Olhar Direto

Domingo, 22 de outubro de 2017

Notícias / Política MT

Botelho debate alternativas para superar dificuldades da saúde no médio norte e busca socorro no governo

Da Redação - Ronaldo Pacheco

07 Out 2017 - 08:36

Foto: Maurício Barbant / ALMT

Eduardo Botelho recebe líderes de Diamantino que reivindicam reunião com o governo para discutir a saúde

Eduardo Botelho recebe líderes de Diamantino que reivindicam reunião com o governo para discutir a saúde

Diante do quadro cada vez mais preocupante, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho (PSB), se comprometeu em discutir alternativas com a equipe de gestão do governador José Pedro Taques (PSDB) para equacionar problemas da saúde, no médio norte de Mato Grosso. Ele se reuniu com, na Câmara de Diamantino, com  quase todos os vereadores e secretários municipais, para ouvir as reivindicações de maior urgência da região.
  
Botelho  assegurou empenho para intermediar uma reunião entre essas lideranças e o governo do Estado, para a próxima segunda-feira (9), no Palácio Paiaguás ou na Secretaria de Estado de Saúde (SES). Na pauta, solução que amenize a crise que assola os setores essenciais, o caos na rede pública de Saúde é o que mais aflige a população.
 
Leia mais:
- Botelho assegura emenda para construção de clínica médica no Hospital de Câncer MT, para tratamento humanizado
 
- AL firma compromisso de repassar R$ 2,5 milhões da própria LOA para hospitais filantrópicos

A secretária Municipal de Saúde de Diamantino, Cleide Anzil, explicou que o Hospital São João Batista, que atende 10 municípios da região Médio Norte, não possui mais condições de manter os serviços sem o repasse do governo. Segundo ela, 198 ofícios foram protocolizados no governo, pedindo ajuda, mas ainda sem êxito.
 
“Em nenhum momento o município quer ir contra o governo, queremos conversar, pois sabemos o momento de crise que passa, mas precisamos ser ouvidos. Seguramos o máximo possível para manter os serviços, mas não temos mais condições de continuar sem o apoio”, argumentou a secretária de Saúde.
 
O Hospital São João Batista está, desde o mês de julho, sem repasses, o que totaliza R$ 900 mil. O déficit atual é de R$ 858 mil e continua crescendo. Também não há especialidades médicas disponíveis.
 
“Se não pararmos na segunda-feira [dia 9 de outubro] vamos ser devedores. Os médicos estão há três meses sem receber salários e os fornecedores também devem suspender o atendimento”, complementou Cleide Anzil.
 
“Discutimos a situação dos serviços públicos de Diamantino. E tudo indica que o maior problema é o de saúde. Vamos levar a discussão ao governo para ajudar os municípios”, destacou Botelho, ao acrescentar que o governo Pedro Taques assegurou o pagamento de parcelas atrasadas aos hospitais, nos próximos dias.
 
 
Para o presidente da Câmara, vereador Josenil Costa Lube, o Bodão (PSDB), a atenção é fundamental. “A ajuda do deputado Botelho é muito importante porque muitas vezes não conseguimos nem agenda com os secretários de estado”, ponderou Josenil Bodão Costa Lube.


 
Eduardo Botelho também conversou com os líderes sobre a importância da aprovação da PEC do Teto de Gastos públicos. Ele explicou que Mato Grosso depende dessa PEC para retomar o equilíbrio fiscal e, consequentemente, o desenvolvimento de Mato Grosso.
 
O presidente da Assembleia destacou o esforço concentrado da ALMT para ajudar os hospitais filantrópicos com a destinação de R$ 2,5 milhões do orçamento, que segundo o deputado, é uma ação emergencial para que essas unidades de saúde não fechem as portas. Também anunciou uma emenda para a iluminação pública da Avenida Gilmar Mendes, em Diamantino.
 
 Botelho também interagiu com a população através de entrevista concedida na Rádio Parecis FM 91,7MHZ, que completa 30 anos de fundação.
 
Também participaram os secretários Vilma Manprim Capistrano de Oliveira, de Assistência Social e Promoção Social; Williomar Siqueira Gonçalves – Nenê, de Esporte, Lazer e Turismo; e Edite Marmos, de Educação; e ainda dos vereadores Eraldes (PRP) e Jiripoca (PSB). 

4 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Informado
    07 Out 2017 às 22:02

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Saulo
    07 Out 2017 às 11:41

    Cabe a assembleia como poder legislativo pressionar o governo através da secretaria de saúde faça os devidos repasses aos municípios, apenas são cabe aos nobres parlamentares, governo fazer a sua parte o que está acontecendo daí o caos na saúde pública. Menos publicidade e mais saúde.

  • JORGE LUIZ
    07 Out 2017 às 11:05

    QUÊ DEBATE O QUÊ, ESSE AÍ QUER DAR UMA DE SALVADOR DA PÁTRIA, MAS DESTINAR O EXCESSO DE ARRECADAÇÃO PARA A SAÚDE ELE E OS INOPERANTES DEPUTADOS ESTADUAIS NÃO QUEREM, NÃO QUEREM PERDER A FONTE DE RENDA, A TETA PÚBLICA, AÍ VEM COM ESSA DE DEBATE PARA ENGANA TROCHA

  • Zé do Povo
    07 Out 2017 às 09:17

    A gestão da saúde pública não se resolve só com caravanas. Há que se ter vontade política para minimizar o sofrimento do povo do interior sem assistência médica e hospitalar. De acordo com a Lei de Murphy, com Pedro Taques no governo, a qualidade de vida do Povo de MT poderá piorar e vai piorar com certeza.

Sitevip Internet