Olhar Direto

Segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Notícias / Política MT

Câmara diz que repasse de R$ 6,7 mi corrige equivoco da gestão passada e não tem relação com CPI

Da Redação - Lucas Bólico

06 Set 2017 - 19:56

Foto: Olhar Direto

Lenine Póvoas é procurador geral da Câmara

Lenine Póvoas é procurador geral da Câmara

A Câmara Municipal de Cuiabá protocolizou defesa à ação do vereador Felipe Welatton (PV) que pede a anulação do repasse de R$ 6,7 milhões feito pela Prefeitura de Cuiabá ao Legislativo.  O procurador geral da Câmara, advogado Lenine Póvoas de Abreu, sustenta que o repasse nada tem a ver com a não instalação da CPI proposta para investigar o prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB), que foi filmado quando era deputado, na legislatura passada, recebendo dinheiro do chefe de gabinete do então governador Silval Barbosa (PMDB). As imagens constam da delação de Silval, que denunciou suposto pagamento de “mensalinho” para manter a governabilidade.
 
Leia também:
Convite para Emanuel explicar vídeo de delação de Silval é indeferido na Câmara
 
A assessoria jurídica da Câmara sustenta que a suplementação orçamentária feita à Câmara apenas corrige um equivoco da gestão passada. “Diferentemente do que forceja fazer crer o AUTOR, o repasse do Poder Executivo ao Poder Legislativo está amparado em Lei”, diz a defesa da Câmara. O Legislativo sustenta que a Prefeitura de Cuiabá teve arrecadação bruta no exercício financeiro de 2016, estimada em R$2.3 bilhões, dos quais R$112.468.700,00 foram destinados ao Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb), remanescendo uma receita líquida de R$2.252.211.393,00. “Desse montante, a Câmara de Vereadores possuí constitucionalmente o direito a receber um percentual do valor que tenha sido arrecadado por determinadas alíquotas, as quais já foram descriminadas em decisão do TCE/MT”, sustenta.
  
O percentual a que o Parlamento tem direito é baseado no número de habitantes. Considerando que Cuiabá possuí uma população entre 500.001 e 3.000.000, a Prefeitura Municipal deve repassar à Câmara de Vereadores 4,5% da sua receita, como estabelece artigo 29 da Constituição Federal. “A formalização dessa transferência é discriminada na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), a qual, para o exercício de 2017, ponderou que a Câmara Municipal teria direito a receber R$42.625.900,00. Entretanto, por razões que fogem à compreensão da atual Gestão, a base de cálculo foi realizada de forma equivocada, mesmo porque a arrecadação da qual incide o duodécimo foi de R$1.096.605.026,75 em 2016, sendo que 4,5% desse valor correspondem a R$49.450.331,18, e não a R$42.625.900,00, demonstrando, portanto, que havia um déficit de R$6.824.431,10”.
 
A Secretaria de Gestão Financeira da Câmara foi quem teria constatado que a saúde financeira do Parlamento estava em defasagem e enviou Comunicação Interna à Presidência, que posteriormente comunicou a Prefeitura, em 17 de agosto, quando o vice-prefeito Niuan Ribeiro (PTB) estava exercendo o cargo, em substituição a Emanuel Pinheiro, que cumpria agenda fora do Brasil.
 
“Oportuno consignar que a constatação dos problemas orçamentários, bem como a formulação do requerimento para suplementação ocorreram antes da divulgação dos vídeos relacionados a delação do ex-Governador Silval Barbosa, uma vez que isso foi noticiado pela imprensa apenas em 24.08.2017, deixando clarividente a ausência de nexo entre as duas situações”, completa o Legislativo. 
 
Duas ações
 
Além da ação movida por Felipe Welatton, outra semelhante, ingressada por Valfran Miguel dos Anjos, também foi protocolizada, também sendo respondida pela Câmara com os mesmo argumentos. A assessoria Jurídica do Legislativo sustenta que não há elementos suficientes que liguem o “abafamento” da CPI com o repasse. “Não há qualquer comprovação ou fundamento jurídico idôneo para se chegar a tal conclusão, deixando transparecer que se trata de mero inconformismo pelo fato do vereador não ter conseguido o número de assinaturas suficientes para a abertura da CPI.

7 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • gustavo santos
    08 Set 2017 às 09:25

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • MARCO
    07 Set 2017 às 12:28

    Sr. advogado Lenine Póvoas de Abreu vai contar historia pra boi dormir, o povo não aguenta mas esses tipos de gentes, vamos conscientizar e saber votar, chega desse tipo de pessoas.

  • Gustavo
    07 Set 2017 às 07:35

    E assim q se compra com repasse , canalhas ipocritas eleitos pelo povo. p legislar em seus intereses próprios benefícios e do prefeito

  • Um cidadão digno dessa cidade e
    07 Set 2017 às 07:13

    Lenine o povo acredita em voce fica achando isso e durma feliz...tente convencer a sua familia olhando olhos nos olhos de cada um que esta antenado nesse assunto , se conseguir ver a verdade , ok.....Lenine , o povo não é besta e esse tipo de politica estamos cansados , do toma la da cá , com isso aqueles abutres só pensam neles e que se dane o povo ...Lenine , pessoas morrem todos os dias nos corredores daquele inferno que é chamado de pronto socorro ...Lenine , milhares e milhares de familias tem que diariamente conviver com a falta de estrutura nos seus bairros , acredite meu caro , isso é indigno para um cidadão e revoltante quanto esses estão em dia com seu IPTU....Lenine , esses caras só pensam no bolso deles meu caro

  • Luiz
    07 Set 2017 às 06:29

    Tá bom. E eu acredito em papai também.

  • joao
    06 Set 2017 às 22:43

    O Ministério Público tem a obrigação de acompanhar onde será gasto o valor repassado pela prefeitura. Fica desde já requerido.

  • deovaldo
    06 Set 2017 às 21:48

    Pelo amor de DEUS, parabens pela atitude de barrar esta suplementação, porque parece que é um calaboca de vereadores para não aprovar uma possível investigação,,,,,mas mesmo que não de em nada, a minha família composta de 6 pessoas não iremos mais participar da Cuiabá da campanha de 300 Anos,,,,,,para nós virou palco para enganar trouxas e isso não somos, votamos no Senhor como expectativa de ser a pessoa que iria mudar o que as gestões anteriores fizeram,,,,,mas nos enganamos,,,,,tristeza absoluta entre nós,,,,enganar o povo prefeito é crime inafiançável e os nossos votos infelizmente o senhor perdeu para sempre, a magoa passará mas enganar o povo é como se enganasse a minha família.....CRIME HEDIONDO...PENA DE MORTE.............triste a Cuiabá dos 300 anos ter que passar por um deputado que pegou dinheiro em proveito próprio....lamentável.....fuiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii

Sitevip Internet