Olhar Direto

Sexta-feira, 17 de agosto de 2018

Notícias / Política MT

Taques enfatiza que MT superou dificuldades com trabalho e pagou salários em dia; 12 estados atrasam

Da Redação - Ronaldo Pacheco

05 Jan 2018 - 14:38

Foto: Rogério Florentino Pereira / Olhar Direto

Taques enfatiza que MT superou dificuldades com trabalho e pagou salários em dia; 12 estados atrasam
As críticas que recebeu por conta de dificuldades financeiras foram democráticas, mas de certa forma injustas, por não levarem em consideração a forte crise econômica que assola o Brasil. A avaliação partiu do governador José Pedro Taques (PSDB) ao enfatizar que manteve o vencimento do funcionalismo em dia, enquanto 12 estados da federação estão atrasados e alguns não pagaram o 13º salário de 2016 nem de 2017.
 
O chefe do Poder Executivo ponderou que governadores e prefeitos se viram obrigados a fazer ‘malabarismos financeiros’ para honrar os compromissos. “E pagar fornecedores e garantir o salário do servidor. Estamos superando desafios e construindo um novo futuro”, pontuou Pedro Taques.
 
Leia mais:
- Pedro Taques assegura até R$120 milhões para construção pesada; R$ 90 mi já repassados à Sinfra

- Mato Grosso tem tradição de reeleger governadores que entram na disputa; até Silval venceu no primeiro turno

Somente quem administrou com mão-de-ferro e soube reinventar a busca por recursos, segundo Taques, é que saiu de 2017 sem muitos arranhões. “É certo que de 2017 foi um ano muito difícil. Não só para Mato Grosso, mas para o Brasil todo. Muito difícil para os estados e para os governadores. Muito difícil para os prefeitos que administram a sua cidade”, argumentou o governador.
 
Ao assegurar o salário em dia para os quase 100 mil servidores públicos ativos e inativos, ele crê ter mantido o crédito de todos perante o comércio, os bancos e a sociedade em geral. “Para vocês terem uma idéia, Minas [Gerais] possui mais de 800 municípios. Cerca de 700 não pagaram o 13º salário”, comparou Taques, para a reportagem do Olhar Direto.
 
O governador enfatizou que 12 estados estão com atraso salário ou pagando em parcelas. “Vejam que 12 estados da federação com graves problemas de caixa. Temos Rio Grande do Norte, Pernambuco, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro com seríssimos problemas de caixa. Não pagaram o 13º salário de 2016 nem o de 2017”, observou o chefe do Poder Executivo mato-grossense.
 
A articulação da equipe econômica e da bancada de Mato Grosso no Congresso Nacional, para viabilizar o Fundo de Auxílio às Exportações (FEX) foi citada como fundamental para o equilíbrio financeiro, na reta final de 2017. “Graças a Deus e a muito trabalho, nós conseguimos pagar o salário dos servidores, em dia. Pagamos 13º e estamos pagando os fornecedores com dinheiro do FEX”, justificou Taques.
 
A previsão do pagamento de dezembro de 2017 é de ser creditado no dai 8 de janeiro de 2018 para os aposentados e pensionistas, e no dia 10 para os demais.  (Colaborou Érika Oliveira)

24 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Mary
    06 Jan 2018 às 13:33

    Pagamento em dias.Décimo terceiro que é por lei pagar em dezembro eles adiciona na folha de pagamento de dezembro ou seja, os contrados irão receber só dia 11 de janeiro,passamos fim de ano sem um centavo no bolso.

  • Flavio
    06 Jan 2018 às 09:14

    Só vejo servidores criticando. Poderiam ao menos sugerir como resolver o problema de caixa que a grande maioria dos Estados está passando. Mas, o odio é prevalece e cega, vide alguns comentários aqui abaixo.

  • Lucia
    05 Jan 2018 às 23:29

    Pagou em dia? Ainda bem que seu desgoverno ta chegando ao fim. E vai tarde.

  • Joaquim
    05 Jan 2018 às 21:16

    Negrada passaram a trabalhar 2 horas a menos sem rução de um centavo no salário e ainda ficam falando mal do governador. Eu só acho que ele fez errado de não ter mandado embora a metade ao invés de reduzir horas de trabalho, aí pagaria quem realmente trabalha em dia , ainda sobraria recursos e esses neguinhos mal acostumados teria razão para ficar nesses blogues com mi mi mi.

  • INTERIOR
    05 Jan 2018 às 21:05

    eu votei nele... hoje entendo que fui engado por suas promessas, portanto a culpa foi dele ,agora se eu votar novamente e burrice é minha, ai esta dois baixinhos mentirosos e sinicos que so de olhar em suas caras da nojo pedro mentira e michel temer

  • Pedro Taques não eleito de novo
    05 Jan 2018 às 19:02

    Ou o governo mente ou a reportagem entendeu errado... pagou em dia a o salário? piada sem graça ... servidores passaram o fim de ano sem dinheiro para churrasco e para nada... Quero que esse governo se ferre...

  • Bea
    05 Jan 2018 às 18:32

    Sr. Governador, eu não gostava do sr. Antes das eleições, te achava esnobe, babaca, não acreditava em uma só palavra dita por vossa senhoria. Depois q foi eleito tudo q eu achava se confirmou. Então antes eu tinha raiva agora nem sei qual o sentimento possuo, só sei q não suporto ver sua cara é esse seu sorriso eu acho intolerável e falso

  • Fontes
    05 Jan 2018 às 18:15

    Este governador vai deixar uma bomba nas mãos do Mauro Mendes, vai deixar de pagar a dívida de 1 bilhão do estado com a União, jogando o pagamento para depois, vai fazer outro mega concurso pra Segurança Pública. Quero ver o que o Mauro Mendes vai fazer.

  • Gislton
    05 Jan 2018 às 18:13

    Que cara de pau mesmo é este Taques. um desgoverno onde até ESCALONAMENTO de salario ele fez. Então não tem nada de fazer comparações com outros estado ja que aqui no MT ta igualzinho em termo de pagar salario. Assamos comparações " qual obra grande que pedro taques faz dentro de cuiaba? " Todas as que estão ai sendo terminadas são de INICIATIVA da gestão anterior do Silval Barbosa, caso contrario Cuiabá seria uma Cuiabá velha sem modernidade. Seu Pedro tAques... menos por favor.

  • Bruno Muller
    05 Jan 2018 às 18:13

    Como assim superou dificuldades? Se a Defensoria Pública não recebeu os repasses, se os repasses dos municípios foi feito parcialmente, se a aprovação da Lei do Teto dos Gastos foi para permitir que arrolasse dívidas para o governo subsequente, que assumirá em 2019.

Sitevip Internet