Olhar Direto

Terça-feira, 22 de janeiro de 2019

Notícias / Política MT

Governo encaminha pedido e deve fechar seis empresas públicas de Mato Grosso

Da Redação - Wesley Santiago

08 Jan 2019 - 17:53

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

Governo encaminha pedido e deve fechar seis empresas públicas de Mato Grosso
O governo pediu autorização à Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) para fechar seis empresas públicas do Estado. A medida é vista como mais um passo na tentativa de frear os gastos com a máquina e equilibrar as contas. A afirmação foi feita por Mauro Mendes (DEM), nesta terça-feira (08), em entrevista à TV Centro América.

Leia mais:
Mauro questiona salários de R$ 15 mil para motorista e vencimento quatro vezes maior para técnico
 
“Não dá mais para ficar contando mentiras. Quando você tem uma dura realidade, precisa mudar muitas coisas. Hoje, entregaremos um conjunto de leis na Assembleia Legislativa para tentar amenizar esta situação. Mudamos o regime de trabalho no nosso primeiro dia de governo. O gestor anterior colocou uma lógica de que trabalhando menos, economizaria. No meu entendimento é ao contrário, precisamos trabalhar muito para superar isto”, comentou o governador.
 
Mauro ainda acrescentou que o cidadão não está disposto a pagar mais imposto: “Por isso, estou fazendo um grande esforço para economizar despesas. Estou cortando para 15 secretariais e mandando um projeto de lei que pede autorização para fechar seis empresas públicas, cortar despesas, aquilo que hoje não é necessário”. Entre elas, estão a Metamat e a Desenvolve MT.
 
“Apesar deste cenário ruim, acredito muito em Mato Grosso. Teremos que tomar medidas necessárias para recuperar. Vou propor um pacto pelo nosso Estado, para que possamos ter condições de ter a altura do que somos. Temos de enfrentar o crescimento da despesa. É o momento de parar, dar um tempo, colocar a casa em ordem. Vamos investir no cidadão e quando a economia recuperar, podemos ter novas recomposições”, finalizou o governador.

Caixa zerado

Mauro Mendes recebeu o Governo no dia 01 de janeiro sem dinheiro em caixa para o pagamento da folha salarial referente a dezembro, quando Pedro Taques (PSDB) ainda era governador. Isto porque, há dois anos, a arrecadação do recurso utilizado para pagar os servidores vem sendo feito nos primeiros dez dias do mês subseqüente ao trabalhado.

A folha salarial de novembro, paga no mês passado, precisou ser escalonada. A expectativa de que o mesmo ocorresse este mês era grande, por conta da redução na arrecadação do Estado, comum nos primeiros meses do ano.

Além disso, o Governo ainda aguarda a vinda dos R$ 400 milhões referentes ao Auxílio Financeiro para Fomento das Exportações (FEX), que até a presente data não foi pago pelo Governo Federal.

O 13º salário de 2018 dos aniversariantes de novembro e dezembro e dos servidores comissionados também ficou pendente. Conforme o ex-titular da Casa Civil, Ciro Rodolpho Gonçalves, os cerca de R$ 120 milhões a serem pagos foram contabilizados como dívidas no fechamento do balaço do governo, para serem quitadas por Mauro Mendes.

17 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Carlos
    09 Jan 2019 às 23:42

    A SECITEC deveria no maximo ser uma Secretaria adjunta da SEDUC... reduziria muito os gastos com servidores e manutencao... O Estado tem o dever do ensino médio... ensino superior é com o Governo Federal.... Fica a dica ao Governador...

  • Leonardo
    09 Jan 2019 às 21:10

    Muito estranho essas mudanças tão grandes logo de começo. Tem que se analisar bem cada função das empresas e o real gasta e lucro que cada uma proporciona. Não acho que os servidores devem pagar pela ma gestão passada, até pq eles estão ali por mérito próprio, existe muitos funcionários com grandes competências e formação. Se hj existe motorista ou faxineira que ganham bons salários qual a culpa que eles tem se as leis os permitiram???? Os devios enormes que os altos políticos fazem por aí não se tem plano de inibir né.

  • Detran
    09 Jan 2019 às 13:43

    By by MTI lá no DETRAN não vai fazer falta pra ninguém, talvez só para o gestor do sistema DETRANNET que compactua com o servicinho prestado por vcs. Se quiser pode levá-lo tbem.

  • Critico
    09 Jan 2019 às 13:15

    Pedrinho Marvadeza, lembra muito seu antecessor.

  • André
    09 Jan 2019 às 12:51

    Nada contra "repensar" a estrutura do Estado, realmente passou da hora de se fazer uma readequação da estrutura. O que me deixa preocupado é a velocidade de mudanças tão profundas, me parece que estão mirando apenas a redução com pouco critério para eficiência. Há mais estruturas a serem revistas, mas o Estado é maior que um governo e não se pode destruir coisas que são importantes.

  • José
    09 Jan 2019 às 11:57

    Favor não esquecer de recuperar o dinheiro desviado pelo desgoverno da transformação em caos e roubalheira.Também deve explicações quanto a operação Rêmora por desvio de R$57 milhões na SEDUC operação Bereré por desvio de R$30 milhões no Detran operação Grampolândia na segurança pública usada para chantagear adversário delação de Alan Malouf sobre Brustolin e vários secretários com R$50 mil/mês por fora mensalinho R$100 milhões por dentro para os deputados rombo de R$4 bilhões no caixa e desvio de $230 milhões do fundeb desvio de R$1,2 milhões no fundo de trabalho escravo desvio e apropriação de R$300 milhões dos municípios desvio e apropriação de R$300 milhões dos poderes aumento de $2 bilhões nos Incentivos Fiscais aumento de milhares de cargos políticos comissionados, aumentou da folha de pagamento pela contratação de mais de 10.000 pessoas uso da justiça para proteger seus amigos e secretários conforme disse o cabo gerson delação de Alan Malouf tratando de 12 tipos de corrupção entre elas os $10 milhões de caixa 2 administrados por Alan Malouf e Julio Modesto licitação irregular de 11 bilhões para transporte interestaduais desvio de R$58 milhões em pontes na SINFRA $300 milhões em vantagem cobrada de quem recebeu antecipado no decreto do bom pagador crédito de

  • servidora
    09 Jan 2019 às 10:25

    O que causa estranheza e o empenho em extinguir empresas publicas que nao geram despesas para o Estado. Qual a finalidade? Temos como exemplo a Desenvolve MT e nao MT Fomento, vive com recursos próprios, nao recebe repasse algum do Estado. Sr Governador isso e apenas uma forma de mostrar para a população que nao tem conhecimento da realidade e que o sr prometeu na campanha.

  • Joca
    09 Jan 2019 às 09:37

    Fechar a EMPAER é jogar uma pá de cal na cova da agricultura familiar.

  • Juca
    09 Jan 2019 às 08:47

    EMPAER e METAMAT, nem sei para que existem! Só cabide de emprego de políticos.

  • KAKA
    09 Jan 2019 às 08:04

    Engraçado né, por que ele não fez isso na casa dele? A Bimetal faliu más ele têm um patrimônio de quanto mesmo? Tenho certeza que depois desse mandato recuperará a sua empresa, todos fazem isso, usam o servidor o empregado público como bode expiatório, sempre a culpa é do servidor, só que, ele esquece que quem faz a máquina andar, arrecadar é o servidor, agora quanto a servidores menores receberem um salário melhor, o que têm isso, provavelmente esse pessoal da transição não sabem ou não souberam olhar o salário do mês e outros benefícios que vem junto como férias, 13º, adicional etec. esse deve ser um caso desses olhou a folha qdo o servidor iria receber tudo isso, e isso não quer dizer que o servidor recebe todo esse salário mensalmente. O MM começou muito mal o seu governo, pior, muito pior do que os seus antecessores, com tudo que ele está prometendo fazer com os servidores ele enfrentará a maior greve de todos os tempos, estamos aguardando o seu pacote, ele não perde por esperar. Peixe morre pela boca, e esse aí fala demais.

Sitevip Internet