Olhar Direto

Sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

Notícias / Política BR

“Desbloqueia ou não tem condição de continuar no comando”, diz Maggi sobre Temer

Da Redação - Wesley Santiago

30 Mai 2018 - 09:28

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

“Desbloqueia ou não tem condição de continuar no comando”, diz Maggi sobre Temer
O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Blairo Maggi, afirmou que o presidente Michel Temer precisa continuar com a postura firme contra a paralisação dos caminhoneiros, que entrou no seu decido dia nesta quarta-feira (30), mas começou a perder força, com desmobilização em vários pontos do país. Para Maggi, “desbloqueia as estradas ou não tem condição de continuar no comando”.

Leia mais:
No 10º dia de greve, operação policial libera rodovias em Cuiabá e Rondonópolis
 
“O movimento tem o objetivo de derrubar o governo, conversei com o presidente sobre este assunto. Desbloqueia as estradas ou então não tem condição de continuar no comando. Nas eleições, é o momento do povo escolher o caminho que deseja, dentro do voto e não pela força, como alguns estão querendo fazer”, comentou o ministro, em entrevista à rádio Capital FM.
 
Maggi ainda avalia que a força está sendo necessária em alguns pontos para que a economia se reestabeleça e os produtos não faltem à mesa do cidadão: “Já repassei a situação ao presidente, disse da gravidade do que estamos vivendo e o custo que isto terá para a nação em um futuro próximo. Muitas estradas foram desobstruídas, mas é preciso tomar esta decisão firme. Daqui a pouco estamos brigando por um quilo de feijão, é inadmissível”.
 
“A parte dos caminhoneiros foi resolvida. Foram 12 itens apresentados e a pauta levada ao governo foi atendida. O PIS/Confins foi zerado, que é a redução que o governo fez. Tudo que foi pleiteado, foi atendido. Se querem derrubar o presidente, um movimento político, vai prejudicar a sociedade com o desabastecimento”, finalizou o ministro.
 
Entenda
 
A greve dos caminhoneiros, que completa o seu décimo dia nesta quarta-feira (30), sofreu um duro golpe em duas das maiores cidades de Mato Grosso. Uma ação policial, coordenada pelo Centro de Comando e Controle da Secretaria de Estado de Segurança Pública, desobstruiu um trecho da BR-364, na altura do Posto Locatelli e também em Rondonópolis (215 quilômetros de Cuiabá).
 
O governo federal anunciou, no dia 24 de maio, uma proposta para suspender a greve dos caminhoneiros por 15 dias. Porém, os manifestantes continuam a bloquear pelo menos 29 trechos de rodovias federais que cortam Mato Grosso. Em outros Estados, a situação é a mesma. Vale lembrar que diversos serviços foram suspensos ou reduzidos por conta da falta de combustível. O protesto já dura cinco dias e tem reflexos em diversos setores.
 
A mobilização foi proposta pela Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA) e iniciou na manhã desta segunda-feira (21). Em razão dos pesados impostos e do baixo valor dos fretes, a categoria afirma que enfrenta uma grave crise e articula ações em todo o país para evidenciar o descontentamento com a atual política econômica. A PRF mantêm o diálogo com os caminhoneiros.

11 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • ME POUPE DE LOROTA
    30 Mai 2018 às 17:24

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Carlos Nunes
    30 Mai 2018 às 16:31

    A Band está mostrando agora, no Brasil Urgente, dois casos dramáticos...a turma do CAOS matou um caminhoneiro com uma pedrada na cabeça, quando ele quis passar...e noutro caso, abriram a porta do caminhão, e encheram o caminhoneiro de pancadas, porque ele queria passar também. Cadê a parte da Constituição que garante o direito de "ir e vir"? O que tão fazendo as nossas "otoridades", que não fazem cumprir a Constituição. Nos dois casos citados, no primeiro houve assassinato do caminhoneiro, no segundo agressão bárbara.

  • Carlos Nunes
    30 Mai 2018 às 14:14

    Mais uma vez o livrinho chamado Constituição foi jogado na lata do lixo. Naquela parte que assegura o direito de "ir e vir"...bloqueou uma rodovia, esse direito constitucional de todos os cidadãos foi pro espaço. Se nem a Constituição cumprem, imaginem o resto. Aí, ficam desmoralizados, ninguém confia mais nem no Executivo, nem no Legislativo, nem no Judiciário. Tem que parar urgentemente a turma do CAOS, infiltrada entre os caminhoneiros. Ontem vários telejornais, mostraram caminhoneiros reclamando pra burro, dizendo que queriam retornar até para suas casas, e a turma do CAOS não deixava. Quem saia era hostilizado, e tinha vidro dianteiro dos caminhões quebrado a pedradas.

  • INTERIOR
    30 Mai 2018 às 14:13

    esse cidadão da elite esta certo. tem que tirar o comando de temer para ter um comando que possa limpar esse quartel da corrupção da ladroagem que assolam o pais... em breve brasileiros terão que vender a alma para pagar imposto.. que é saco sem fundo ,precisa tomar atitudes como esta para se livrar das garras das quadrilhas organizadas autorizada pela politica... cidadão de bem vota querendo um representante e acaba elegem um marginal, o dinheiros que politicos rouba mata vidas nas filas de hospitais,mata na falta de remedio,hoje me sinto tão revoltado que já acho que nosso presidente fosse fernadinho beira mar..seriamos mas bem assistido, pois no crime tem organização, tem união, estamos a mercê de uns canalhas destes...

  • samuel franco Daia Junior
    30 Mai 2018 às 11:35

    O Ministro tem razão. Se esse Temmer não tem liderança, não tem representatividade, não tem nem legitimidade e muito menos conta com o respeito da população, é melhor cair fora mesmo e passar o comando a outro ou outra.

  • Cuiabano
    30 Mai 2018 às 10:49

    Burro e quem elege canalhas

  • marcelo augusto
    30 Mai 2018 às 10:48

    Não está sendo possivel saber o que reinvindicam neste momento os que se mantém nas estradas. Acreditamos que passaram um pouco do ponto. Talvez agora deixa a coisa dar uma respirada, e se o Governo Federal, que não é de fato confiável cumprir, que se retome nova paralisação. O Governo era fraco e ficou mais fraco apos as manifestações. Um novo pais só virá daquilo que hoje mais detestamos, a política, e ainda que infelizmente, é da politica que virão novas respostas. Em quatro meses, via processo eleitoral, este governo estará fora. Vivemos num mundo globalizado e precisamos cuidar da imagem internacional que isso está passando.

  • Ronaldor
    30 Mai 2018 às 10:45

    Engraçado essas emendas não chegaram aos postos de combustível Pelo contrário o preço continua alto isso se achar o combustível é por isso que os caminhoneiros estão parados Será que ninguém ver isso.

  • eduardo
    30 Mai 2018 às 10:44

    esse é um falastrão, membro da elite agrária, além de responder diversos processos de improbidade administrativa. a raiz de todos os males no brasil é a concentração de renda gerada pelos privilégios de alguns setores, como o agronegócio. pena que o atual governo não tem coragem para mudar a estrutura econômica perversa, que gera desigualdade, injustiça e ilhas de riquezas.

  • Órdem e Progresso
    30 Mai 2018 às 10:18

    Oportunista...subiu o ICMS da conta de energia dos 17% que a constituição permite para 25% e com cálculo oculta chega a 42% do coitado povo de MT, não tem moral... Num calorão desse de Cuiabá se o cuiabano ligar o ar condicionado, vai pagar $600,00 de energia elétrica sendo 42% desse valor é ICMS... pasmem!! E ninguém fala nada...

Sitevip Internet