Olhar Direto

Quinta-feira, 18 de outubro de 2018

Notícias / Ciência & Saúde

Ministério da Saúde investiga duas mortes por suspeita de chikungunya em MT

Da Redação - Fabiana Mendes

09 Mai 2018 - 15:19

Foto: Ilustração

Ministério da Saúde investiga duas mortes por suspeita de chikungunya em MT
Boletim epidemiológico divulgado pelo Ministério da Saúde aponta que duas mortes sob suspeita da febre chikungunya são investigadas em Mato Grosso. No ano passado, uma pessoa teve a morte confirmada por conta da doença infecciosa. Os dados também apontam que quase 40% dos casos da febre, no país, estão concentrados em MT. As informações foram coletados entre 31/12/2017 e 14/04/2018.

Leia mais: 
Quase metades dos casos de chikungunya do país se concentram em Mato Grosso

Entre os municípios com as maiores incidências registradas estão Nossa Senhora do Livramento, com 793 casos/100 mil hab.; Várzea Grande, com 3.182,0 casos/ 100 a 499 mil hab. e Cuiabá, com 200,6 casos/ 500 a 999 mil hab. Conforme o boletim, são 26,475 casos no Brasil, sendo que 10,467 se concentram em Mato Grosso.
 
Os municípios foram comparados utilizando estratos populacionais distribuídos da seguinte forma: menos de 100 mil habitantes; de 100 a 499 mil; de 500 a 999 mil; e acima de 1 milhão de habitantes.
 
O Centro-Oeste também apresentou o maior número de casos prováveis de febre de chikungunya, (10.714 casos; 67,5%) em relação ao total do país. Em seguida aparecem as regiões Sudeste (9.179; 10,6 %), Nordeste (3.893; 6,8 %).
 
Chikungunya
 
A febre chikungunya é uma doença infecciosa causada pelo vírus CHIKV e transmitida pelos mosquitos Aedes aegypti e Aedes albopictus. Caracteriza-se, principalmente, pela febre alta (cerca de 39ºC) e fortes dores nas articulações.

Seu primeiro caso foi detectado no ano de 1952, na Tanzânia, e o termo “chikungunya” deriva do swahili, um dos idiomas do país, e significa “aqueles que se dobram”, devido à curvatura com que os pacientes podem atingir por conta das intensas dores causadas pela doença. Em solo brasileiro, a doença foi confirmada apenas em 2014, porém, desde então, as preocupações são grandes.
 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet