Olhar Direto

Terça-feira, 19 de março de 2019

Notícias / Política MT

Botelho afirma que não irá liberar verba indenizatória para deputados ausentes

Da Redação - Wesley Santiago/Da Reportagem Local - Érika Oliveira

09 Jan 2019 - 12:00

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Botelho afirma que não irá liberar verba indenizatória para deputados ausentes
O presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), Eduardo Botelho (DEM), afirmou nesta quarta-feira (09), após reunião com o governador Mauro Mendes (DEM), que os deputados ausentes da Casa de Leis não terão a verba indenizatória liberada. A intenção – mesmo que não seja confirmado pelo democrata – é fazer com que os parlamentares compareçam as sessões.

Leia mais:
Botelho prevê 8 anos para MT recuperar capacidade de investimento e vê déficits desde Blairo
 
Botelho disse que não irá liberar a verba indenizatória para os faltantes: “Normalmente, tem deputado que não aparece. Tem que vir, é obrigação dele. Chega no fim do mês e recebe verba indenizatória igual aos outros? Vai ter o controle sim”, disse ele.
 
O presidente da Casa de Leis esteve reunido com o governador Mauro Mendes nesta manhã e disse que o novo gestor apresentou superficialmente suas propostas para tentar reerguer, principalmente, o caixa do Estado: “Precisamos analisar os detalhes ainda. O que nós vamos fazer é para o povo, o bem do povo”.
 
Os 24 deputados da Assembleia Legislativa de Mato Grosso recebem R$ 25,3 mil e mais uma verba indenizatória de R$ 65 mil para cobrir despesas próprias do exercício parlamentar.  

O governador Mauro Mendes (DEM) esteve reunido nesta terça-feira (08) com lideranças do Fórum Agro MT para apresentar a proposta de unificação das duas versões do Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab e Fethab 2), que será encaminhada para a Assembleia Legislativa nesta quinta-feira (10).

O Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab) foi criado, em 2000, com a finalidade de aplicar os recursos arrecadados para obras de infraestrutura das estradas e da habitação. O recurso utilizado para formar o fundo é cobrado sobre o diesel e sobre as transações de commodities.

No dia 31 de dezembro de 2018 o prazo de cobrança do Fethab 2 foi extinto. A contribuição incide sobre a comercialização de soja, algodão e gado somando uma arrecadação anual de aproximadamente R$ 500 milhões. Já o Fethab 1, incidente sobre a soja, algodão, gado, madeira e óleo diesel, está em vigor desde março de 2000 e gera cerca de R$ 900 milhões por ano.

Botelho declarou que os problemas de gestão que ocasionaram o caos financeiro que Mato Grosso vive atualmente iniciaram ainda na gestão do ex-governador Blairo Maggi (PP). O deputado também prevê que o equilíbrio das contas do Estado e a recuperação da capacidade de investimento devem acontecer somente daqui a oito anos, caso os projetos apresentados por Mauro Mendes (DEM) seja aplicado com sucesso.

Em reunião com o governador Mauro Mendes no Palácio Paiaguas nesta terça-feira (8), Botelho recebeu a informação de que o rombo nas contas do Estado é de aproximadamente R$ 4 bilhões, números que também foram apresentados aos servidores públicos, que terão salários escalonados nos primeiros meses da gestão.

Estudando a real situação financeira do Estado desde que tomou sua posse, na semana passada, Mauro Mendes já começou a tomar medidas enérgicas para evitar gastos, como exonerações de funcionários comissionados e o escalonamento dos salários dos servidores públicos e o parcelamento do 13° que ainda não foi pago.

16 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Patropi
    10 Jan 2019 às 11:18

    Pra que verba indenizatória? Por que a AL não faz igual empresa privada, quando há gastos que justifiquem só foi para o trabalho, apresentem a Nota Fiscal e serão reembolsados. Agora libera todo esse valor pra usarem conforme querem? Isso não existe é chamar a população de palhaço. Peguem essa grana e paguem os salarios atrasados dos funcionários, tem Deputada que fica falando que defende o funcionario publico,mas não abre mão da verba.

  • RUBENS TADEU REYNAUD
    09 Jan 2019 às 21:21

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Ilze
    09 Jan 2019 às 18:47

    Como assim, verba indenizatória? Deveriam ter vergonha na cara ao citar esse desproposito que não tem razão de existir. E ainda afirma que tem os que ganham mesmo ausentes de sua funções. É esse tipo de situação que trna difícil fazer a sociedade acreditar que há crise financeira no estado. Essa AL é um saco sem fundo e não faz jus ao que gasta. Se fizesse tudo certo junto com o TCE CGE, e MPE, certamente o estado de mato Grosso não vivia chorando miséria e lamuriando para justificar o não pagamento dos direitos dos mais fracos e humildes servidores. Esse negócio de VI é uma vergonha num país como o Brasil.

  • Mariana
    09 Jan 2019 às 15:45

    Verba indenizatória? Deve ser banido esse tipo de gasto. Ou que de para todos ou nenhum recebe.

  • Juracy Ady
    09 Jan 2019 às 15:04

    Não Judiciário tem que tomar providências contra Botelho que criará pasta para deputados que não se reelegeram.

  • Moacir
    09 Jan 2019 às 14:59

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Gilmar
    09 Jan 2019 às 14:51

    Esse botelho e a cara da crise .

  • Bainho
    09 Jan 2019 às 13:45

    Como podem ser tão irresponsáveis, não comparecem às sessões e ainda recebem verba indenizatória?

  • Salário Atrasado
    09 Jan 2019 às 13:38

    Quem trabalha mesmo o décimo e parcelado4x e quem nada faz esta de verba indenizatória.

  • JORGE LUIZ
    09 Jan 2019 às 13:16

    CONVERSA FIADA DESSE BEDELHO, NÃO VAI CORTAR NADA POR QUE O DUODÉCIMO VAI CHEIO E TEM QUE GASTAR DE QUALQUER JEITO PARA JUSTIFICAR TANTO DINHEIRO PARA ESSES MALAS, O CIDADÃO AÍ ACHA QUE O POVO É BESTA PARA ASSIM NINGUÉM MEXER NO DINHEIRO DELES

Sitevip Internet