Olhar Direto

Segunda-feira, 20 de agosto de 2018

Notícias / Política MT

Acusações complicam candidatura de Taques, avalia Folha de São Paulo

Da Redação - Carlos Gustavo Dorileo

07 Jan 2018 - 10:30

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Acusações complicam candidatura de Taques, avalia Folha de São Paulo
A versão eletrônica do jornal Folha de São Paulo, um dos principais do país, publicou uma matéria neste sábado (6) relembrando os escândalos e crises nos três primeiros anos de gestão do governador Pedro Taques (PSDB) e destacou que o tucano terá complicações em sua candidatura a reeleição.

Leia também
Taques mandou repassar R$ 200 milhões para a saúde equacionar dívidas e melhorar atendimento


A matéria também ressalta que a tentativa de reeleição dependerá da colaboração dos poucos aliados políticos e que ele pode vir a disputar novamente uma cadeira no Senado.

Veja a íntegra da matéria 


Acusações complicam candidatura de governador de Mato Grosso neste ano

PABLO RODRIGO 
ESPECIAL PARA A FOLHA DE S. PAULO



O governador de Mato Grosso, Pedro Taques (PSDB), ex-procurador que ganhou destaque por combater a corrupção, entra no último ano de mandato com seu futuro político incerto, após denúncias sobre seu Governo.

A tentativa de reeleição dependerá da colaboração de poucos aliados que o tucano ainda tem.

Caso contrário, poderá disputar novamente uma cadeira no Senado.

Em 2015, Taques ganhou projeção nacional ao ser o primeiro governador a apoiar o impeachment de Dilma Rousseff.

Em seguida, deixou o PDT e se filiou ao PSDB tendo o então presidente do partido, Aécio Neves, como um dos principais apoiadores. 

Taques tem como padrinho político o ministro da Agricultura, Blairo Maggi (PP), que deve ser peça fundamental em 2018. 

Ex-procurador da República, Taques ingressou na política após ter se destacado em casos de combate a corrupção ao crime organizado. Em 2002, assinou o pedido de prisão que levou o senador Jader Barbalho (PMDB-PA) à cadeia. 

Também liderou as investigações que resultaram na Operação Arca de Noé em Mato Grosso, com a prisão do ex-bicheiro João Arcanjo Ribeiro, então chefe do crime organizado no Estado.

Após passar anos sob escolta policial, Taques deixou a carreira em 2009 para disputar o Senado em 2010 e, após quatro anos, o governo. Venceu nas duas. 

Após três anos de governo, Taques se tornou alvo da delação do ex-governador pelo PMDB, Silval Barbosa.

Hoje em prisão domiciliar, Barbosa disse em depoimento que houve caixa dois em 2014 na eleição do atual governador e que liberou R$ 10 milhões para a campanha do hoje tucano. 

Taques falou na época que o delator foi seu adversário político e que hoje tenta "fazer vingança pessoal".

O governador também viu seu nome ser envolvido em um suposto esquema de fraudes em licitações na Secretaria da Educação de Mato Grosso, com pagamento de propina de empresários com o objetivo de quitar dívidas de campanha.

O caso, revelado em 2016, levou o ex-secretário Permínio Pinto para a cadeia. 

Recentemente Taques se tornou investigado pelo Superior Tribunal de Justiça por conta do chamado "escândalo dos grampos", que envolvia uma central de interceptações telefônicas clandestinas contra adversários políticos, advogados, jornalistas e magistrados.

Ele nega ter cometido qualquer irregularidade e defendeu a investigação para que o assunto seja esclarecido.

Na administração pública, o governador do PSDB também vem enfrentando percalços com os servidores. 

A crise financeira do Estado fez com que os salários dos funcionários fossem escalonados por alguns meses, após 20 anos de pagamento em dia. 

À reportagem Pedro Taques evitou falar sobre as eleições deste ano. O assunto, diz, só será discutido por ele a partir de março. 

"Atualmente, sou candidato a ser um bom governador para o meu Estado".

14 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • por justiça
    08 Jan 2018 às 10:46

    o nosso MT precisa de pessoas honestas sem ser ganaiosos po di

  • ETKA
    08 Jan 2018 às 09:11

    Esta reportagem tem cara de encomenda. Muito fraca, superficial, ou o repórter é fraco. TAQUES é o menos ruim da turma que quer ser Governador. Que continue.....

  • por justiça
    08 Jan 2018 às 07:11

    Fora taque e toda sua cupla vigia meu povo MT. em prato limpo ja....

  • Lucas
    07 Jan 2018 às 19:25

    Veja bem. Não sou fã do Taques, mas parece encomendada pela oposição. O jornalista só abordou pontos negativos e alguns sem prova, como a citação do Taques na delação de Silval. Esse é um caso clássico de mal jornalismo.

  • Léo boy
    07 Jan 2018 às 19:16

    Funcionários públicos reclamado de barriga cheia, sai e deixa que quer trabalhar entrar no seu lugar já que está tão ruim assim

  • Critico
    07 Jan 2018 às 18:03

    Na política não dei certo. É melhor retornar pra casa e repensar em seu futuro.

  • Victor
    07 Jan 2018 às 16:39

    Se o Taques não se conformar em sair candidato a federal o Mauro Mendes vai auditar todas as secretarias e licitações do Estado. Melhor tirarem o cavalo da chuva WS.

  • Daiane
    07 Jan 2018 às 14:32

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Marcia
    07 Jan 2018 às 14:27

    Governador inconsequente sabia que o Estado estava endividado e saiu fazendo concursos pra todas as áreas. Afundou o Estado.

  • Saulo
    07 Jan 2018 às 14:25

    Chegando ao fim de mandato e não disse a que Veio, portanto tá fora do páreo.Taques vai pra casa.

Sitevip Internet