Olhar Direto

Terça-feira, 19 de março de 2019

Notícias / Política MT

Com risco de greve, secretário pede voto de confiança em reunião com sindicatos de Polícia Civil

Da Redação - Wesley Santiago

11 Jan 2019 - 08:24

Foto: Gabriel Leite/Sesp

Com risco de greve, secretário pede voto de confiança em reunião com sindicatos de Polícia Civil
O secretário de Segurança Pública (Sesp), Alexandre Bustamante, pediu um voto de confiança durante reunião, na última quinta-feira (10), com sindicatos de Polícia Civil do Estado. A principal reivindicação das categorias foi quanto ao atraso o atraso de salários, do 13º salário e o escalonamento proposto pelo governador Mauro Mendes (DEM). A partir desta sexta-feira (11), reuniões devem acontecer e uma greve geral não está descartada.

Leia mais:
Investigadores podem entrar em greve na próxima segunda; policiais fazem cota para internet e compra de papel
 
Bustamante pediu voto de confiança dos servidores ao governador Mauro Mendes, que já deu prazo para o pagamento dos salários e a opção pelo parcelamento era inevitável: “Esse primeiro ano será mais difícil, mas o governo vai promover cortes nas despesas e buscar pagar os salários dentro do mês e este é um compromisso do governador. Acredito que em seis meses, após essas mudanças, o fluxo de caixa estará melhor”.
 
A presidente do Sindicato dos Investigadores de Polícia de Mato Grosso (Sinpol), Edleusa Mesquita, disse que as lideranças sindicais deixaram claro ao secretário que os servidores estão insatisfeitos com o atraso de salário. Apesar dos problemas, ela avaliou que Bustamante se mostrou aberto ao diálogo.
 
Ainda conforme o Sinpol, o entendimento do secretário é de que o governador casou-se com uma viúva pobre, cheia de filhos para criar, e com inúmeros problemas com a maioria dos membros da família.
 
Para Wagner Bassi, do Sindicato dos Delegados, o secretário de Segurança expos os problemas vividos pelo estado. “Ele explicou que o governo está tentando regularizar o atraso de salários e do 13º salário, e a gente agora vai levar essa posição às assembleias, para a categoria decidir qual postura tomar”.
 
De acordo com Davi Nogueira, do Sindicato dos Escrivães de Polícia (Sindepojuc), foi uma reunião em que as lideranças sindicais se apresentaram ao secretário e deixaram claro sobre o descontentamento dos policiais civis com relação ao atraso salarial. “Há uma insatisfação geral por parte das três classes, mas este não é um problema que o secretário possa resolver, de modo que não adianta a gente querer culpá-lo”.
 
Risco de greve
 
Os investigadores de polícia de Mato Grosso marcaram para a próxima segunda-feira (14) uma assembleia geral para discutir sobre o atraso salarial dos servidores públicos do Estado. A greve não está descartada, segundo a presidente do Sindicato dos Investigadores de Polícia do Estado de Mato Grosso (Sinpol), Edleusa Mesquita. Ela ainda relata que os funcionários públicos estão tendo que fazer cota para pagar internet e comprar papéis em delegacias do interior.
 
“Nós vamos passar para a categoria o que foi passado pelo governo na reunião com o Fórum Sindical. Vamos tomar as atitudes necessárias. A greve não está descartada. O salário mínimo é o alimento da família do servidor, temos direito de fazer a nossa manifestação. Vamos expor tudo para a categoria e levaremos para a votação”, disse a presidente do sindicato ao Olhar Direto.
 
O Fórum Sindical dos Servidores Públicos do Poder Executivo de Mato Grosso orientou a classe a decidir em assembléias que medidas vão tomar em relação ao escalonamento dos salários e indicou que uma greve geral unificada pode acontecer a partir do mês de fevereiro, no caso de o Governo manter a decisão de atrasar os pagamentos.

Parcelamento

O governador Mauro Mendes (DEM) anunciou, por meio de sua assessoria de imprensa, que o salário dos servidores do Estado referente ao mês de dezembro do ano passado será escalonado até o dia 30 deste mês. Em nota, o democrata anunciou ainda o parcelamento do 13º salário remanescente de 2018, que só deverá ser quitado em abril. Outra novidade anunciada por Mendes trata do décimo terceiro salário de 2019, que será pago a todos os servidores, ativos e inativos, somente no mês de dezembro do corrente ano.

Conforme o comunicado, o pagamento dos salários de dezembro de 2018 dos servidores ativos e inativos, no valor total líquido de R$ 552.530.556,82, obedecerá ao seguinte calendário:

Dia 10/01: todos os 33.473 aposentados e pensionistas, independente do valor dos proventos, no valor total de 177.108.626,90; e aproximadamente 43.000 servidores em atividade que recebem até R$ 4.000,00 (quatro mil reais) líquidos e seus pensionistas, totalizando R$ 168.586.734,02;

Dia 24/01: 16.531 servidores em atividade que recebem até R$ 6.000,00 (seis mil reais) líquidos, totalizando R$ 73.150.206,68;

Dia 30/01: todos os demais 13.063 servidores ativos, cuja folha atinge R$ 133.684.989,22”.

O escalonamento do décimo terceiro salário remanescente de 2018, no valor de R$ 127.206.023,59, será pago em quatro parcelas, observado o seguinte calendário: 1ª parcela: dia 31/01; 2ª parcela: dia 28/02; 3ª parcela: dia 31/03; e 4ª parcela: dia 30/04.

7 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • joaoderondonopolis
    12 Jan 2019 às 06:58

    Voto de confiança com uma arrecadação diária de R$ 100 milhões. É gozar na cara dos servidores. Até agora o governador não disse como será o parcelamento dos poderes, e pelo visto não vai parcelamento e nem redução. Vamos ficar de olho nos repasses dos poderes.

  • Para Juracy Ady
    11 Jan 2019 às 12:29

    Minha cara Juracy, com todo o respeito, o funcionário público também sustenta a máquina pública, porque paga igualmente todos os impostos que você paga. Sem o servidor público não há prestação de serviços essenciais à sociedade. Há muita gente trabalhando duro no serviço público (até mesmo com horas extras não pagas), há inúmeras pessoas adoecendo nestes lugares e trabalhando em condições adversas, como com falta de água, de luz, de limpeza, problemas infraestruturais que colocam a saúde e as vidas deles em risco. Para você ter condições mínimas de emitir opiniões, você teria que conviver com diversos servidores públicos em horários de expediente, aí sim você veria que não é o mar de rosas que você imagina! Sistemas eletrônicos lentos, ter que atender pessoas mal-educadas, irritadas e grosseiras da melhor maneira possível, para não correr risco de sofrer PAD e ser suspens@ ou exonerad@. Quem entrou no serviço público, em geral, estudou muito para nele ingressar, preste atenção no que você fala para não ser injusta com as pessoas, isto é pecado, ficar julgando (Deus é quem pode fazer isso). A sociedade tem que ter sangue nos olhos é para acabar com a corrupção que começa no dia-a-dia de cada um, com o "jeitinho brasileiro" de fazer e resolver as coisas.

  • Jango
    11 Jan 2019 às 11:04

    Cadê os órgãos fiscalizadores que intrometem no executivo pra forçar o governo pagar no prazo que a lei determina, qdo é pra negar rga que é outro direito, eles metem a cara!!!

  • Jango
    11 Jan 2019 às 10:04

    Fácil solução... só Mauro Mendes fazer empréstimo e pagar o servidor que é nada menos que obrigação do governo. O Servidor não pode pagar uma conta que nao é sua!!!

  • Juracy Ady
    11 Jan 2019 às 09:57

    Encare governador. Chega de privilégios para funcionários públicos. Quem não estiver satisfeito, peça demissão. Sociedade está com sangue nos olhos de ódio de pagar impostos para sustentar os funcionários públicos.

  • Rugal
    11 Jan 2019 às 09:19

    Essa categoria não é de confiança. Na última greve nem suaram no sol e já saíram . Já devem tem acordado com o secretário algum mimo para a categoria . Fórum Sindical exclua a PJC das reuniões, pois foi a única categoria que deu voto de confiança rapidíssimo .... Muito suspeito!

  • JORGE LUIZ
    11 Jan 2019 às 08:58

    VOTO DE CONFIANÇA NÃO PAGA CONTA, SE VOCÊ NÃO PAGAR O IPVA O DETRAN ACIONA A PROCURADORIA GERAL DO ESTADO QUE MANDA COBRAR JUROS E CORREÇÕES MONETÁRIAS DO SEU ATRASADO E OUTRA, TODOS OS GOVERNOS, PRINCIPALMENTE O MALA DO EMBROMADOR DO TRAQUES PEDIRAM VOTO DE CONFIANÇA E SACANEOU OS SERVIDORES OS 4 ANOS DO DESGOVERNO DELE

Sitevip Internet