Olhar Direto

Terça-feira, 19 de setembro de 2017

Notícias / Política MT

Emanuel diz que repasse de R$ 6,7 milhões à Câmara estava dentro da legalidade

Da Redação - Érika Oliveira

11 Set 2017 - 10:53

Foto: Rogério Florentino Pereira / Olhar Direto

Emanuel diz que repasse de R$ 6,7 milhões à Câmara estava dentro da legalidade
O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB), afirmou que irá recorrer ainda esta semana da decisão que anulou decreto de repasse de R$ 6,7 milhões pela Prefeitura ao Legislativo da Capital. Em sua primeira aparição desde a divulgação do vídeo em que aparece recebendo dinheiro do então chefe de gabinete do ex-governador Silval Barbosa (PMDB), Emanuel justificou que a suplementação atendia a um pedido da Mesa Diretora e vinha sendo discutida desde maio.

Leia mais:
Câmara diz que repasse de R$ 6,7 mi corrige equivoco da gestão passada e não tem relação com CPI

“Essa é uma mensagem que foi um pleito da Mesa da Câmara, que estava sendo discutida desde maio, tem todo um processo tecnicamente embasado, foi coordenado pelo secretário de Finanças, pelo secretário de Planejamento, pelo contador-geral do Município e teve um total respaldo técnico, para poder resolver um problema do Legislativo. Mas, ordem judicial não se discute, se cumpre, e nós vamos esclarecer essa semana ao Tribunal de Contas, à Justiça e ao Ministério Público de Contas”, argumentou o peemedebista.

O decreto que estabelecia o repasse à Câmara foi publicado no Diário de Contas no dia 31 de agosto, dias depois da rejeição ao requerimento de abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o prefeito, flagrado em filmagens colocando maços de dinheiro nos bolsos do paletó. As imagens constam da delação de Silval Barbosa, que denunciou um suposto pagamento de “mensalinho” para manter a governabilidade.

A nulidade do decreto veio na semana seguinte, quando o Luís Aparecido Bertolucci Júnior, da Vara Especializada de Ação Civil Pública e Popular, anulou o decreto, acatando integralmente a ação movida por Valfran Miguel dos Anjos.

“Após a negativa da instauração da CPI, o prefeito realizou suplementação orçamentária à Câmara Municipal no montante de R$6.725.075,95 por meio do Decreto nº 6.343, de 30.08.2017, o que teria se concretizado por ocasião de suposta compra de apoio político”, diz trecho da ação.

Para Emanuel, o decreto foi mal interpretado. “Isso não teve nenhuma vinculação a CPI, até porque a CPI está aberta, ela sequer foi apresentada. Às vezes os jornalistas, as pessoas não conhecem o processo legislativo e vincula uma coisa na outra”, rebateu.

O prefeito salientou, ainda, que o pagamento do crédito suplementar seria feito neste momento para preservar a saúde financeira do município. “Eu joguei para o segundo semestre devido o equilíbrio do caixa, porque eu estava no primeiro ano de gestão. A suplementação é perfeitamente técnica e legal”, pontuou.   

12 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Roberto
    11 Set 2017 às 23:27

    Ele acumulava o gordo salário de Deputado com mais 25 mil de aposentadoria de Deputado desde que ele tinha 32 anos , e conforme veiculou há suspeita de mensalinho de 600 mil reias, vamos chamar o matemático Osvald de Sousa para explicar a nós munícipes quanto ele recebia afinal de contas por mês e vamos chamar um psicólogo e filósofo que este cara queria só o cargo pelos benefícios, acordem!!!!!!!!!!!!

  • JUCABALA
    11 Set 2017 às 20:22

    E não é o Mané "Borso cheio"?

  • JOSÉ
    11 Set 2017 às 17:59

    O Mané confunde legalidade com Pepe Legal, é o melhor dos comediantes esse prefeito,

  • jose
    11 Set 2017 às 16:14

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Percílio
    11 Set 2017 às 15:29

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • por justiça
    11 Set 2017 às 13:55

    olhe ai o homem do dinheiro no palito esta numa boa isto e uma vergonha para o Brasil cade a justiça......

  • cidão
    11 Set 2017 às 13:26

    Nem tudo que é legal é moral. Mas é claro que você não sabe disso, não é senhor prefeito????

  • alexandre
    11 Set 2017 às 13:21

    igual o temer...

  • Cuiabano
    11 Set 2017 às 13:16

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • joaoderondonopolis
    11 Set 2017 às 13:10

    O Ministério Público vai saber se a suplementação está dentro da legalidade.

Sitevip Internet