Olhar Direto

Domingo, 22 de outubro de 2017

Notícias / Cidades

​Dos cinco assassinatos a travestis em MT em 2017, três foram motivados por homofobia; quatro foram presos

Da Redação - Vinicius Mendes

11 Out 2017 - 10:54

Foto: Reprodução

​Dos cinco assassinatos a travestis em MT em 2017, três foram motivados por homofobia; quatro foram presos
Dos cinco homicídios de travestis ocorridos este ano em Mato Grosso, quatro já contam com suspeitos presos pela Polícia Civil ou Militar. As mortes ocorreram em Várzea Grande, Sorriso, Rondonópolis e Primavera do Leste. Três casos foram motivados por homofobia, um foi roubo seguido de morte e outro por desentendimento envolvendo dinheiro e droga.

Leia mais:
Após programa, homem atira na boca de travesti e foge
 
O secretário do Grupo Estadual de Combate aos Crimes de Homofobia (GECCH), major PM Ricardo Bueno, ressalta que “os boletins de ocorrências com os campos de motivação do crime, nome social e orientação sexual colaboram com a investigação policial”.
 
A prisão mais recente é de Thiago Marques, 28 anos. Ele é acusado de matar atropelada a travesti Natália Pimentel, de 22 anos. A prisão temporária de Thiago foi decretada pela Justiça e o suspeito foi detido em casa, dia 03 de setembro, no bairro Osmar Cabral, periferia de Cuiabá.
 
Natália foi morta dia 25 de julho de 2017, em um ponto de prostituição, conhecido como Zero Quilômetro, localizado em Várzea Grande. O crime ocorreu após a vítima se negar a fazer programa sexual por R$ 17.
 
Em Rondonópolis (218 km ao Sul), Valdinei Souza da Silva, 24 anos, foi preso dia 25 de setembro acusado de matar a travesti Tabata Brandão. O suspeito foi encontrado, durante ação integrada das polícias Judiciária Civil, Federal e Rodoviária Federal, em casa (um barraco de madeira), no bairro Pedra 90, no município.
 
A travesti, de 30 anos, foi morta a tiros, dia 25 de junho, após uma discussão. O suspeito teria xingado a vítima e outras travestis na rua. Tabata, por sua vez, revidou as agressões verbais. O suspeito foi em casa para pegar uma arma de fogo e voltou para cometer o crime.
 
Em Sorriso (420 km ao Norte), Cleverson Oliveira dos Santos, conhecido como Zico, 28 anos, foi preso pela Polícia Militar, dia 15 de julho, acusado de furto. Após ter sido detido, o homem confessou ter matado, em 02 de junho, a travesti Larissa Valverde, 24 anos.
 
A travesti foi assassinada com perfurações nas costas, que teriam sido provocadas por uma chave de fenda. O corpo foi encontrado no estacionamento de um supermercado na área central da cidade.
 
Ainda em Sorriso, a travesti conhecida como Baiana foi morta no dia 06 de setembro. Ela foi encontrada na quitinete onde morava com uma faca cravada no rosto. Um adolescente de 15 anos foi apreendido como suspeito do crime. O assassinato teria ocorrido após uma discussão por conta de dinheiro e droga. 
 
No município de Primavera do Leste, a 239 km da capital, no dia 07 de abril, a travesti Bianca Gonçalves, de 22 anos, foi vítima de latrocínio – roubo seguido de morte. Bianca estava trabalhando com outras travestis em um ponto de prostituição, às margens da MT-130, quando o crime ocorreu. Nenhum suspeito foi preso até o momento.

6 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Aguinaldo Barbosa dos Santos
    12 Out 2017 às 07:37

    Se o meu filho fosse travesti já teriam preso os suspeitos de terem assassinado ele, este é o brasil.

  • Zilmar
    12 Out 2017 às 00:22

    Confusão envolvendo drogas, sexo com travesti, não pagar programa, desentendimento e coisas do tipo podem ser chamados de homofobia?

  • Rodrigo
    11 Out 2017 às 23:03

    Homofóbia? Vcs estão de brincadeira. Olha os ambientes que eles vivem e frequentam. Estão sucetíveis a isso mesmo.

  • Adriano
    11 Out 2017 às 17:13

    Será que no mesmo período só morrem travesti? Quantos roubos seguindo de morte na rua e nas próprias casas residenciais movido unicamente pela canalhice desses bandidos impunes. Pois pra bandido parece que a vida ta boa ale´m de serem totalmente protegido pelos direitos dos manos, pq direitos para humanos não existem. Favor mil favor pessoal que faz materiais com esse cunho. Todos os dias morrem, Travesti, Brancos, Negros, Homens, Mulheres, Crianças,, etc.... Parece vcs mesmos com essas divisão de classe e vitimização.

  • Lucas
    11 Out 2017 às 16:01

    O título da reportagem não condiz com o conteúdo. Sinceramente, dos casos relatados nenhum parece ter sido motivado por ódio aos travestis. Os crimes, como milhares que acontecem no Brasil, estão ligados ao descaso à vida humana, seja ela hetero ou homossexual.

  • KKKKK
    11 Out 2017 às 11:34

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Sitevip Internet