Olhar Direto

Terça-feira, 27 de junho de 2017

Notícias / Política MT

Marrafon garante que concurso para professores impactará pouco na folha de pagamento

Da Redação - Jardel P. Arruda

12 Jun 2017 - 18:06

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

Marrafon garante que concurso para professores impactará pouco na folha de pagamento
O secretário de Estado de Educação, Marco Marrafom rebateu os críticos do concurso para cinco mil novos professores na rede pública estadual garantindo que haverá um impacto pequeno na folha salarial. Isso porque, segundo ele, não haverá incremento de professores, mas sim uma troca do vínculo jurídico do temporário para o efetivo.

Leia mais:
- Dilmar afirma que Taques não fará nova proposta de RGA, mas Adolpho admite conversa com Gustavo

“Estamos argumentando e mostrando com números claros é que a diferença, pelo menos nos primeiros três anos, entre o temporário e o concursado é muito pequena. Chega no máximo a 16%. Não haveria esse empecilho em termo de responsabilidade fiscal. Acima de tudo, nosso compromisso é com a qualidade do estudo”, ponderou Marrafon, nesta segunda-feira (12), durante lançamento do projeto Muxirum.

De acordo com Marrafon, atualmente existem cerca de 13 mil vínculos de professores temporários na rede pública estadual de Mato Grosso. Esse número beira 60% do quadro total de profissionais, o dobro do recomendável. Para ele, é necessário acabar com esse déficit histórico, além de garantir qualidade na educação dando segurança melhor condição de trabalho ao professor.

“Temos um compromisso inarredável com a educação e com os profissionais da educação. Vamos lutar para os profissionais da educação terem melhores condições de trabalho. A lei determina que se faça o concurso e nós vamos buscar implementar isso”, disse.

A expectativa de Marrafon é que, com a efetivação de professores, o Estado possa investir na capacitação deles, levando para sala de aula de escolas estaduais cada vez um número maios de mestres e doutores. Com isso, seria garantida melhora no nível da educação pública em Mato Grosso.

Muxirum da Alfabetização

O projeto Muxirum da Alfabetização busca alfabetizar e devolver dignidade, principalmente às pessoas mais idosas. A meta do Governo do Estado é alfabetizar, até o fim de 2018, 11.200 pessoas em Acorizal, Chapada dos Guimarães, Ipiranga do Norte, Jangada, Nossa Senhora do Livramento, Nova Brasilândia, Planalto da Serra, Tapurah e Várzea Grande.

Para realizar o isso, o Governo do Estado vai investir R$ 3,7 milhões. Os alfabetizadores recebem ajuda de custo de R$ 500 mensais, por turma, podendo atuar em até duas turmas. Para ser selecionado para atuar no programa como alfabetizador, na zona rural, o candidato precisa ter no mínimo o Ensino Fundamental completo e já ter atuado como alfabetizador de jovens e adultos. Já para a zona urbana, o candidato precisa ter no mínimo o Magistério e também ter atuado alfabetizador de jovens e adultos.

11 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • César
    14 Jun 2017 às 08:41

    DURMAM COM UM BARULHO DESSES.

  • César
    14 Jun 2017 às 08:40

    O que causa impacto na folha de pagamento são os morcegos que ficam dependurados nas repartições para agradar os caciques nos municípios...mas quem paga o pato são sempre quem trabalha de verdade, a maioria daqueles comissionados que ficam dependurados no governo nem sequer sabem onde estão lotados, mas o pagamento chega na conta no fim do mês. Goiás é o campeão de comissionados, MT fica pouco atrás.

  • CÉSAR
    14 Jun 2017 às 08:36

    Contrato temporário é voto de cabresto, SEDUC tem mais de 20 mil contratos mas não abrem mão de todos de maneira alguma.

  • Coerência
    13 Jun 2017 às 09:15

    O que mais existe na SEDUC são professores contratados, basta substituí-los por professores CONCURSADOS. No último concurso (do Mággico, com mais de 10 mil vagas), tive 8 clientes que eram ao mesmo tempo PROFESSORES CONTRATADOS e estavam APROVADOS E AGUARDANDO A CONVOCAÇÃO PARA POSSE, e com liminares ou não, todos tomaram posse. Ou seja, 8 professores deixaram de ser contratados e passaram a ser EFETIVOS. Sempre haverão professores contratados (substituição por férias, etc...), mas o percentual tem de diminuir, creio que hoje deve beirar a mais de 60% de professores contratados!

  • Gustavo
    13 Jun 2017 às 06:23

    Pouco ?? Quantos milhões ??? E não compromete mais ainda a LRF ??? Aí não tem para dar aumento mais tem para fazer concurso ..???

  • Lourival
    12 Jun 2017 às 22:53

    2018 renovacao total executivo e legislativo!!

  • Atylla
    12 Jun 2017 às 20:57

    E os milhares na Seduc qie recebem 5000 por mes sem fazer nada??? Esses sim impactam! Queremps concurso pra carreira Desenvolvimento social ! Acabar com esse povo com diploma de cursos tecnologos, sem qualificacao nenhuma, que estao mamando 5000 por mes porque conhecem um deputado ou alguem do governo! Deviam os professores ganhar um salario desses(5000) nao esse povo a toa!! Kd o mp, tce, cge???? Principio da isonomia, governo da "legalidade". Taques hipocrita, ta fazendo pior que o pt! Olhem o Diario oficial diariamente meu povo e leiam muvuca!

  • Marlene Rodrigues da Silva
    12 Jun 2017 às 20:54

    É um Desrespeito o que esse governo está fazendo com os funcionários do estado, pagar RGA de Jeito nenhum, inchar a Folha de cabo eleitoral pode, só cego não vê isso, ele mesmo disse que está sobrando proficional na educação do Estado, sem essa Gente.

  • Marlene Rodrigues da Silva
    12 Jun 2017 às 20:48

    JoaquimMa

  • Roger
    12 Jun 2017 às 19:59

    Para fazer concurso os servidores não comprometem o limite de gastos, nem mesmo 5 mil e 700 professores, mas para pagar a RGA são rotulados de vagabundos e por comprometer o limite de gastos. Este DESgoverno precisa ser mais coerente.

Sitevip Internet