Olhar Direto

Quarta-feira, 26 de abril de 2017

Notícias / Cidades

Crianças e idosos estão entre as vítimas de chacina que deixou até dez mortos, diz secretário Rogers

Da Redação - Patrícia Neves

20 Abr 2017 - 13:50

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

Crianças e idosos estão entre as vítimas de chacina que deixou até dez mortos, diz secretário Rogers
O secretário de Segurança Pública, Rogers Jarbas, informou nesta tarde que pessoas encapuzadas invadiram uma área  pertencente a região de Colniza  (a 1.18 km de Cuiabá) e mataram dez pessoas, entre crianças, adultos e idosos.   A localidade é conhecida como  Gleba Taquaraçu do Norte e fica distante a cerca de 200 km da sede da cidade. Em 2011, o local já foi palco da expulsão de cerca de 700 famílias. 

Para apurar a situação, o secretário determinou ainda que um helicóptero se deslocasse para a região, mas em razão do tempo não foi possível que ele decolasse. 

Leia Mais:
Preso pela segunda vez por crimes contra mulheres, procurador da AL poderá ser exonerado

Assim que for possível, um delegado da Polícia Civil, além de um oficial da Polícia Militar e peritos criminais irão se deslocar para a localidade para dar início aos procedimentos de investigação. Inquérito será instaurado para que ocorra a identificação dos pistoleiros. 

A primeira informação quanto a chacina chegou ao Comando Regional VIII da Polícia Militar. Ainda segundo a PM, uma equipe do Grupo de Operação Especiais de Rondônia também teria se deslocado para a região.

Taquaruçu do Norte fica em uma área de conflito, em que cerca de cem famílias estão abrigadas. Há informações preliminares, que ainda carecem de confirmação, de que um grupo denominado de “Encapuzados” faz a segurança de fazendeiros da região.


Atualizada 15h02

1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Nícolas
    20 Abr 2017 às 17:01

    Nós seres humanos deveríamos ser mais solidários com o próximo, incrível como falta amor. Eu sou cuiabano e moro em Cuiabá, entendo que o trabalho que a Polícia Militar e Civil fazem é um dos mais nobres, colocar em risco a própria vida para proteger a sociedade. Entendo que a gestão da Secretaria de Segurança Pública deveria promover um maior contingente para o interior. Eu sou funcionário público federal já trabalhei no interior e sei o quanto é difícil conseguir uma remoção do interior para a capital (todo mundo quer trabalhar na capital) a gestão deveria flexibilizar melhor as remoções, fazer acordos de trabalhos em que o Policial que queira trabalhar por 6 meses por exemplo tenha seu salário dobrado e retorne a exercer seu ofício na capital quando quiser. É fato que no interior do Brasil já houve casos de ter somente dois policiais de plantão. Porque os bandidos preferem assaltar os bancos do interior? Lamentavelmente essa falta de contingente é maléfica inclusive para os profissionais da segurança pública, imaginem se revolvem um grupo de bandidos atentarem contra a vida deles? as rondas de policiais em maior número é muito mais seguro para todos, para o policial, para a sociedade, e até para o transgressor da lei. Defendo também que os policiais que trabalham nas motocic

Sitevip Internet