Olhar Direto

Sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

Notícias / Política BR

Em Cuiabá, ministro afirma que avalia pesquisas antes de se lançar a presidente

Da Redação - Érika Oliveira / Da Reportagem Local - Ronaldo Pacheco

19 Mar 2018 - 07:55

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Em Cuiabá, ministro afirma que avalia pesquisas antes de se lançar a presidente
A pré-candidatura do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), à Presidência da República, além dos planos do presidente Michel Temer (MDB) de tentar a reeleição, podem ter minado o projeto de candidatura do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles (PSD), ao cargo. Em visita a Cuiabá, na última semana, Meirelles defendeu que só um dos nomes seja lançado na disputa e afirmou que está avaliando as “pesquisas” para decidir se disputa ou não a vaga no Planalto.

Leia mais:
Taques intensifica viagens ao interior e investe em transmissões no Facebook para anunciar obras

“Nós estamos ainda conversando com partidos, com lideranças, avaliando uma série de pesquisas, porque eu sempre tomo as minhas decisões com muita seriedade. Tudo está sendo avaliado e até 7 de abril vamos anunciar. Estamos trabalhando juntos, conversando, de maneira que se possa ter candidaturas fortes e em condições de fato de vencer a eleição”, declarou o ministro, durante o Seminário Gazeta Agro, no Cenarium Rural.

E, embora demonstre certo otimismo, a situação de Meirelles já não era das melhores. Seu atual partido, o PSD, já declarou apoio à candidatura do tucano Geraldo Alckmin. A proximidade das duas legendas, pelo menos até o momento, se repete também em Mato Grosso, onde o governador Pedro Taques (PSDB) e o vice Carlos Fávaro – presidente do PSD no Estado – ainda mantêm aliança.

Diante dos conflitos dentro do PSD, Meirelles buscou aproximação com o MDB, partido do presidente Michel Temer. O bom desempenho à frente da Fazenda e o relacionamento com o mercado financeiro fizeram do ministro uma opção para ser candidato governista.

No entanto, o Democratas lançou oficialmente a pré-candidatura de Rodrigo Maia ao cargo. E o apoio de partidos como PP, PRB, PSC, PHS, PR, Solidariedade e Avante a este projeto fez com que emedebistas reavaliassem a candidatura de Meirelles.

Além disso, apesar dos altos índices de rejeição e de ter somente 1% de intenções de voto, uma possível candidatura de Temer à reeleição ganhou força após o Governo decretar intervenção na segurança pública no Rio de Janeiro. “Por isso é que eu ainda não tomei a minha decisão, é uma das questões importantes. Existem outras questões também, questões partidárias, etc. O importante é que esse ano seja feita uma boa escolha”, disse Meirelles, nesta segunda-feira.

No que depender da sorte, a vinda do ministro a Cuiabá pode lhe render bons frutos. Resguardadas as complicações que Meirelles enfrenta, vale destacar que o último ministro da Fazenda que veio à Capital mato-grossense foi Fernando Henrique Cardoso (PSDB), em 1994, pouco antes de lançar o Plano Real. Depois disso, o tucano se desincompatibilizou e saiu candidato à Presidência da República, vencendo Lula (PT) duas vezes, no primeiro turno.

5 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Cacerense
    19 Mar 2018 às 22:23

    "Se lançar a presidente"... Quá, quá, quá!!

  • Pedrão
    19 Mar 2018 às 17:55

    O eminente ministro podia ter aproveitado que estava na região e avaliado a possibilidade de se lançar lá do portão do inferno :)

  • manolo
    19 Mar 2018 às 14:41

    "O bom desempenho (sic) à frente da Fazenda e o relacionamento com o mercado financeiro fizeram do ministro uma opção para ser candidato governista." Sobre o relacionamento com o mercado financeiro, sem dúvida, é o cara...trabalhem, otários, para os donos do dinheiro...a economia e as finanças vão de mal a pior e a verdade, bom, essa não importa, o que importa é a ilusão em prol do capital financeiro...

  • andre
    19 Mar 2018 às 09:45

    Sai fora, eleger banqueiro para governar o país que só tem ladrão e que o mesmo irá favorecer só os seus pares e o povo que irá se ferrar, nem a pau, e o pior perfil esse maluco tem perfil de PSDB/DEM.

  • JUCABALA
    19 Mar 2018 às 09:21

    Tanto esse, como o Temer e o Maia, só ganham se as urnas forem devidamente programadas para isso!!!! O que não é de se duvidar!!

Sitevip Internet