Olhar Direto

Terça-feira, 25 de julho de 2017

Notícias / Cidades

Dos caminhoneiros que passam pela BR-163 em MT, 75% estão acima do peso

Da Redação - Wesley Santiago

30 Jun 2017 - 11:02

Foto: Reprodução/Ilustração

Dos caminhoneiros que passam pela BR-163 em MT, 75% estão acima do peso
O estilo de vida dos motoristas de caminhão e carreta é o grande responsável por um intrigante número obtido pela Concessionária Rota do Oeste. Dos caminhoneiros que passam pela BR-163, em Mato Grosso, 75% estão acima do peso. Esta realidade é preocupante, pois pode levar ao desenvolvimento de problemas de saúde graves, como doenças cardiovasculares, renais, hepáticas, entre outras.

Leia mais:
Caminhoneiros em 'racha' quase provocam tragédia em rodovia federal; veja
 
O levantamento feito pela concessionária aponta que 35% dos motoristas apresentam sobrepeso; 28% apresentam obesidade grau um; 9% estão na faixa de obesidade grau 2 e 3% se enquadram no patamar de obesidade grave. Os dados foram coletados no decorrer de 2016 durante o programa Parada Legal do Oeste, que leva ações de saúde a este público, que representa mais de 60% dos motoristas que trafegam pela rodovia.
 
A boa notícia para este Dia dos Caminhoneiros, comemorado em 30 de junho, é que essa realidade pode mudar. A médica nutróloga Gabriela Coutinho destaca que o excesso de peso, na maioria dos casos, está relacionado à alimentação rica em carboidratos e gorduras, aliada a falta de exercícios físicos.

“Este público específico tem um agravante que é o consumo de bebida alcoólica com certa frequência, nos momentos que estão descansando. A combinação de uma dieta desregrada com a bebida aumenta muito as chances do aparecimento de doenças cardiovasculares, infartos fulminantes, crises hipertensivas, aumento do estresse, sem contar problemas no fígado e rins”.
 
A especialista ainda salienta que uma dificuldade encontrada pelos caminhoneiros durante as viagens é a oferta de uma alimentação balanceada, uma vez que os restaurantes existentes nas rodovias oferecem refeições gordurosas, com muito carboidrato e pouca opção de legumes e verduras. “Uma recomendação seria o caminhoneiro preparar a sua refeição, como era muito comum no passado. Dá mais trabalho, mas é possível levar uma geladeirinha e um fogão pequeno no caminhão para ter essa alimentação mais adequada”.
 
Outra opção é a escolha por alimentos mais saudáveis, aumentando a ingestão de legumes e verduras e reduzindo o que faz mal à saúde e favorece o aumento de peso. “O acompanhamento médico é importante também para adotar as medidas saudáveis de forma orientada. Em alguns casos é necessário até mesmo fazer o uso de medicamentos para auxiliar na perda de peso. Mas isso deve acontecer somente com recomendação de um especialista para evitar outros problemas”.
 
Com 160 quilos, o caminhoneiro Ely Bezerra, 30 anos, faz parte do grupo que está acima do peso e busca mudança. A alteração na alimentação e a preocupação com a saúde o levaram a perder 15 quilos nos últimos cinco meses. Relata que permaneceu oito meses sem trabalhar para focar na qualificação profissional e engordou muito nesse período. Junto com o excesso de peso veio o aumento na taxa do colesterol e a preocupação.
 
“Parei de jantar e cortei os alimentos gordurosos, ainda não consegui parar de beber refrigerante, mas estou cuidando para emagrecer ainda mais. Passei a ficar preocupado com o peso quando vi o colesterol subindo. O médico avisou que precisava emagrecer para melhorar a saúde”, comenta.
 
Bezerra está entre os 2.200 caminhoneiros que foram atendidos pelo Parada Legal realizado na BR-163. Para ele, a iniciativa da Rota do Oeste de levar atendimento médico ao local de trabalho do motorista profissional, que é a rodovia, é muito importante. “Nós nunca temos tempo para ir ao médico. Estamos sempre trabalhando e a saúde acaba em segundo plano. Quando o atendimento médico vem até nós, fica muito mais fácil”.
 
A médica nutróloga Gabriela complementa que esta pode ser o ponto de partida para que o caminhoneiro passe a cuidar da saúde. “Muitos nem sabem dos problemas de saúde e mudam de vida quando tomam conhecimento da situação. É importante que ocorram essas ações sim, é uma forma deles ficarem sabendo como está a saúde e o que podem fazer para melhorar”.
 
Pesquisa e perfil

A pesquisa realizada no Parada Legal demonstra ainda que 65% dos caminhoneiros que passam pela BR-163 têm circunferência abdominal acima de 94 centímetros, 33% estão com colesterol alto, 16% tem pressão arterial alterada e somente 33% praticam algum tipo de atividade física.
 
Os casados são a maioria, 68% têm esposa e filhos. Sobre o grau de escolaridade, os dados demonstram que 58% completaram o Ensino Fundamental, 40% concluíram o Ensino Médio e 2% fizeram faculdade.
 
Parada Legal

O programa é realizado pela Rota do Oeste em parceria com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), desde 2014, com foco na segurança, saúde a conscientização nas rodovias. A iniciativa oferece ao motorista exames de visão, audiometria, glicemia, colesterol, eletrocardiograma, verificação de pressão arterial, frequência cardíaca e saturação de oxigênio, cálculo do índice de Massa Corpórea (IMC).
 
Os participantes também têm a oportunidade de receber massagem, consultar a situação de sua carteira de motorista e assistir a palestras educativas sobre o trânsito ministradas por uma equipe da PRF. Todos os serviços são realizados por meio de parcerias.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet