Olhar Direto

Quinta-feira, 27 de julho de 2017

Notícias / Cidades

Casa da Mãe Joana pede ajuda para permanecer atendendo pacientes soropositivos em Mato Grosso

Da Redação – Vinicius Mendes

17 Jul 2017 - 17:26

Foto: Rogério Florentino Pereira / Olhar Direto

Casa da Mãe Joana pede ajuda para permanecer atendendo pacientes soropositivos em Mato Grosso
A Casa da Mãe Joana, instituição que dá apoio aos portadores do vírus HIV em Mato Grosso, passa por dificuldades para conseguir pagar suas contas todo mês. A entidade sobrevive principalmente com doações de setores da sociedade, como igrejas, escolas e outros grupos, que se mobilizam para tentar manter a casa, que é a única no estado que presta este tipo de ajuda.

Leia mais:
Incêndio destrói parte da Casa Mãe Joana após curto-circuito; voluntários pedem ajuda

A Casa atende mais de 20 pessoas, que residem na sede, e outras 65 de fora. No último dia 8 de julho, um incêndio provocado por um curto circuito destruiu o forro e vários móveis da ala feminina. O prejuízo só não foi maior por que os bombeiros chegaram rapidamente ao local.

O presidente da Casa da Mãe Joana, Paulo Rogério Rodrigues, disse que foram iniciadas reformas em alguns cômodos, mas não na ala feminina.

“A gente até conseguiu uma reforma de um quarto e em um outro cômodo. O muro da frente nós suspendemos, e fizemos a parte elétrica de algumas acomodações, só não conseguimos fazer na ala feminina, e justamente esta ala que pegou fogo”, disse Rodrigues.

Por conta do incêndio, será necessário refazer a parte elétrica, o forro, comprar novos azulejos e móveis, para adequar o dormitório feminino às exigências do Ministério Público Estadual. O MPE exige algumas obras no local, para que a casa possa continuar atendendo.

Algumas obras foram iniciadas, mas permanecem inacabadas. Atendendo às exigências do MPE, foram construídos dois banheiros, que por falta de materiais e dinheiro, permanecem sem finalização. A reforma da lavanderia da casa também não foi concluída.

Paulo Rogério conta que até recebe ajuda do poder público, mas não conseguem sobreviver só com isso.
“A gente tem todo o apoio da área de saúde para os pacientes. Do estado, a gente consegue o aluguel aqui da Casa da Mãe Joana, então todo mês eles pagam esse valor pra nos ajudar. Só que os gastos com contas, alimentação, gás, vale transporte, estas coisas, tudo a gente está se envolvendo com a sociedade, pedindo ajuda”, contou o presidente.

Apesar das exigências, Paulo acredita que o MPE não fechou a instituição porque sabem da importância do trabalho que é feito ali. “Eu acho que eles não fecharam a casa ainda porque é a única casa que dá apoio ao soropositivo no estado de Mato Grosso , não temos outra. Só que eles pediram que nos adequássemos às exigências deles, que é essa questão da reforma. Antigamente quem fazia essa reforma era o Supermercado Modelo, só que como eles fecharam, a gente perdeu esta ajuda, e agora estamos contando exclusivamente com a sociedade nessa questão da manutenção”, contou Paulo.

A última visita feita pelo MPE à instituição foi em 2016. Ainda não foi dado um novo prazo para que a Casa de adeque às exigências.
“Eles já vieram aqui umas três ou quatro vezes. A última foi em 2016 e pediram pra gente tentar melhorar. Pediram para não pegarmos mais ninguém pra atender, ficar nesta quantidade de pessoas até podermos adequar ao que eles estão pedindo. Só que até agora eles não deram um outro prazo, mas a gente está aí, estamos persistindo pra tentar arrumar a casa, espero que eles vejam que a gente está fazendo de tudo pra melhorar o ambiente aqui”, contou Paulo Rogério.

Várias misses do estado irão participar de um evento beneficente, com data a ser divulgada, para ajudar a instituição. Até o momento foram confirmadas Anny Viegas, (Várzea Grande), Bárbara Lopes, (Primavera do Leste), Drielly Malaquias (Cuiabá- 2017), Nicolle Abdla, (Cuiabá -2016), Aline Fontes (Mato Grosso -2017) e Camila Della Valle (Mato Grosso – 2015).

O presidente diz que toda ajuda é importante para que consigam atender às necessidades dos pacientes.
“A gente passa muito apertado mesmo. Tem mês que deixamos de atender uma coisa pra ver outra mais urgente. A sociedade ajuda, mas tem mês que as pessoas não podem. E esse evento é pra ver se conseguimos pelo menos dar um caminho para estes problemas que nós estamos passando”, disse o presidente.

Paulo Rogério pede que a sociedade ajude da maneira que puderem.
“A casa está mais precisando na questão de material pra construção, nós temos um problema sério com gás que usamos, que é muito caro. Vamos precisara gente mudar azulejos, trocar forro. Só que assim, qualquer ajuda que as pessoas puderem dar já é muita coisa, independente de valor, a gente precisa de apoio, independente da forma”, pediu o presidente.

Para ajudar a Casa da Mãe Joana, o contato deve ser feito através dos telefones (65) 999231-9424 ou (65) 3644-3343.

1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Iron Horse
    17 Jul 2017 às 18:22

    Enquanto isso o ex-governador confessa em Juízo ter recebido em propinas 7 milhões em 30 meses. Não está bom assim?

Sitevip Internet