Olhar Direto

Sábado, 21 de outubro de 2017

Notícias / Cidades

Botelho assegura regularização fundiária de mais de mil famílias do bairro Renascer

Da Redação - Fabiana Mendes

13 Out 2017 - 08:06

Foto: Divulgação

Botelho assegura regularização fundiária de mais de mil famílias do bairro Renascer
O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho (PSB), participou de mais uma rodada de discussões para viabilizar a regularização fundiária de famílias do bairro Renascer, em Cuiabá.  Na noite desta segunda-feira (09.10), o presidente da Assembleia foi recebido pelos moradores do bairro, no Centro Comunitário, para encaminhar o processo que vai dar tranquilidade às 1.280 famílias que clamam pelo título dos imóveis.
 
Leia Mais: 
Botelho debate alternativas para superar dificuldades da saúde no médio norte e busca socorro no governo

De acordo com o presidente do Intermat, Cândido Teles, o órgão receberá a documentação na próxima semana. "Essa reunião é um passo importante para a regularização do bairro Renascer, bairro que tem um processo judicial que já está em fase de conclusão. Quem toca esse processo é a PGE, na semana passada, conversei com o procurador Rogério Gallo, e ele me disse que já vai liberar essa documentação para começarmos a trabalhar a regularização", disse, ao acrescentar que serão feitas as vistorias para saber a atual situação de cada lote.
 
Acompanhado do presidente do Instituto de Terras de Mato Grosso - Intermat, Cândido Teles, do assessor especial da Casa Civil, Carlos Brito, do coordenador do Núcleo de Regularização Fundiária, defensor público Air Praeiro e do presidente do bairro Renascer, José Carlos da Silva, Botelho informou que a parceria com os órgãos competentes resultará na regularização do bairro.
 
"Há muito tempo os moradores lutam por essa regularização. Agora, com essa parceria da Assembleia Legislativa e Intermat vamos dar condições para consolidar esse sonho do título definitivo, que é a escritura das casas, dos lotes. Pois, além de ser patrimônio da família, muitas vezes, o morador quer investir, montar um comércio, mas precisa do título para conseguir financiamentos. Então, estamos trabalhando para proporcionar para essas pessoas a tão sonhada regularização fundiária", assegurou Botelho.
 
Depois de vários projetos conclusos, explicou o presidente do Renascer, José Carlos da Silva, aumentou o clamor da população pela regularização do bairro. "Conseguimos fazer uma parceria com o deputado Botelho, que abriu as portas junto à Procuradoria Geral do Estado para transferir a área da empresa Aprovale, que já está paga, para o estado, dando condições legais de o Intermat fazer a regularização para todas as famílias do Renascer. Acredito que o deputado Botelho vai se empenhar ainda mais e acelerar os pontos que ainda estão fragilizados, para que se conclua o mais rápido possível nossos anseios", destacou José Carlos.
 
Praeiro disse que o próprio Ministério Público orientou que não há obstáculo para que seja feita a regularização do bairro. Dessa forma, a Defensoria vai providenciar toda a documentação necessária. "Vamos encaminhar para que o Intermat promova a expedição desses títulos. É importante que o deputado Botelho interceda junto ao governo, uma vez que a legislação permite a doação dos lotes, para que sejam doados principalmente àqueles onde temos a regularização fundiária por interesse social", esclareceu.
 
Com dois filhos e três netos, a dona de casa, Rita Xavier Ferreira, moradora há 17 anos no bairro Renascer, comemorou a iniciativa. "Se sair a documentação das nossas casas será muito bom porque poderemos fazer empréstimos para melhorar nossas moradias. É a realização de um grande sonho porque vou ter minha casa de verdade, ninguém poderá toma-la de mim. Vai ser muito bom. Meu sonho!"
 
O fundador do Renascer, Orestes Alvarenga, ressaltou os avanços. Lembrou os embates enfrentados ao longo dos 20 anos de existência do bairro, até a desapropriação da empresa Aprovale. "Quando entramos na área em 1997, o primeiro advogado contratado nos disse que a chance de permanência era zero. Fomos despejados três vezes, derrubamos 18 reintegração de posse. Mas, em 2004 o governo do estado desapropriou a área por interesse social, depois revogou a decisão, mas não desistimos e conseguimos edificar o bairro e de lá pra cá estamos fazendo os encaminhamentos", afirmou Alvarenga.
 
 

1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Ana Amélia
    15 Out 2017 às 08:35

    Essa regularização fundiária no território do município de Cuiabá e na sua área urbana não tem a participação da prefeitura de Cuiabá. Porque o presidente da assembleia está fazendo aí.Ele não o prefeito da cidade. A assembleia só cabe criar uma lei passando a área para o domínio do município e este fazer regularização. Simples assim. Intermat não pode fazer uma intervenção na área urbana de Cuiabá . Na área rural é cabível o Intermat intervir.....ESTRANHO ISSO!

Sitevip Internet