Olhar Direto

Terça-feira, 19 de setembro de 2017

Notícias / Cidades

Irmãs de MT perdem casa em ilha destruída por furacão e tentam deixar local de helicóptero

Da Redação - Wesley Santiago/Vinícius Mendes

11 Set 2017 - 16:30

Foto: Reprodução

Irmãs de MT perdem casa em ilha destruída por furacão e tentam deixar local de helicóptero
As irmãs Sara Cristina Nunes Bandeira Joseph, 24 anos e Samara Cristina Nunes Bandeira, 17 anos, estão isoladas nas Ilhas Virgens Britânicas, um dos locais que foram devastados pelo furacão Irma, que passou pela região do Caribe e atingiu os Estados Unidos da América (EUA). Agora, as várzea-grandenses tentam deixar o local em um helicóptero de um brasileiro que passava pela região e resolveu auxiliar.

Leia mais:
Irmãs de MT estão em ilha destruída por furacão, perderam casa e tentam deixar local de helicóptero
 
“Elas estão tentando embarcar em um helicóptero de um brasileiro que estava passando pela região e se ofereceu para ajudar. A burocracia está muito forte, pediram fotos e tudo mais. No momento, estou sem contato com elas, porque foram tentar chegar ao aeroporto. Se conseguiram, serão levadas para Porto Rico”, disse ao Olhar Direto o pastor Uziel Bandeira, pai das jovens.
 
Ao todo, 32 brasileiros estão no local, segundo o pastor. No primeiro grupo, junto com as duas mato-grossenses seguirão outras quatro pessoas. Uma delas é o filho de Sara Cristina, de apenas um ano. Um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) foi enviado para uma ilha próxima da delas, mas as pessoas não tem como chegar até ele.
 
“Minha filha mais velha mora há cinco anos na ilha. A mais nova foi agora. O furacão destruiu tudo, a ilha está inabitável. Tudo aconteceu na quarta-feira (06), mas até agora pouca coisa voltou a funcionar. Onde minha filha morava, todas as casas foram destruídas. Quando viram o que ia acontecer, fugiram para um hotel e lugares mais seguros”, disse o pastor.
 
As mato-grossenses também relataram que algumas pessoas acabaram realizando saques na cidade e também pegavam combustível de outros carros. Alguns dos brasileiros que lá estão, já estão sem condições de se manter e a ponto de passar necessidade. “Meu genro vai ter que ficar, porque não teve vaga para ele no helicóptero”.
 
Furacão Irma
 
Irma, que chegou a ser um furacão de categoria 5, a mais alta da escala Saffir-Simpson, foi reduzido no domingo (10) à categoria 3, com ventos de 195 km/h, e às 18 horas (horário de Brasília) para a categoria 2.
 
O furacão Irma deixou outros 28 mortos nas ilhas do Caribe, com registros nas partes francesa e holandesa de Saint Martin, nas Ilhas Virgens americanas, nas Ilhas Virgens britânicas e no arquipélago de Anguilla, em Porto Rico e em Barbuda.
 
Em Saint Martin e Saint Bartolomeu, as equipes de emergência trabalham contra o tempo para ajudar os traumatizados habitantes antes da chegada de outro poderoso furacão, de categoria 4, José, que também deve atingir a região. Em Cuba, a destruição ao longo da costa norte central foi semelhante à sofrida por outras ilhas do Caribe durante a semana.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet