Olhar Direto

Notícias / Política MT

Janaína diz que se sente perseguida pelo sobrenome e por ter sido deputada mais votada

Da Redação - Carlos Gustavo Dorileo

11 Jan 2019 - 14:13

Foto: JLSIQUEIRA / ALMT

Janaína diz que se sente perseguida pelo sobrenome e por ter sido deputada mais votada
A deputada estadual Janaína Riva (MDB) declarou que vários deputados eleitos contaram com a ajuda de familiares durante a campanha e que o pedido de sua cassação feito pelo Ministério Público Eleitoral (MPE), pela presença de seu pai durante a eleição, pode ser uma perseguição pelo fato de ter sido a mais votada no Estado e pelo seu sobrenome.

Leia mais
MPE pede cassação de Janaina, aponta suposto “caixa 2” e presença de Riva e servidoras em viagens de campanha


“O que me chateia é você ver um pedido de cassação de uma conta que sequer foi reprovada e ainda existe lá no tribunal uma decisão por vir, está três a três, e você vê um pedido de cassação em cima disso, como se fosse uma coisa absurda o meu pai ter trabalhado e me ajudado na campanha e não ter sido constado como prestação de serviços”, disse a parlamentar durante audiência realizada na Assembleia Legislativa nesta quinta-feira (10).

“Quantos aqui na Assembleia trabalharam irmãos, pais, viajaram juntos com os deputados, distribuíram material. Acho sinceramente que é um pouquinho pelo meu sobrenome e por eu ter sido a mais votada. Isso é uma coisa compreensível”, afirmou.

Questionada se sente perseguida, a emedebista disse que sim e que a prática de familiares de candidatos apoiarem e não serem relacionados como prestadores de serviços é comum. “Claro que me sinto. Imagina o meu pai, o ex-deputado José Riva ter me ajudado na campanha e eu ter que prestar conta que ele me ajudou na campanha”.

A parlamentar, por fim, explicou que realmente três servidoras comissionadas da Assembleia realmente trabalharam em sua campanha, por estarem em período de férias, o que não figura irregularidade, ao contrário do que apontou o MPE.

“Elas participaram realmente, mas participaram em período de férias. Isso com certeza será constatado, como já foi para o Tribunal de Contas e para o Ministério Público. Por isso eu achei que foi uma decisão muito precipitada. Quem hoje em dia colocaria qualquer servidor para prestar serviços na campanha eleitoral, sem ter a garantia de que este servidor está de férias. Isso seria muito amador da minha parte”, disse.

O procurador Pedro Melo Pouchain Ribeiro, da Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) de Mato Grosso, pediu o julgamento das irregularidades apontadas na prestação de contas da campanha da deputada Janaina Riva (MDB) nas eleições de 2018, com consequente cassação do diploma.

De acordo com Ribeiro, foi identificada a presença, não declarada na prestação de contas, do pai da deputada, o ex-presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) José Riva, e de outras servidoras comissionadas da ALMT em viagens durante a campanha. O procurador afirmou que as irregularidades configuram prática de “caixa 2”.

26 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Cuiabano
    12 Jan 2019 às 12:10

    Igual ao pai, não se defende só acusa.

  • Ilze
    12 Jan 2019 às 09:11

    Eu sou contra todo o tipo de nepotismo, principalmente para cargos públicos eletivos. Ok, D. Janaina!

  • Márcio Benedito de Moraes
    12 Jan 2019 às 09:05

    tal pai tal filho

  • Isabel Torrella
    12 Jan 2019 às 06:56

    MI MI MI MI MI MI MI MI MI MI MI MI MI MI ..... Num tempo muito mais difícil e eu nunca vi a Sarita Baracat lamentar e ainda colocar ridículos nos seus devidos lugares.

  • Janaina Cascavel
    11 Jan 2019 às 22:09

    Provando do próprio veneno, agora acha esta sendo perseguida, esqueceu o que fazia com Taques ne?

  • danilo
    11 Jan 2019 às 17:38

    Perseguida: Seria ela o "Lula" de Mato Grosso #kkkkkkkkk

  • Joaquim Teixeira
    11 Jan 2019 às 17:19

    “O que me chateia é você ver uma família que se enriqueceu com dinheiro ilícito ainda não ter sido punida".

  • CUIABANO
    11 Jan 2019 às 17:14

    NUNCA VI PÉ DE MANGA DAR CAJÚ.

  • Cuiabano Indignado
    11 Jan 2019 às 16:49

    A fruta não cai longe do pé. Sem mais.

  • Renato santos
    11 Jan 2019 às 16:31

    Cx dois é crime, todos sabem e todos continuam a fazer , agora começa o chororo,kkkk

Sitevip Internet