Olhar Direto

Sábado, 16 de dezembro de 2017

Notícias / Política MT

Com Álvaro Dias e senador de MT, Podemos se inspira em Obama e rechaça esquerda

Da Redação - Lázaro Thor Borges

06 Out 2017 - 09:19

Foto: Waldemir Barreto Senado

Com Álvaro Dias e senador de MT, Podemos se inspira em Obama e rechaça esquerda
Os senadores Álvaro Dias e José Medeiros não hesitariam em colocar uma legenda em cada campanha publicitária do Podemos: “Favor não confundir com o partido espanhol!”. Apesar da homonímia, a sigla brasileira recém-nascida, cujos alicerces herda do antigo PTN, rechaça a esquerda e faz coro ao antipetismo.
 
Leia também:
Medeiros convoca Lula, Dilma e Silval para depoimento em CPMI da JBS

Tudo isso ficou muito claro na reunião do partido nesta quinta-feira (05), em Cuiabá, quando Medeiros recebeu o colega de parlamento Álvaro Dias, pré-candidato à Presidência da República em 2018.
 
Não é da Espanha a principal referência da sigla tupiniquim. Renata Abreu, presidente nacional do partido, fez questão de explicar que o nome vem da expressão “Yes, we can!” da campanha vitoriosa do ex-presidente americano Barack Obama, em 2008.
 
“Em relação ao Podemos espanhol não temos nenhuma semelhança, não podemos ter e não queremos ter. Se há alguma inspiração que nos levou a adotar este nome, foi a campanha do Obama”, reiterou Álvaro Dias.
 
José Medeiros não discorda do correligionário ao definir as intenções sigla. Para ele, trata-se de apenas uma questão de homônimo fácil de ser solucionada nas urnas. “Aqui no Brasil nós temos uma posição muito clara: nem de esquerda nem de direita, à frente”, resumiu.
 
Mas nem Medeiros nem Dias escondem o antipetismo do campo ideológico. “Hoje a soma deve ser as pessoas de bem. A distinção deve ser entre as pessoas de bem e os mensaleiros e filhos do petrolão”, criticou o senador paranaense em referência a dois escândalos de corrupção que ocorreram durante os 13 anos de governo do Partido dos Trabalhadores.
 
Ainda que evitassem uma classificação mais nítida, logo a comitiva do Podemos cedeu aos questionamentos da imprensa. Álvaro Dias foi o primeiro a deixar o muro. “Somos liberalistas no campo econômico. Defendemos a liberdade para produzir e liberdade para consumir”.
 
No campo social, a toada é mais conservadora. Na linha do que articulações como o Movimento Brasil Livre (MBL) propõe. Ao ser inquirido sobre Direitos Humanos, o senador conclui: “O Brasil tem uma constituição adequada, que instituiu direitos e deveres de forma exemplar”.
 
Durante a reunião regional, Alvaro Dias também criticou as siglas que trocam seus nomes para ganhar em efeitos de publicidade e diminuir as manchas morais deixadas pela Lava-Jato junto ao eleitor.
 
“Não adianta mudar o nome, precisa mudar a prática, o comportamento, a estrutura e o conceito de política. É isso que nós estamos pregando.”
 
“Muitas siglas estão mudando o nome, mas não muda o programa, não muda nada. Apenas usam desta mistificação para escamotear a realidade. Não é o nosso casso”, acrescentou precavido.
 
Podemos
 
O Partido Trabalhista Nacional (PTN, atual Podemos) foi refundado em 1995, mas tem suas raízes na República Nova quando elegeu Jânio Quadros à presidência. Se a esquerda ontem foi uma referência, hoje é uma vaga lembrança. Comandado pela família Abreu, o Podemos recebeu em seu quadro nomes como Álvaro Dias (ex-PV), José Medeiros (ex-PSD) e Romário (ex-PSB).
 
Este ano o partido foi o primeiro a deixar a base de Temer com a delação da JBS. Na prática, políticos jovens e consolidados têm procurado a sigla para viabilizar anseios eleitorais. É o caso de Medeiros, que saiu do PSD para tentar uma reeleição ao senado, diante da impossibilidade de seu antigo partido não conseguir ocupar duas vagas majoritárias do atual grupo que governa Mato Grosso. O PSD é o partido do vice-governador, Carlos Fávaro, que tende a compor a chapa de reeleição de Pedro Taques (PSD) em 2018.
 
A chegada do senador mato-grossense ao Podemos o “empurrou” para a oposição duas vezes. Primeiro, teve de abandonar a vice-liderança de Michel Temer no Senado. No quadro regional, desvincula-se pouco a pouco do governador Pedro Taques, de quem herdou a cadeira no Congresso Nacional. O Podemos trabalha para lançar uma chapa para concorrer com Taques o Governo de Mato Grosso.

10 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Adriana
    07 Out 2017 às 09:04

    NELSON VIDAL GOMES concordo plenamente com você, este é um dos fortes candidatos a presidente, senão o mais forte! Esqueçam Lula (pra esta tipo de praga o inseticida Moro é eficaz), Bolsonaro é ultra radical sem proposta nenhuma, dentre os nomes de pré candidatos não vejo nenhum à altura de Álvaro Dias, acreditem, eis o Presidente da República em 2018!

  • Zacarias
    07 Out 2017 às 06:20

    Medeiros está mais para Osama do que para Obama. E quem conhece Álvaro Dias não compra.

  • NELSON VIDAL GOMES
    06 Out 2017 às 15:43

    Alvaro Dias brilhante e combativo senador tem ainda a seu favor um passado ilibado e profícua gestão de seu Estado.É o potencial herdeiro do espolio a ser deixado pelo suicida PSDB no drama Temer-Aécio.Ademais, se constituiu na melhor surpresa da última pesquisa do Data Folha.Com as menores exposição e rejeição alcançou cerca de 5% em todos os cenários pesquisados.O que equivale a dizer em termos lógicos que 100% das pessoas que o conhecem tendem a votar nele.É um potencial de crescimento avassalador.Que Deus nos ilumine e para os que não acreditam um abraço.

  • Anônima
    06 Out 2017 às 14:35

    Talvez realmente nao tenham escolhido o nome correto, porém, Álvaro Dias é um dos nomes mais coerentes para Presidente da República. Abaixo o comentário do sr. Silvio levanta algum tipo de suspeita, gostaria muito de esclarecimentos pois até onde conheço este é um nome de respeito, até onde sei nao pesa sobre ele nenhum tipo de crime ou ilicitude.

  • Cuiabano
    06 Out 2017 às 14:19

    "Álvaro Dias (ex-PV), José Medeiros (ex-PSD) e Romário (ex-Flamengo)" Ex-flamengo? Existe esse partido flamengo? Depois quando o supremo diz que não precisa formação acadêmica para ser jornalista tem quem não gosta. kkkkkkkkkkkk

  • Maria Rita
    06 Out 2017 às 13:17

    Quem é esse senador? Ele esta se achando .Um reacionario da decada de 20. Um alienado.Coitado.Va procurar sua turma.Bolsonaro é o seu caminho. sai de retro.

  • Mauro
    06 Out 2017 às 12:30

    ... o Podemos recebeu em seu quadro nomes como Álvaro Dias (ex-PV), José Medeiros (ex-PSD) e Romário (ex-Flamengo). rsrsrsrs não sabia que o Flamento era um partido político. Acho que ando meio desinformado hahahaah

  • Valdiney Mendes
    06 Out 2017 às 11:36

    Medeiros pode chamar o que quiser seu partido. Mas vc Medeiros não ganha mas como senador.

  • silvio
    06 Out 2017 às 11:16

    Pessoal isto só pode ser piada!!! Se o Sr. Obama lê uma matéria dessa nunca mais volta ao Brasil!! Estes caras se inspirarem nele e se o Obama souber como eles são, pensam e agem, afinal é politico Brasileiro!!! Saia correndo e risca da agenda dele o Brasil para fazer qualquer tipo de palestra !!! KKKKKKKKKKKKKKKKKKK, Vampiro brasileiro, KKKKKKKKKKKK.

  • DIOGO FABRICIO
    06 Out 2017 às 10:33

    No mínimo incoerente, pois o Obama é o retrato da esquerda!

Sitevip Internet