Olhar Direto

Segunda-feira, 20 de agosto de 2018

Notícias / Política MT

Dal Molin cobra debate sobre desenvolvimento de MT, se distancia de Taques e vê Maggi como comandante

Da Redação - Ronaldo Pacheco

09 Jan 2018 - 17:55

Foto: Rogério Florentino Pereira / Olhar Direto

Xuxu Dal Molin defende que Blairo Maggi lidere a discussão do projeto de desenvolvimento de Mato Grosso

Xuxu Dal Molin defende que Blairo Maggi lidere a discussão do projeto de desenvolvimento de Mato Grosso

Defensor de que seja aproveitado o momento pré-eleitoral para um amplo debate dos segmentos produtivos para se criar um modelo de desenvolvimento para Mato Grosso nos próximos 20 ou 30 anos, o deputado federal Ederson Xuxu Dal Molin (PSC) avalia que o equívoco é colocar a discussão dos nomes à frente do projeto. Ele entende que o senador Blairo Maggi, atual ministro da Agricultura, deve conduzir o processo. Por ser contrário à reeleição, Xuxu não irá apoiar o seu professor e atual governador José Pedro Taques, como fez em 2010 e 2014.
  
O parlamentar social crstão entende que o essencial é ter rumo. “Temos que discutir um amplo projeto para Mato Grosso, envolvendo todos os os setores econômicos. Enfim, as pessoas que pagam a conta. Depois, discutir quem tem o perfil para representar as pessoas”, ponderou ele.
 
Leia Mais:
- Sorriso vai sediar primeira Base de Combate a Incêndio para atender Amazônia Legal
 
- Xuxu Dal Molin defende setor produtivo e articula palanque para Bolsonaro em Mato Grosso

Xuxu ainda não sabe se irá enfrentar o ronco das urnas, neste ano, e lembrou que desistiu duas vezes de disputar a Prefeitura de Sorriso, em nome da unidade de seu grupo político. E é por isso que exige debate. “Vamos discutir com o setor prodtuivo,  envolvendo o pequeno e o médio. As pessoas se sentem muito enganadas. Nós não podemos mais enganar os geradores de emprego e de impostos, no país”, afirmou ele.
 
A sugetão do deputado do PSC é de que o ministro da Agricultura, senador Blairo Maggi (PP), lidere as dicussões do programa de desenvolvimento estadual, antes dos nomes. “Temos que fazer um projeto em que todos possam participar. Esse negócio de cima para baixo, nós não vamos aceitar. Ninguém quer isso”, observou ele
 
“Tenho grande respeito pelo ministro Blairo Maggi. É a grande personalidade para ajudar e liderar a discussão desse projeto desenvolvimentista. O interior tem que ser mais ouvido nessas decisões. Isso é muito importante. Peso econômcio e  eleitoral do interior é muito forte. Desejamos integração com a Baixada Cuiabana para fazer um projeto que atenda a todos”, sintetitzou Xuxu Dal Molin, em recente visita à Redação do olhar Direto.
 
 
A novidade pessoal do parlamentar é de que não irá apoiar a reeleição de Pedro Taques, a quem ajudou a ingressar na política, em 2009. “Não apoia mais [Pedro Taques]. Não vejo a reeleição como saudável para o país, em todos os níveis. Isso deixa bem calro”, justificou Xuxu, que foi aluno do governador, no curso de Direito.
 
“Se pegar a proporção, vê-se que aumentou muito a arrecadação e o número de habitantes. Então, era para ter uma qualidade melhor nos serviço prestados, principalmente, na saúde. Isso é fato”, resumiu o deputado do PSC.
 

6 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Dr Davi
    10 Jan 2018 às 11:34

    O governador Pedro Taques convocou aproximadamente 5 mil homens para a polícia militar, corpo de bombeiros e polícia civil no primeiro ano de mandato, aumentou os contratados de 5 para 15 mil e aumentou os valores das DGA s (indenizações) aos ocupantes de cargos de confiança. Realizou concurso para mil vagas para o Sistema Prisional ano passado, concurso pra PGE. Antes de assumir o governo criticou a denúncia fiscal concedida a grandes empresários e ao agronegócio, mas manteve todas. Silval não tem culpa sobre a situação atual. Pedro Taques precisa assumir a responsabilidade pelas suas más escolhas.

  • Eduardo
    10 Jan 2018 às 08:25

    Ainda não vi surgir nomes que sejam apontados pelo povo, o que vi são os detentores do dinheiro indicando os seus candidatos, estes terão a missão de convencer o povo...

  • deovaldo
    09 Jan 2018 às 23:09

    Veremos deu molinho

  • Ângelo
    09 Jan 2018 às 21:50

    Na verdade essa gente ligada ao agronegócio não quer que o estado se desenvolva de fato pois o desenvolvimento econômico pressupõe em alguma fase a sua industrialização. Eles querem que MT seja eternamente um estado exportador de commodities. Enquanto a China absorver a produção de Mato Grosso eles "nadam de braçada" o problema é quando os asiáticos pararem de comprar. Até quando a economia do estado vai servir aos interesses exclusivos do latifúndio monocultor? E esse senhor além de tudo é defensor do Bolsonaro, ou seja, a visão de mundo e de sociedade dele é quase nula ...

  • Edmilson Rosa
    09 Jan 2018 às 21:01

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Saulo
    09 Jan 2018 às 20:14

    Tá começando o abandono ao anão, não fez por merecer a reeleição, governo medíocre sem rumo sem projeto.Taques nunca mais.

Sitevip Internet