Olhar Direto

Quarta-feira, 17 de outubro de 2018

Notícias / Política MT

Bem votados e sem mandato: veja quem foi “injustiçado” pelo quociente eleitoral

Da Redação - Lucas Bólico

12 Out 2018 - 10:08

Foto: Rogério Florentino Pereira/ OD

Com mais votos que Juares Costa, Galli ficou de fora da Câmara

Com mais votos que Juares Costa, Galli ficou de fora da Câmara

Ser um dos candidatos mais bem votados não garante, necessariamente, um mandato de deputado estadual ou federal. A escolha de quem será eleito também tem de passar pelo método de distribuição de cadeiras no parlamento calculado pelo quociente eleitoral.

Leia também:
Veja todos os eleitos aos cargos de deputado estadual e federal por Mato Grosso

O sistema foi pensado para buscar equilíbrio e privilegiar tanto a força da representatividade do candidato como a do partido e coligação partidária. Em síntese, o preenchimento das vagas é feito segundo o cálculo do quociente eleitoral e quociente partidário e distribuição das sobras.
 
Na prática, na eleição proporcional no Brasil, é o partido ou a coligação que recebe as vagas, e não o candidato. Nesse tipo de pleito, o eleitor, ao votar, escolhe ser representado por determinado partido e, preferencialmente, pelo candidato por ele escolhido.
 
O voto do eleitor na eleição proporcional brasileira indicará quantas vagas determinado partido/coligação vai ter direito. Por isso, mesmo que um candidato tenha votação expressiva, se o partido/coligação não ganhar vaga, o candidato pode não ser eleito.
 
É basicamente essa a explicação para o fato de, por exemplo, João Batista do Sindspen ter sido eleito com 11.374 votos e Romoaldo Junior, com 18.467 votos, não ter conseguido uma cadeira na Assembleia Legislativa. A coligação de Romoaldo conseguiu nove vagas e ele foi o décimo mais votado no bloco partidário, que congrega MDB, DEM, PDT, PSC, MDB, PHS, PSD e PMB.  
 
Na disputa por uma cadeira na Câmara Federal, somente dois candidatos acabaram “injustiçados” pela divisão por quociente. Juares Costa foi eleito com 49.912 votos e Victório Galli e Gisela Simona tiveram mais votos, respectivamente 52.974 e 50.682, mas não entraram na vaga.
 
Na disputa pela Assembleia Legislativa foram 20 candidatos mais bem votados que João Batista do Sindspen. Confira a lista abaixo, com o nome dos candidatos e o número de votos recebidos:

Romoaldo Junior – 18.467

Henrique Lopes do Sintep – 18.300

Silvano Amaral 18.068

Eduardo Magalhães – 17.773

Toninho de Souza – 17.133

Hermes Bergamim – 16.923

Leandro Félix – 16.604

Juca do Guaraná Filho – 15.924

Carlos Avalone – 14.263

Pedro Satélite – 13.860

Dr Divino Henrique – 13.759

Saturnino Masson – 13.434

Dr Sergio Delegado 13.207

Zeca Viana – 12.603

Suelme Fernandes – 12.074

Oscar Bezerra – 11.827

Mauro Savi – 11,683

Gilberto Cattani 11.629

Lilo Pinheiro – 11.516

Layr Mota – 11.369
 

16 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Oldemir
    13 Out 2018 às 09:56

    Tem que saber fazer as coligações... os líderes que decidem é não tiveram esse cuidado... devem mesmo ficar fora

  • Claudio oliveira
    13 Out 2018 às 09:04

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • ELEITOR 2018
    13 Out 2018 às 08:59

    dia 28/10 - Bolsonaro 17# - Ajudem o Brasil

  • Da Gurizada CMC
    13 Out 2018 às 08:50

    Dona Jacira a gente vai no amado batista la. Pode ser?

  • Eleitora contra o ódio
    13 Out 2018 às 06:29

    https://brasil.elpais.com/brasil/2018/10/10/politica/1539207771_563062.html

  • Ana Lídua
    13 Out 2018 às 06:29

    Isso que dá ficar preocupado com a sexualidade do Mickey Mouse e se esquecer de debater matérias sérias e de interesse da população cuiabano. À exceção de Zeca e da Gisela Simona, os demais citados não farão falta.

  • Lucas Rocha
    13 Out 2018 às 03:39

    O tal do Galli não pode reclamar: Na eleição de 2014, teve muito menos voto que Procurador Mauro, e foi favorecido pelo sistema proporcional, ganhando o mandato. Agora, pagou a pena... Bem-feito: menos um preconceituoso no Congresso.

  • Irineu Morais
    12 Out 2018 às 22:12

    Aqui em sinop varias eleitores tinha até escolhido ele até porque estava ao lado do Bolsonaro, mas quand viram a ganância de querer colocar o filho candidato também foi a gota d, agua , varios muitos foram pro Nelsom barbudo revoltados.

  • Mst
    12 Out 2018 às 21:56

    Tchau querido........

  • anderson
    12 Out 2018 às 20:30

    adorei que vc perdeu....