Olhar Direto

Notícias / Política MT

‘Peço desculpa a sociedade mato-grossense, mas é o único recurso que sobra’, diz sindicalista sobre greve

Da Redação - Carlos Gustavo Dorileo

12 Jan 2019 - 16:17

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

‘Peço desculpa a sociedade mato-grossense, mas é o único recurso que sobra’, diz sindicalista sobre greve
Os servidores públicos de Mato Grosso seguem descontentes com a decisão de escalonamento no pagamento de salário e do parcelamento do 13°, anunciada pelo governador Mauro Mendes (DEM) em sua primeira semana de Governo. De acordo com o presidente do Sindicato dos Profissionais da Área Meio do Poder Executivo, Sinpaig, Edmundo César Leite, a greve é o único recurso que a classe tem.

Leia também
Janaína diz que se sente perseguida pelo sobrenome e por ter sido deputada mais votada


Questionado sobre a possibilidade de uma greve, Leite se desculpou com a sociedade mato-grossense por possíveis transtornos futuros e disse que uma paralisação é a única forma de pressionar o Executivo, para rever a determinação de Mendes.

“Com certeza, se o Governo não sentar com o Fórum Sindical e ouvir as nossas reivindicações, infelizmente sim. Peço até desculpa para a sociedade mato-grossense, mas este é o único recurso que nos sobra. Continuamos abertos para a discussão com o Governo, mas se caso não tiver solução, no começo de fevereiro vamos instalar este processo de paralisação em todo o Estado de Mato Grosso”, disse o líder sindical.

A crise com os servidores públicos, que vem desde o mandato passado, voltou no início deste ano após Mauro Mendes, alegando não ter dinheiro em caixa, decidiu escalonar os salários dos servidores públicos, referente ao mês de dezembro que irá ser quitado 100% da folha somente no dia 30 de janeiro.

Além do escalonamento, o governador também decidiu parcelar o 13° de parte dos servidores que ainda está em atraso.

Nesta sexta-feira (11), em entrevista a Rádio Vila Real, Mendes declarou que uma greve não ajudaria em nada o processo equilíbrio das contas do Estado e que os servidores precisam entender que todos os setores vão precisar de sacrifícios para que Mato Grosso melhore sua situação financeira.

O governador também afirmou que já estuda decretar estado de calamidade financeira por conta da difícil condição que seu governo, com menos de duas semanas, está vivendo.       

59 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Véio Joaquim
    14 Jan 2019 às 11:31

    Quem planta colhe.... Estão colhendo..

  • Jorge
    14 Jan 2019 às 10:44

    Nada de desculpas. Greve, RGA, progressão, feriado prolongado, trabalhar meio período, atender pessimamente a sociedade faz parte da turma do RGA. Porque somente a sociedade tem que pagar sozinha essa conta? Vem trabalhar aqui na iniciativa privada!!!!

  • jordana
    14 Jan 2019 às 08:51

    o comportamento com o Executivo é assim. nas outras casas esta tudo bem...la nao estao em crise. melhor estudar e passar em outro concurso.

  • Alex
    14 Jan 2019 às 07:37

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Janine
    13 Jan 2019 às 23:09

    Nosso governador não está preocupado com o povo. O Judiciário e o Legislativo nadam de braçadas em dinheiro público, e nós, servidores do Executivo, pagamos o pato.

  • Servidor
    13 Jan 2019 às 16:33

    Que apoio de sociedade nada. Nós servidores estamos nos lixando para corrupta dessa sociedade que nunca fica do lado do servidor. Só votam pensando no próprio umbigo dá nisso. Aguardem vão sofrer a pior greve que este Estado já viu. E essa sociedade hipócrita vai ficar só no mínimo. Para os invejosos que falam mal de servidor vão estudar e passar em concurso público invejosos.

  • Amaurício da Cunha Souza
    13 Jan 2019 às 13:52

    Se o próprio governador diz que: "...que todos os setores vão precisar de sacrifícios para que Mato Grosso melhore sua situação financeira.", eu pergunto porque somente os servidores do executivo estão sendo obrigados a fazer tais sacrifícios.

  • Wellington
    13 Jan 2019 às 11:52

    Governador só quer ameaçar os servidores e colocar a população contra os servidores que quase se matam de trabalhar, aumentou a jornada de trabalho é não paga os nossos direitos. Vamos ver quanto tempo ele aguenta uma greve geral.

  • Wilson
    13 Jan 2019 às 11:06

    Greve neste momento vai só piorar a situaçao ainda mais.

  • Manoel Ribeiro
    13 Jan 2019 às 10:52

    Esses servidores publicos não devem entrar em greve imediatamente Não, pois o Governador Mauro,pegou um Estado quebrado pelos desmandos do seus antecessores Silval Ladrão e Pedro Safado, então é necessário dar um voto de confiança nele, e no seu Governo de pelo menos 90 dias, pois com a Taxação dos Barões e Tubarões do Agronégocio, como sugeriu o Senador Jaime Campos, o Estado irá colocar as sua finanças em ordem, e vamos voltar a crescer e desenvolver nomemente, Paciencia senhores servidores publicos, tem que ter uma tregua de pelo menos 90 dias com o novo Governo.

Sitevip Internet