Olhar Direto

Quinta-feira, 18 de outubro de 2018

Notícias / Política BR

Caminhoneiros dizem ser feitos reféns por baderneiros, revela Maggi

Da Redação - Wesley Santiago

30 Mai 2018 - 17:11

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Caminhoneiros dizem ser feitos reféns por baderneiros, revela Maggi
O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Blairo Maggi, afirmou ter recebido informações da Agência Brasileira Inteligência (Abin) e dos próprios caminhoneiros, dando conta de que motoristas sendo feitos reféns por baderneiros que se infiltraram na paralisação, que entrou nesta quarta-feira (30) em seu décimo dia. Maggi ainda acrescentou que aproveitadores estão querendo fazer ato político e desvirtuaram os motivos da greve.

Leia mais:
“Desbloqueia as estradas ou não tem condição de continuar no comando”, diz Maggi sobre Temer
 
“Os próprios caminhoneiros estão dizendo que querem ir embora, mas que estão sendo feitos reféns de baderneiros e aproveitadores que estão querendo fazer política com a manifestação. Não justifica isto e por isso é preciso repudiar e forçar liberação para que a economia volte ao normal”, comentou o ministro em entrevista à rádio Capital FM.
 
Maggi ainda reforçou que recebeu as mesmas informações de setores de inteligência do governo. “Os motoristas pediram a volta ao trabalho, estão dizendo que hoje são reféns de pessoas que não fazem parte do movimento e que tomaram conta do processo. Esta é a informação que tem corrido na própria categoria e também na Abin. São questões que vieram no decorrer da greve”.
 
O chefe do Mapa ainda acrescentou que o presidente Michel Temer precisa continuar com a postura firme contra a paralisação dos caminhoneiros. “Desbloqueia as estradas ou não tem condição de continuar no comando”, afirma Maggi.

Morte na estrada

Horas após a entrevista de Blairo Maggi, a primeira morte foi resgistrada desde o início da paralisação. A vítima foi um caminhoneiro que tentava voltar a trabalhar e levou uma pedrada, que atravessou o para-brisa e lhe atingiu na cabeça.

A vítima da pedrada morreu em Vilhena (GO), a caminho de Comodoro, em Mato Grosso. Até o momento ninguém foi preso pelo crime.
 
Entenda
 
A greve dos caminhoneiros, que completa o seu décimo dia nesta quarta-feira (30), sofreu um duro golpe em duas das maiores cidades de Mato Grosso. Uma ação policial, coordenada pelo Centro de Comando e Controle da Secretaria de Estado de Segurança Pública, desobstruiu um trecho da BR-364, na altura do Posto Locatelli e também em Rondonópolis (215 quilômetros de Cuiabá).
 
O governo federal anunciou, no dia 24 de maio, uma proposta para suspender a greve dos caminhoneiros por 15 dias. Porém, os manifestantes continuam a bloquear pelo menos 29 trechos de rodovias federais que cortam Mato Grosso. Em outros Estados, a situação é a mesma. Vale lembrar que diversos serviços foram suspensos ou reduzidos por conta da falta de combustível. O protesto já dura cinco dias e tem reflexos em diversos setores.
 
A mobilização foi proposta pela Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA) e iniciou na manhã desta segunda-feira (21). Em razão dos pesados impostos e do baixo valor dos fretes, a categoria afirma que enfrenta uma grave crise e articula ações em todo o país para evidenciar o descontentamento com a atual política econômica. A PRF mantém o diálogo com os caminhoneiros.

5 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Luciana
    31 Mai 2018 às 08:20

    É esse pessoal simpatizantes do Bolsonaro que se infiltraram na greve para fazer política partidária e pedir a intervenção militar, são violentos, aqui em Sorriso ficou claro a postura deles...

  • Alexandre Fernandes
    31 Mai 2018 às 05:24

    Vilhena é no estado de Rondônia (RO)

  • Marcos Justos
    30 Mai 2018 às 23:30

    Abin bem que poderia trabalhar servindo ao nosso país, ao povo brasileiro que de fato “paga a conta”. Se a Abin usasse 1/3 de seus recursos p investigar os políticos, ministros do STF, esses baderneiros, com certeza o Juiz Sérgio Moro e a população brasileira iriam ficar muito agradecidos.

  • edilson
    30 Mai 2018 às 23:02

    GLOBO, VOCÊ NÃO ME MANIPULA.

  • Carlos Nunes
    30 Mai 2018 às 18:58

    Essa Abin tá meio lenta...devia ser preventiva, informar ao presidente lá atrás que tudo isso ia acontecer...e aconselhar que a negociação com os caminhoneiros já devia ter começado faz tempo. Mas não...depois que a porta tá arrombada, não adianta colocar tranca nova. Ultimamente as Agências não tão funcionando bem...Recentemente a CIA soltou algumas informações sobre Geisel, Gen. Figueiredo, eles não tão mais vivos pra responder, defender. Mas a CIA não explica por que a acusam de ter assassinado os irmãos Kennedy. Tem até livros históricos falando isso...eles mesmos assassinaram os dois.

Sitevip Internet