Olhar Direto

Domingo, 19 de novembro de 2017

Notícias / Educação

Culinária efetiva o aprendizado e pode estimular as crianças a experimentarem novos sabores

Da Redação

06 Nov 2017 - 16:22

Foto: Reprodução

Culinária efetiva o aprendizado e pode estimular as crianças a experimentarem novos sabores
Crianças são seres curiosos. Tanto que, nesse maravilhoso universo de descobertas, a cozinha acaba por se apresentar como um ambiente encantado – repleto de cheiros, sabores e possibilidades. Logo, convidar o pequeno chef que existe em cada criança para realizar algumas atividades é também estimular pontos importantíssimos para o desenvolvimento infantil. Neste viés, algumas escolas passaram a investir em aulas de culinária.

Leia Mais: 
Colégio investe em disciplina, diversão e multidisciplinaridade para manter alunos durante toda vida escolar
 
Conforme explica a psicopedagoga e diretora do Educandário Jardim das Goiabeiras, Ivete Ferreira, atividades como ler uma receita, calcular e medir ingredientes são tarefas que ajudam os pequeninos a colocarem em prática conceitos que não se restringem aos livros de educação.
 
Mesmo as crianças menores, que ainda não foram alfabetizadas, ganham com o aperfeiçoamento da coordenação motora, visto que cozinhar também exige uma série de habilidades manuais. O Educandário Jardim das Goiabeiras atende crianças com idades entre 4 meses e 5 anos.
 
“Por meio da culinária é possível unir lazer, educação, prazer e saúde alimentar. É um momento único e que traz benefícios para o desenvolvimento infantil. Por exemplo, a partir dos três anos, as crianças já apresentam coordenação e podem ser envolvidas em algumas etapas do preparo de uma receita – como misturar ingredientes, rasgar folhas de salada e peneirar sucos. Isto tudo, é claro, com a supervisão de um adulto e com a ajuda de materiais seguros – sem ponta”, explica.
 
Ivete complementa que aquelas que são um pouco mais velhas também são beneficiadas neste processo. “Elas aperfeiçoam os movimentos de força e coordenação, o que permite a execução de tarefas mais complexas – como cortar alimentos rígidos ou ajudar a sovar uma massa de pão. Em geral, tanto as crianças menores quanto as grandes, ficam encantadas por quebrar ovos e bater claras em neve”, descreve.  
 
SEGURANÇA E HIGIENE – Ao prezar pela segurança e higiene, a psicopedagoga ressalta que antes de começaram as atividades os professores fazem um acordo com as crianças – como, por exemplo, não se aproximar do fogão, não levar utensílios à boca ou correr pela cozinha com algo nas mãos.
 
“Tudo é questão de diálogo. Eles aprendem a lidar com o processo. Além de mantê-los sob a supervisão de um adulto em todas as etapas, questões de higiene são incentivadas. Durante as aulas, prendemos os cabelos das crianças com uma touca e disponibilizamos um avental. Por outro lado, cabe a nós proporcionamos um ambiente seguro – retirando do alcance deles os utensílios perigosos, como facas de ponta e panelas quentes – e explicando didaticamente o que eles podem fazer”.
 
 
MUITO ALÉM DA CULINÁRIA – Na escola, as aulas de culinária proporcionam a possibilidade de tornar a aprendizagem significativa – efetivando noções de Matemática, Linguagem, Ciências e Artes, bem como incentivando as boas práticas como a partilha com os coleguinhas.
 
“De modo geral, está tudo interligado. No Educandário, se as crianças estão aprendendo sobre as ‘cenouras’ em seu material didático, vamos trabalhar a sua cor, colhê-las na ‘Fazendinha’ [na horta sustentável da escola] e, por meio de aulas de educação ambiental, explicar qual a importância nutricional dela aos coelhinhos e aos humanos e, por fim, na aula de culinária, preparar um prato para consumo”, comenta.
 
ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL – A culinária também desempenha uma tática importante no combate à obesidade infantil – que atinge atualmente dez vezes mais crianças e adolescentes do que na década de 1970. De acordo com um estudo liderado pelo Imperial College de Londres e pela Organização Mundial da Saúde (OMS), isso representa um salto de 11 milhões na época para 124 milhões de indivíduos acima do peso, com idades entre 5 e 19 anos, em 2017.
 
“A aceitação alimentar está, por vezes, associada à intimidade que se possui com a comida. Na cozinha, os pequeninos entram em contato com todos os aspectos sensoriais dos alimentos – como a textura, aparência, cheiro e sabor. Isso permite que eles se sintam mais seguros para prová-los e gostarem de novos alimentos – contribuindo para uma alimentação mais variada e equilibrada”, pondera Ivete.
 
EDUCANDÁRIO – Por meio do Sistema Maxi de Ensino e da Pedagogia Afetiva, o Educandário Jardim das Goiabeiras apresenta em sua estrutura espaços como berçário completo; salas climatizadas; kid play; mini-parque aquático; campinho de futebol; pista de educação de trânsito; casa de boneca; refeitório; sala multifuncional (para balé, argila, artes e música); sala para filmes/descanso e fazendinha (criação de pequenos animais, horta sustentável, educação ambiental e parque de areia).
 
 
Mais informações pelo telefone (65) 9 9976-9516. O Educandário Jardim das Goiabeiras está localizado na rua Coronel Barros, 288, bairro Goiabeiras, em Cuiabá.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet