Olhar Direto

Segunda-feira, 20 de agosto de 2018

Notícias / Política MT

Max revela que governo de MT fez pagamento emergencial de R$ 10 mi para assegurar comida aos presos

Da Redação - Ronaldo Pacheco

05 Jan 2018 - 16:10

Foto: Rogério Florentino Pereira / Olhar Direto

Max revela que governo de MT fez pagamento emergencial de R$ 10 mi para assegurar comida aos presos

A garantia de alimentação nas unidades prisionais de Mato Grosso, neste início de 2018, obrigou a equipe econômica do governo Pedro Taques a uma autêntica “engenharia financeira” com a Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejud), nesta quinta-feira (4), para pagar mais de 20 empresas fornecedoras de comida para os presos. Na última quarta-feira (3) teria ocorrido “panelaço” em mais de metade das penitenciárias e casas de detenção mato-grossenses.

Leia mais:
Taques enfatiza que MT superou dificuldades com trabalho e pagou salários em dia; 12 estados atrasam 

Embora o governo não reconheça a ocorrência, o secretário-chefe da Casa Civil, deputado Max Russi (PSB), confirmou que o governo acelerou o pagamento emergencial de mais de R$ 7 milhões, nesta quinta-feira (4), para as mais de 20 empresas fornecedoras de alimentos às unidades prisionais.  No final de dezembro, a Sejudh já havia pago cerca de R$ 3 milhões, chegando a R$ 10 milhões, em uma dívida estimada em quase R$ 15 milhões.

“O atraso não era desde julho. Tínhamos pago R$ 3 milhões em dezembro, porque são mais de 20 empresas fornecedoras [de alimentos para os presos]. O governo pagou R$ 3 milhões em dezembro e, agora, mais R$ 7 milhões, por determinação do governador [em exercício] Carlos Fávaro”,  ponderou Max Russi.

“Então, da dívida total de quase R$ 15 milhões, faltam menos de R$ 5 milhões. O governo ainda não abriu orçamento 2018, mas brevemente vamos pagar o que estiver incluso como restos a pagar”, argumentou o titular da Casa Civil.

Mesmo assim, ele sustenta que as empresas erraram em suspender o fornecimento de comida aos presos, unilateralmente. “A empresa não pode fazer isso. Deixar de prestar o serviço, assim, sem avisar; tem que notificar o Estado para que sejam tomadas as providências. Eu não tive conhecimento disso [panelaço]”, emendou o titular da Casa Civil.

Max Russi lembrou que Goiás está enfrentando rebelião nos presídios por falta de verba, já que os recursos para presídios são escassos. “Estamos construindo um em Várzea Grande. Tivemos que aportar mais de R$ 1,4 milhão para efetivar 1,2 mil novas vagas em Várzea Grande”, complementou ele.
 
Na noite da última quarta-feira, os presos comeram o que se chama por trás das grades de pão esperto. É pão francês com salsicha ou mortadela.  

Sejudh nega

A Sejudh nega que tenha ocorrido o panelaço ou mesmo a distribuição de pão esperto, para substituir o jantar da última quarta-feira (3). Em nota, a Secretaria não cita qualquer valor, mas admite atrasos e pontua existir esforços para que os pagamentos sejam quitados.

A integrada da nota

A Secretaria de Justiça e Direitos Humanos esclarece que em nenhum momento houve qualquer interrupção, suspensão ou substituição na alimentação fornecida aos 11 mil presos custodiados no Sistema Penitenciário de Mato Grosso.
 
As empresas fornecedoras estão recebendo a quitação de valores atrasados, conforme a disponibilidade financeira do Governo do Estado que, mesmo diante da dificuldade de caixa, promoveu esforços para honrar estes compromissos.

Secretaria de Justiça e Direitos Humanos de Mato Grosso
 

6 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • J. A. Silva
    06 Jan 2018 às 15:14

    Este governo só pagou os fornecimentos até o mês de setembro e ainda falta os fornecimentos dos meses de outubro, novembro e dezembro. Portanto, os fornecedores ainda está com dificuldade para cumprir com os compromissos contratuais em deprimento da falta de honradeis contratual do governo do Estado com os seus fornecedores,.

  • por justiça
    06 Jan 2018 às 09:14

    isso e uma brincadeira de mal gosto tem que oagar e todo mundo taques nunca mais e seus capachos....

  • mad
    05 Jan 2018 às 22:23

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Zeca do Tijucal
    05 Jan 2018 às 17:03

    é injusto a população pagar a comida dos presos por meio de impostos...temos outras prioridades, como saúde, educação e segurança... o preso que se vira com sua comida!! o próprio preso deveria trabalhar ou a família dele que deveria pagar a comida dele.

  • Elisangela Neponuceno
    05 Jan 2018 às 16:45

    Tadinhos, enquanto isto pessoas honestas no estado que tem filhos pra sustentar ficam em quinto plano porque sera esta inversão social,

  • joaoderondonopolis
    05 Jan 2018 às 16:32

    Este governo é mal pagador mesmo. E aonde está indo a arrecadação?, sendo que o governo arrecada R$ 50. milhões por dia.

Sitevip Internet