Olhar Direto

Domingo, 19 de novembro de 2017

Notícias / Política MT

Prefeito crê em ilegalidade de CPI, mas afirma respeitar decisão da Câmara de Cuiabá

Da Redação - Carlos Gustavo Dorileo

11 Nov 2017 - 08:00

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Prefeito crê em ilegalidade de CPI, mas afirma respeitar decisão da Câmara de Cuiabá
O prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB), alvo da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Paletó, que deve ser oficializada e instaurada a partir da próxima semana, disse entender que o objeto de investigação é ilegal. Ele também afirmou que respeita a decisão dos vereadores e se preocupa com a governabilidade do município.

Leia mais:
Juíza mantém prisão de membro do CV acusado de entregar celulares por drone na cadeia


Em entrevista ao Olhar Direto no lançamento do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) do bairro Osmar Cabral, na manhã desta quinta-feira (9), o prefeito comentou que assim como a maioria dos vereadores da sua base acredita que a Câmara não tem condições para conduzir esta investigação.

“Temos um entendimento da possível ilegalidade do objeto da proposta oriundo da Câmara Municipal, mas mesmo com esse entendimento, isso não nos tira o direito de não respeitar os vereadores e a sua autonomia. Minha preocupação é a governabilidade que não pode ser afetada. Cuiabá está acima de tudo e é o meu foco”, afirmou.

O prefeito ainda afirmou estar tranqüilo com as três últimas assinaturas a favor da proposta de CPI para investigá-lo que foram feitas por parlamentares da base.

“Vejo com tranqüilidade, a Câmara é o poder legislativo e é independente. A Câmara tem uma relação de harmonia com o poder executivo e foi uma decisão interna. Eu respeito a autonomia dos vereadores e vamos aguardar”, disse.

O projeto de CPI feito pelo vereador Marcelo Bussiki (PSB) foi apresentado em plenário dias após o vídeo em que Emanuel Pinheiro, na época deputado estadual, além de outros parlamentares da gestão passadas recebendo dinheiro do ex-governador Silval Barbosa (PMDB) ser veiculado em rede nacional. O vídeo está anexada a delação premiada de Barbosa.

A princípio a CPI foi rejeitada pela maioria dos vereadores e as onze assinaturas, duas a mais do que as nove necessárias para abrir o inquérito foram confirmadas somente nesta semana, dois meses depois.

O procedimento será formalizado em plenário na sessão da próxima terça-feira (14) e a mesa diretora terá que cumprir o prazo de 24 horas para instalar a CPI. 

3 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • jose carlos
    11 Nov 2017 às 17:15

    porque esses vereadores,nao vao no pronto socorro,nas upas.nas policlinicas,pra ver como estao funcionando precario.estao preocupado com cpi.vai cassar oque fazer.po

  • por justiça
    11 Nov 2017 às 13:48

    isso embrolle

  • Dona Josi
    11 Nov 2017 às 09:10

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

Sitevip Internet