade e cerca de R$ 315 milhões com o Veículo Leve sobre Trilhos.
 
O governo de Mato Grosso firmou novo compromisso com o Consórcio VLT – no valor de R$ 922 milhões –  e garante que possibilitou uma economia de R$ 500 milhões. O acordo prevê a retomada das obras em maio de 2017, com expectativa de que até o final de 2018 a primeira etapa do VLT esteja em funcionamento.

9 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Tulio Rodrigo
    20 Abr 2017 às 18:30

    Sabemos como funciona o modo de trabalho do governador, e não é esse. Wilsinho agiu pela própria cabeça.

  • Isabel
    20 Abr 2017 às 18:22

    Sabemos como funcionou a ida do Wilson para a AL, Taques foi contrário, mas ele decidiu voltar assim mesmo.

  • Leia couto
    20 Abr 2017 às 18:16

    O governador conhece o potencial de Wilson Santos mas como ele bem se pronunciou que não era de acordo com sua volta para ALMT.

  • Gugu
    20 Abr 2017 às 17:02

    Acredito que Taques ficou sem seu melhor secretário.

  • Manoel silva
    20 Abr 2017 às 17:01

    Mesmo sabendo da competência de Wilson o governador foi contra a volta dele assembleia.

  • Maria Fernanda
    20 Abr 2017 às 15:12

    Tá mais que claro que essa posição foi de Wilson e não de Pedro. Eles queriam acelerar o processo mais a atitude de governo é diferente!

  • Davi
    19 Abr 2017 às 22:50

    Assim como na indicação de Permínio Pinto a SEDUC Taques e Wilson Santos estão juntos novamente. Se a articulação estivesse sendo feita somente por WS o deputado Oscar Bezerra não estaria preocupado, mas no fundo ele sabe que o Wilson Santos atua em nome do imperador do Estado.

  • Luciano
    19 Abr 2017 às 22:42

    Realmente não há interferência e sim mando bando de covardes nossos deputados e vamos celebrar as arbritrariedades desse governo a empresa é de qual deputafo

  • Carlos Nunes
    19 Abr 2017 às 15:33

    Resta saber o que interferência pra esse governo...seria por acaso Secretário de Estado deixar o cargo e ir correndo pra Assembleia, pra ver se muda conclusão do Relatório, porque recomenda Paralisação da Obra do VLT. A gente nem conhece o teor do Relatório, mas já foi ventilado nos sites que houve na Obra do VLT "superfaturamento" em torno de R$ 300 Milhões de reais. Só 300. Vão encontrar um osso duro na frente, o Deputado Oscar Ribeiro, esposo da Deputada que fez um Relatório a parte na CPI do MT Saúde, porque a CPI só pegou lambaris, e ela indicou tubarões. Vamos ver se essa CPI não acaba como a maioria das CPIs no Brasil, segundo o Boris Casoy, já disse em rede internacional: termina em PIZZA com sobremesa de MARMELADA.

Sitevip Internet