Olhar Direto

Sábado, 20 de outubro de 2018

Notícias / Educação

Alegando caos da educação, professores paralisam atividades na capital

Da Redação - Fabiana Mendes

20 Abr 2018 - 11:01

Foto: Reprodução

Alegando caos da educação, professores paralisam atividades na capital
Profissionais da Educação Municipal paralisam os serviços nesta sexta-feira (20), e alegaram a instalação de um caos, promessas não cumpridas, e contradições por parte do prefeito Emanuel Pinheiro e secretários de educação. Por conta disto, os alunos não tiveram aulas. Ainda hoje, está previsto uma manifestação às 14h30, em frente à da Secretaria Municipal da Educação (SME), no bairro Bandeirantes, em Cuiabá.

Leia mais: 
Sintep cobra posse imediata de candidatos aprovados no concurso da Seduc

O Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT), apontou que a morosidade da SME na resolução de problemas, tem provocado indignação e desestimulo generalizado entre os trabalhadores do setor, além das inúmeras conversações “entabuladas” entre o prefeito e secretários de educação. “Paciência tem limites”, afirmou o sindicato. 
 
No ato, os profissionais irão reivindicar a aprovação da proposta da Lei Orgânica dos Trabalhadores da Educação; cumprimento da Lei da Gestão Democrática; celeridade na publicação dos processos de elevação de nível e pagamento imediato os respectivos retroativos; publicação do edital de seleção para disciplina de artes e demais disciplinas específicas, e posteriores seletivos com validade de dois anos; definição de agenda para reformas e manutenção das unidades educacionais.
 
Em entrevista ao Olhar Direto, o prefeito Emanuel Pinheiro disse que os “pequenos” detalhes com os profissionais serão superados e resolvidos. Ele também afimou que possui uma relação próxima e de respeito com a categoria. 

“Vamos contribuir e trabalhar muito. Tenho que certeza que será apenas uma paralisação de alerta, até porque temos uma ótima relação com o Sintep, de muito respeito e avanços. Estamos cumprindo todos os nossos compromissos, sem exceção com a categoria. Tenho uma admiração e carinho, e uma relação muito próxima com toda a rede pública municipal de ensino, e com todos os profissionais da educação. Tenho certeza que os pequenos detalhes que estão causando este atrito serão superados e resolvidos”, afirmou.

A  Secretaria Municipal de Educação respondeu reivindicações do SINTEP por meio de carta aberta

6 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Helder
    20 Abr 2018 às 17:21

    Quando o feriado cai no sábado, o bom é fazer a paralização na sexta-feira mesmo.

  • Juca Pirama
    20 Abr 2018 às 13:51

    O MP tem que averiguar com muita seriedade os motivos que deflagaram esta paralisação, os alunos não podem ser prejudicados por caprichos de alguns, que seja apurado o real motivo da paralisação e haja rigorosa punição a quem merecer.

  • Juca Pirama
    20 Abr 2018 às 13:51

    O MP tem que averiguar com muita seriedade os motivos que deflagaram esta paralisação, os alunos não podem ser prejudicados por caprichos de alguns, que seja apurado o real motivo da paralisação e haja rigorosa punição a quem merecer.

  • Zé Galera
    20 Abr 2018 às 11:24

    Como narra a matéria, o interesse é particular dos professores em solicitar benefícios próprios, não tem nada de "caos" na educação. MP, TJ, ponha essa laia para trabalhar! E o pior é que só fazem paralisação nas sextas-feiras ou véspera de feriados prolongados, né?

  • Zeca
    20 Abr 2018 às 11:21

    Mentira, isso é coisa do SINTEP com o PT para protestarem em favor do bandido presidiário Lula!

  • Realista
    20 Abr 2018 às 11:10

    Esse sindicato é pau mandado do PT. Eles usam a mobilização da categoria apenas para favorecer os interesses do PT. Mas os trabalhadores não aceitam mais esse sindicalismo pelego e de cabresto.

Sitevip Internet