Olhar Direto

Quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Notícias / Política MT

Fabio Garcia diz que Sobram motivos para deixar PSB e classifica volta de Valtenir como “incoerência absurda”

Da Redação - Jardel P. Arruda

14 Jun 2017 - 17:59

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Fabio Garcia diz que Sobram motivos para deixar PSB e classifica volta de Valtenir como “incoerência absurda”
Após ser destituído do cargo de presidente do PSB em Mato Grosso e ver Valtenir Pereira, antigo desafeto político, ser convidado a voltar ao partido e assumir seu antigo posto, o deputado federal Fabio Garcia (PSB) afirmou, nessa quarta-feira (14), que sobram motivos para ele o seu grupo político, liderado por Mauro Mendes (PSB), deixarem a sigla e procurar espaço em outra agremiação.

Leia mais:
Valtenir Pereira volta para o PSB como presidente estadual e grupo de Mendes e Botelho deve debandar

Uma decisão sobre isso pode ser tomada no sábado (17), quando o grupo deverá se reunir. A ideia e que todo o bloco liderado por Mauro Mendes tome uma decisão conjunta e siga junto, seja para ficar no PSB – opção menos provável -, ou mudar para outro partido.

“Motivos sobram, depois do tratamento desrespeitoso que os nossos membros tiveram por parte do presidente do partido”, asseverou, principalmente a respeito dos deputados estaduais e de Mauro Mendes, que também eram membros da Executiva Estadual que foi dissolvida após Fabio Garcia e deputado federal Adilton Sachetti desobedecerem a Executiva Nacional da sigla e votarem a favor da reforma trabalhista.

Para Fabio Garcia, é uma “incoerência absurda” a decisão do presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, de filiar o deputado Valtenir Pereira de volta às fileiras do Partido Socialista Brasileiro. Pereira foi filiado ao PSB até 2013, quando foi decidiu seguir para o PROS, tendo passado em seguido pelo PMB até filiar-se ao PMDB, onde atuou como aliado de primeira hora do deputado federal Carlos Bezerra (PMDB).

“O que fica claro, é que existem outras motivações que não são ideológicas, que não são em defesa de um partido forte até porque o Valtenir já foi presidente desse partido e o deixou cheio de dividas, arrasado, largou vários companheiros para trás e levou embora os poucos prefeitos que ele havia feito. Enquanto nós construímos um partido forte com dois deputados federais, 16 prefeitos, cinco deputados estaduais e 142 vereadores”, exclamou Garcia.

De acordo com ele, uma das coisas que comprovam que a dissolução do diretório estadual do PSB teve motivos obscuros além da desobediência na votação da reforma trabalhista é o fato de o próprio Valtenir Pereira também ter a favor da matéria, de forma contrária ao pensamento da Executiva Nacional do PSB.

“Depois de uma incoerência absurda que alegava que o motivo do desconforto, da controvérsia, era o posicionamento meu e do deputado Adilton em relação a Reforma Trabalhista, mas que depois convidou um deputado para vir pro partido, que da total apoio ao Governo Michel Temer, tem inúmeros cargos no Governo Michel Temer, apoiou o Governo do PT, foi contra o impeachment da presidente Dilma e votou a favor da Reforma Trabalhista. Tudo que o PSB não defendeu”, analisou Garcia.

13 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Chico
    16 Jun 2017 às 12:58

    A executiva nacional troca o diretório estadual e leva o partido para a oposição, neste contexto o Mauro Mendes não pode ser acusado de se afastar de Pedro Taques e se lançar ao governo. Bastante coveniente e uma saída para Mato Grosso. Algo me diz que ninguém sai, tudo não passa de encenação.

  • Chico
    16 Jun 2017 às 12:20

    A executiva nacional troca o diretório estadual e leva o partido para a oposição, neste contexto o Mauro Mendes não pode ser acusado de se afastar de Pedro Taques e se lançar ao governo. Bastante coveniente e uma saída para Mato Grosso. Algo me diz que ninguém sai, tudo não passa de encenação.

  • Luis
    16 Jun 2017 às 10:14

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Joao Mattias Neto
    16 Jun 2017 às 10:09

    Venham para o PPS, vamos reestruturar este partido e enfrentar estes traidores.

  • vitor
    15 Jun 2017 às 14:05

    O Valtenir junto com ságua pra mim é o melhor deputado que atua em MT.

  • Túlio
    15 Jun 2017 às 13:17

    Deputado inexpressivo este Garcia. Sempre às sombras de Taques, sem posicionamento próprio, nunca defende as posições do partido. É um tucano no lugar errado.

  • Lúcio
    15 Jun 2017 às 13:15

    Vc gosta tanto do Taques, sempre faz tudo o que ele manda, porque não vai pro PSDB logo??? No PSB não fará falta.

  • Monteiro
    15 Jun 2017 às 13:05

    Vai tarde Fábio Garcia, nas próximas eleições vamos divulgar as obras realizadas pela Enge global e sua atuação pífia no congresso!!

  • Róger
    15 Jun 2017 às 09:43

    Traição foi o que o Mauro Mendes fez ao Valtenir. O Valtenir o convidou para o partido, lhe apoiou em todos os municípios na campanha contra o Silval e foi expulso do partido pelo grupo de Mauro Mendes.

  • Davi
    15 Jun 2017 às 09:34

    Vai tarde Fábio Garcia, chama o Mauro Mendes e o Botelho e pega descendo. São três figuras que não tem qualquer afinidade com a plataforma do partido, que atuam somente em defesa do empresariado e são subservientes aos interesses do PSDB. O PSB é maior que isso e deve a nível nacional não estar no apoio do candidato do PSDB (tanto Alckmin quanto João Dória mostraram fua face ao apoiar a manutenção do partido no apoio ao governo Temer, envolvido na Operação Lava Jato).

Sitevip Internet