Olhar Direto

Domingo, 19 de novembro de 2017

Notícias / Política MT

Governo faz repasse emergencial de R$ 50 milhões para a saúde dos municípios

Da Redação - Érika Oliveira

09 Nov 2017 - 09:40

Foto: Rogério Florentino Pereira / Olhar Direto

Governo faz repasse emergencial de R$ 50 milhões para a saúde dos municípios
O governador em exercício, Carlos Fávaro (PSD), anunciou por meio de nota, na noite desta quarta-feira (08), que irá fazer um repasse emergencial no valor de R$ 50 milhões para as áreas consideradas prioritárias na saúde do Estado. A medida foi adotada um dia depois que a Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM) interviu e ameaçou pedir o afastamento do governador Pedro Taques (PSDB), por conta do caos na saúde que se instalou em Mato Grosso.

Leia mais:
- Prefeitos discutem pedido de afastamento do governador por caos na saúde: “Vidas sendo ceifadas”
- Para secretário, pedido de afastamento de Taques é interesse político: “se for assim, nenhum prefeito fica no cargo”

De acordo com a nota do Governo, os recursos devem ser utilizados prioritariamente para o pagamento de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), Atenção Básica nos 141 municípios, uma parcela do acordo firmado com os hospitais filantrópicos e para Alta Complexidade.

Os repasses foram iniciados ainda na quarta-feira, sendo transferidos inicialmente R$ 30 milhões e, outros R$ 20 milhões, devem ser pagos até sexta-feira (10).

Também na sexta-feira, prefeitos de todo o Estado devem ser reunir na sede da AMM, para discutir “uma atitude mais dura, enérgica, no pedido de afastamento do governador. Se a decisão da maioria dos prefeitos for neste sentido, não tenho dúvida de fazer o pedido”, segundo o presidente da Associação, Neurilan Fraga (PSD).

Em resposta ao pedido de afastamento de Taques, o secretário de Estado de Comunicação, Kleber Lima, afirmou que o ato possui viés político. Além disto, acrescentou que se “atrasos em pagamentos por parte do poder público gerar afastamento, dificilmente ficará um prefeito no cargo”.
 
Veja a íntegra da nota:

O governador em exercício Carlos Fávaro, em comum acordo com o governador Pedro Taques, que está em viagem oficial fora do país, decidiu nesta quarta-feira (08.11) fazer um aporte emergencial de R$ 50 milhões para a saúde em Mato Grosso. Deste total, R$ 30 milhões foram repassados nesta quarta-feira e outros R$ 20 milhões devem ser repassados até sexta-feira (10.11).

Os recursos devem ser utilizados prioritariamente para o pagamento de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), Atenção Básica nos 141 municípios, hospitais filantrópicos (uma parcela) e Alta Complexidade.

No mês de outubro, o Governo do Estado já havia liberado o pagamento da 1ª parcela, de R$ 2,5 milhões, da ajuda voluntária destinada aos hospitais filantrópicos de Cuiabá e Rondonópolis.

GCOM/MT

4 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Matogrossense
    09 Nov 2017 às 21:05

    PREFEITOS, NÃO SEJAM COVARDES. IMPEACHMENT DO GOVERNADOR JÁ!!!!! NAODEIXEM ESSE IMCOPETENTE FAZER DE VCS MENDIGOS, QUE PRECISAM TODO MES FICAR COM O PIRES NA MÃO COMO SE FOSSE UM FAVOR E NAO OBRIGACAO DESSE DESGOVERNO.

  • Airton Callai
    09 Nov 2017 às 17:42

    O estado tem que parar de fazer os Hospitais Regionais de cabide de emprego e quebra galho de deputados. Acertar os débitos em abertos e repassar a ADMINISTRAÇÃO por completo aos consórcios formados pelos municípios, criar Centrais de Regulações Regionais para diminuir as filas, e fazer o repasse necessário ao consorcio administrado pelos prefeitos. Mas não o fazem para não assumir a incapacidade de gerenciamento, para mim burrice total, todos nós sabemos do saco sem fundo que é a saúde e que SAÚDE não está sendo prioridade, e remédio em doses erradas matam o paciente.

  • ANA
    09 Nov 2017 às 11:48

    voces so ameaçam!!! tinham que pedir afastamento dele antes que seja muito tarde. Estado em colapso acorda ..

  • Pensador
    09 Nov 2017 às 11:19

    O governo tem que parar com essa palhaçada de repasses de emergência, e definir um orçamento da saúde para a população não ficar sofrendo com esse caos que tomou conta da saúde pública em MT,essa falta de planejamento custam vidas, os hospitais ficam 5 meses sem receber verba de custeio nenhuma, o governador espertalhão deixa estourar a bomba , e aí fica nessa lenga de repasses de emergência, e o povão levando fumo.

Sitevip Internet